Resenha: Ligeiramente Casados - Mary Balogh

13 dezembro 2016






Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413212
Ano: 2014
Páginas: 288
Tradutor: Ana Rodrigues
À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.
Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
9...)
Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. 



Oieee gente, 
Estou aqui pra resenhar o meu primeiro livro da Mary Balogh, Ligeiramente Casados é um romance de época que na minha impressão trouxe algumas nuances diferentes a um gênero que eu já estou acostumada e eu achei isso excelente.

Então O livro começa em meio ao campo de batalha e ali assistimos a morte de um nobre soldado (isso não é spoiler) o nome dele é Persival Morris e em seus últimos momentos de vida ele pede ao seu superior, o coronel Aidan Bedwyn, que tem com ele uma dívida de honra, que vá pessoalmente dar a noticia do seu falecimento a sua única irmã e a proteja "custe o que custar".
O coronel Aidan é um homem que presa sobretudo por sua honra e paga a sua parte no trato, partindo para o Solar Ringwood para dar a notícia. Lá ele conhece Eve, uma jovem órfã, simples, educada e bondosa que cercou-se do amor de várias pessoas consideradas páreas da sociedade e foi a única a lhes dar uma chance, recebendo assim deles todo amor e gratidão. Porém Aidan descobre que a morte prematura de Percival, deixou a jovem numa situação crítica, em que corre o risco de perder tudo o que tem para um primo perverso, devido a um capricho do pai deixado em testamento, onde a única chance que ela tem de manter a si e aos seus páreas em segurança é casando. É nesse momento que Aidan entende o custe o que custar e dispõe-se a manter com Eve um casamento por conveniência de modo que após a cerimônia cada um volte para a sua vida.
Como se por um momento ele esquecesse que ele é um Bedwyn.

Ligeiramente Casados é o livro um de uma série chamada Os Bedwyns, onde cada um dos livros apresentará um romance protagonizado por um dos irmãos Bedwyns. Eles são poderosos e arrogantes e definitivamente esse foi um dos pontos que me fez atentar pra diferença na escrita da Mary. Pois ela desenvolveu seus romances em cima de personagens detestáveis, porque definitivamente, ninguém se apaixona por um Bedwyn a primeira vista, atração até rola, mas amor, não. Porém com o desenvolver da história os personagens vão se explicando e assim caindo nas graças do leitor. Isso pra mim é algo que acrescenta uma nuance mais realista em relação à época, onde de fato a nobreza se mostrava arrogante e se sentia superior tanto a burguesia quanto ao proletariado. E é daí de onde partem os Bedwins e amadurecem ao longo da trama, mostram sua humanidade.

Outro ponto diferente na escrita da Mary em relação as outras autoras que li do gênero, como a Julia Quinn, a Tess a Dare, Loretta Chase é que a narrativa mostra-se mais séria, quase formal, lógico que sem tornar-se enfadonha. Definitivamente, não sei explicar ao certo, só achei diferente.
Eu sinceramente amei a construção dos personagens, Eve é uma personagem muito bem dosada, ela é boa doce e caridosa, desde que não pisem nos seus calos, quando isso acontece ela mostra quem é e ao que veio, algo que eu adoro em livros, Personagens reais imanentes, nada de alguém 100% bom ou 100% mal. Já Aidan é um personagem interessante, no inicio da leitura ele se mostra levemente arrogante, com ares superiores, mas nada de insuportável. Um dos pontos que mais chamam a atenção no personagem são suas noções de honra e o desejo de cumprir com a sua palavra e é apenas por isso que ele consegue ajudar Eve. Sabe aquele ditado: "Dois bicudos não se beijam?" Esqueça! Em ligeiramente casados, eles vão se beijar. O mais legal do livro é que aqui os relacionamentos não são imediatos, os sentimentos não brotam do nada, eles vão sendo construídos ao longo das páginas e isso é algo que eu tenho certeza vocês vão adorar.

Ao longo da leitura somos apresentados aos outros irmãos Bedwyns, alguns se mostram simpáticos a primeira vista, outros completamente arrogantes, porém o irmão mais velho mostrou-se para mim como quase insuportável, algo que me deixou curiosa sobre como a Mary fará pra humanizar aquela criatura dentro de uma história. Sem dúvidas quero ler os outros livros da série, pois a autora consegue facilmente cativar o leitor com a sua narrativa e emaranha-lo nas teias dessa família, os fazendo querer conhece-los um a um.

Um Adendo Importante
Pesquisando em outros blogs tanto nacionais quanto estrangeiros, descobri que existem dois livros:
Uma Noite de Amor e Um Verão Inesquecível, que precedem a série Os Bedwyns, mas que não foram lançados no Brasil ainda. Pelo que eu li, dá muito bem para entender a sequencia de livros lendo ligeiramente casados primeiro, mas seria melhor se fossem lidos inicialmente pela leitura de Uma noite de amor. Não sei, porque a Arqueiro não publicou os dois primeiros volumes, mas acredito que essa seja uma informação relevante.


A Edição da Arqueiro, continua excelente, segue o padrão dos livros da editora, com uma capa muito bonita, páginas amareladas, tipografia em tamanho agradável e diagramação bem organizada, o que facilita a leitura. Não notei erros de revisão. Porém na minha humilde opinião de leitora a sinopse deixa a desejar porque fala demais, e dá informações desnecessárias que seriam melhor para o leitor descobrir lendo. Eu fiz a leitura sem ler a sinopse, ainda bem se não teria me irritado. Inclusive cortei até o trecho que fala demais quando a coloquei aqui no blog.

Enfim, recomendo a leitura, principalmente para os que gostam de romances e romances de época. Espero que tenham gostado da resenha, quaisquer dúvidas podem deixar nos comentários, assim como suas impressões. Vocês já leram os livros, curtiram? 
Beijoooos ♥ 

3 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Eu confesso que sou viciada em romance de época e já li toda essa serie. A Mary é uma das melhores autoras desse estilo <3 O meu favorito é o ultimo, não tem coo não amar os Bedwyns. Beijos amei a resenha.

    ResponderExcluir
  2. que legal que a leitura desse título se mostrou diferente do que tu já tá habituada com livros nessa temática. vejo muitos fãs de romance de época elogiando essa autora...é sempre bom quando o autor sai do 'lugar comum' tão abordado no gênero... ^^
    bjs...

    ResponderExcluir
  3. Aí eu li esse livro a mais de um ano. Eu adoro essa série. Já estou indo para o quinto volume e esses irmãos são MARAVILHOSOS, simplesmente amo. Amei sua resenha e deu até saudade da leitura. Parabéns. Ótima, como sempre.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥