Resenha: Três Vezes Nós - Laura Barnett

19 dezembro 2016




Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581638379
Ano: 2016
Páginas: 384
Tradutor: Ivar Panazzolo Junior
Sinopse:Uma jovem mulher com uma bicicleta quebrada após desviar de um cão. Um homem que ela poderia facilmente ter deixado passar, sem parar, levando consigo uma vida inteira, uma vida que poderia nunca ter sido dela.
Eva Edelstein está no segundo ano do curso de Inglês na Universidade de Cambridge. Ela namora David Katz, estudante e aspirante a ator. A vida de Eva parece bem encaminhada, quando, no campus da universidade, ela conhece acidentalmente Jim Taylor, estudante frustrado de direito.
Há três versões, três realidades diferentes para o futuro de Eva e Jim, dos anos 1950 até os dias atuais.
Se o nosso futuro é uma encruzilhada, gostaríamos de saber qual caminho seguir? E depois, ficaríamos felizes com a nossa escolha?
Três vidas. Três histórias. Três destinos... permeados com traições e ambições, mas também com amor e arte.
Três vezes nós explora a ideia de que há momentos em nossas vidas que poderiam ter sido diferentes e como pequenos fatos ou decisões que tomamos podem determinar o rumo da nossa vida para sempre.




Olá pessoal,
Hoje eu venho trazer para vocês a resenha do livro Três Vezes Nós publicado aqui no Brasil pela editora +Novo Conceito e nos traz uma história contada num estilo de narrativa um tanto quanto peculiar. O livro nos narra a história dos mesmos personagens, Eva , Jim e David variando em três linhas do tempo, onde a única coisa que se mantém é um acontecimento que envolve Eva, Jim, um cachorro e uma bicicleta.

Por isso dessa vez o resumo apresentado aqui, será um pouco diferente, pois ao invés de um único resumo do livro, eu vou trazer para vocês um resumo de cada "versão" que ao meu ver fica melhor se chamada de linha do tempo.

Versão 1
Eva, é estudante do segundo ano da turma de Inglês da universidade de Newnham e está a caminho da aula quando acontece o incidente envolvendo o cachorro e a bicicleta. E acaba recebendo a ajuda de Jim, um estudante de Direito de Clare. Eles nunca se viram, mas tem mutuamente a impressão de que já se conheciam. Eva tem um namorado chamado David, Ele é um jovem ator porém esse relacionamento acaba sendo comprometido, devido ao interesse mútuo que nasceu entre Eva e Jim.

Versão 2
Aqui o perfil dos personagens é o mesmo, eles estudam no mesmo lugar e estão se encaminhando para fazer a mesma coisa que na anterior. O que muda, é que Eva e Jim apenas trocam breves palavras devido ao incidente envolvendo o cachorro e a bicicleta e acabam não se conhecendo realmente, mas eles sempre se esbarram ocasionalmente. Sendo assim o relacionamento entre ela e David, não sofre nenhuma alteração e continua a seguir o seu fluxo. Até que a vida acaba por coloca-los frente à frente novamente.

Versão 3
Essa versão tem o começo bem parecido com o da primeira, o incidente envolvendo o cachorro e a bicicleta acontece e novamente Jim ajuda Eva, eles conversam e rola aquela mesma impressão de familiaridade entre eles, Eva acaba o relacionamento e se envolve com Jim, mas pouco tempo depois acontece algo que faz com que ela volte da David. Jim também conhece outra pessoa e suas vidas seguem.

Então, preciso deixar bem claro pra vocês que esses resumos estão bem superficiais e que são apenas do inicio das histórias desses personagens, Após eles muita água ainda passa por baixo dessa ponte. Sabe quando a gente para pra pensar na vida e se pergunta: "E se eu não tivesse feito aquilo?" ou "E se eu tivesse feito aquilo de um modo diferente?"
Três Vezes Nós é um romance baseado na "Teoria do Caos" que leva o leitor a refletir como a simples mudança de uma ação é capaz de transformar totalmente o rumo de toda uma história e isso tornou a base desse enredo bastante original, eu digo a base porque a fora isso a narrativa é bem simples e sem grandes plot twisters, isso partindo do ano de 1958 até 2014.
Porém acredito que nesse intuito de inovar a autora acabou pecando na maneira de organizar a trama.
A estrutura do romance foi feita de maneira a intercalar os capítulos de cada versão da linha do tempo, o que faz com que apesar das mudanças, muita coisa se repita e isso torna a leitura um pouco confusa e enfadonha devido a repetição. Esse tipo de estruturação cairia bem para um filme, para um livro, ao meu ver, não. Acredito que a leitura fluiria bem melhor se a narrativa houvesse simplesmente sido estruturada de modo a contar separadamente cada uma das versões. E não há nada que impeça que o leitor faça a leitura de cada versão por vez, a não ser o fato do livro não ser diagramado pra isso.

Ainda assim eu, basicamente, gostei da escrita da Laura, ela é clara e nos apresenta uma trama enxuta, o que faz com que a narrativa flua bem. Os personagens são bem estruturados, porém infelizmente não consegui me apegar muito a nenhum deles, sendo de longe David o que menos me agradou. Mas, o que eu mais gostei foi das referências que a autora jogou dentro da história e da variedade sutil com que ela as apresentou de uma linha do tempo para outra, como por exemplo o fato de no início da Linha 1, Jim esteja lendo Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley e na Linha 3 o livro é Mrs Dalloway, Virginia Woolf. Achei que essa foi uma jogada bem interessante da autora. No final das contas, apesar de bastante linear, Três Vezes Nós nos apresenta uma trama bastante reflexiva.



A diagramação da Novo Conceito pra esse livro foi incrível, a capa é maravilhosa e completamente contextualizada com a história, o interior da capa é um amor à parte todo decorada com bicicletas e cãezinhos. A diagramação segue a linha da editora, com os inícios de capítulos, trazendo uma decoração simples e bonita, e com uma tipografia serifada se destacando nas páginas amareladas, tornando a leitura bastante agradável aos olhos. A revisão da obra está impecável, não notei erros de revisão.

Enfim, recomendo a leitura à todos, mas estejam cientes que não encontraram um romance comum. Espero que tenham gostado da resenha e não deixem de me deixar as suas opiniões nos comentários. Beijooos.

5 comentários:

  1. Olá,

    Já havia visto este livro e fiquei bem interessada na história. É legal essas versões que você narrou e fiquei curiosa pelo desenrolar dos acontecimentos. Uma pena os personagens não terem lhe cativado, mas é bom saber que a leitura é bem fluída.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente, tenho quase certeza que não conhecia teu blog, pois estou apaixonada pelo layout e esse banner maravilhoso! Vi umas resenhas sobre esse livro em que muitas pessoas dizem ter ficado confusa, a história parece muito boa, porém acho que também me confundiria.... Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  3. Oie
    assim que lançou, chamou minha atenção pois adoro esse gênero e essa capa esta muito amor, bela resenha e bela dica de leitura, adorei como o livro é dividido e como a historia é contada

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Kris. De forma geral, não curto os livros da Novo Conceito há um tempo, acho que já devo ter comentado isso com você. Mas, nesse caso, o modo narrativo, também utilizado por Adelaide amaral, me Luíza, chamou minha atenção. Também aprecio a teoria do caos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Quando li que o livro era de várias versões diferentes já fiquei um pouco confusa, acho que o autor precisa elaborar muito bem isto para não cair na repetição como vc mesma disse.
    Gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥