Resenha: A Fila - Ana Esterque

25 novembro 2016






Ficha TécnicaEditora: Chiado
Edição:
Ano: 2016
ISBN: 9789895183746
Páginas: 85
Sinopse: O livro A Fila é composto por 10 narrativas, permeadas por temas polêmicos – como incesto e violência contra a mulher. Além disso, as histórias levam o leitor a uma reflexão sobre o vazio e a delicadeza da alma.





Oie, povo!

Infelizmente eu não tomei vergonha na cara, e ando lendo menos do que gostaria. Este livro curtinho foi uma mão na roda na minha vagabundagem literária.

Ainda assim, demorei horrores pra conseguir lê-lo, considerando que ele é um livro de contos e que só tem oitenta e poucas páginas, e espero explicar o por quê disso nessa resenha.


Resenha

Quando o carteiro chegou com A Fila, pensei que seriam a resenha e a leitura mais fáceis do mundo. Livro fininho, de contos, já me apaixonei pela arte da capa, tudo lindo.

Como eu sou otária, não é mesmo, amiguinhos?

Ana Esterque já chega com os dois pés no peito no primeiro conto, que dá nome ao livro.
Aliás, não, não é uma voadora, é uma rasteira. E chega sem você perceber, na suavidade das palavras da autora. Na delicadeza da narrativa e suas meticulosas descrições.
Na construção detalhada da atmosfera.
E é aí que vem a rasteira, e você toma um capote e bate com a cabeça no chão, e perde os sentidos, e só consegue ler de no dia seguinte. Ou daqui dois dias.
Ou sabe deus quando, na hora que sua cabeça parar de doer, na hora que o peito parar de apertar, na hora que o chão sob seus pés deixar de tremer e rodar.
Coisa do tipo.

Seja falando sobre um coelhinho, uma conversa entre vizinhas, uma brincadeira de crianças, ou até mesmo se tratando de um estupro, Ana não perde a mão na sutileza. O retrato da vida aqui é sempre em aquarela. Ainda assim, a profundidade dos temas e a forma como são tratados ainda trazem uma vivacidade e uma profundidade absurdas, daquelas que te colocam na lona sem piedade.

( É meio spoiler falar do estupro, mas não é só pelo prazer de estragar a leitura. Não vou dizer de qual conto se trata, mas me sinto na obrigação de avisar que o livro apresenta o tema, porque foi um gatilho do caramba pra mim, que me deixou mal por uns bons dias)

O livro é lindo, mas ao contrário do que aparenta, pesado, apesar de tamanha sutileza da autora. Até esqueci de problematizar um bocado de coisa que normalmente me incomodaria, pelo tanto que a leitura é envolvente.

"Olhava o minúsculo corte e a delgada linha de sangue que vagarosamente se expunha sobre o dedo, logo abaixo de sua unha colorida em vermelho. "Vermelho rústico", conforme havia dito a manicure no início da semana. A condição humana era exposta e escancarada em um simples corte de um milímetro no dedo! As frutas vermelhas, as unhas em vermelho rústico, o dedo levemente ferido. O corpo rústico como a cor do esmalte? Lembrou - se, inexplicavelmente, da existência da alma. E a alma, que de rústico nada tem, e mais parece vapor, éter, e voa, voa."
Trecho do conto "Receita" - pág. 31 do livro


É uma leitura que eu recomendo muito, mas com cautela. Se estiver muito sensível , deixe para depois, mas não deixe de se permitir entrar nessa maravilhosa teia de palavras, tão finamente tecida pela Ana Esterque.

9 comentários:

  1. Oie,
    A capa do livro me lembrou uma cena de A Lista de Schindler.
    Percebi pelos seus comentários que o livro é um pouco intenso, não sei se estou no momento para a leitura. De qualquer forma, anotei sua dica e nas férias - quando eu estiver menos tensa - farei a leitura.
    Obrigada pela dica.
    Beijinhox

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Bhárbara! Quem fala é a autora.
      Quando aprovei a capa, nunca que haveria de relacioná-la ao filme A Lista de Schindler.
      E é verdade! Lembro-me bem da cena que você menciona, apesar de tê-lo assistido lá no início dos anos 90.
      Uma surpresa para mim a sua observação!
      Um abraço,
      Ana

      Excluir
  2. Olá Amanda, tudo bem?
    Wowww eu estava achando que esse livro seria mais um daqueles livrinhos fofinhos e conto. Não imaginava a intensidade das historias e os temas polêmicos que ele iria abordar. Amei a sua dica, super anotada. Vou ler assim que possível.
    Ahh, parabéns pela resenha. Ela está showww. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amanda que livro encantador, realmente não conhecia e tenho imensa vontade de ler mesmo, parece ser lindo a cada pagina linda, além do mais achei linda essa capa.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oie
    eu adorei a capa e o titulo, muito legal, parece ser uma leitura muito interessante, ainda não conhecia mas com certeza a dica esta anotada

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Eu vi esse livro, mas não tinha sentido vontade de lê-lo pois pensei ser bem levinho. Vendo agora que trata de coisas mais profundas, senti um interesse, mesmo a capa não me cativando muito não rs

    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Oi!!
    Não costumo ler muitos livros de contos, mas pela maneira que você escreveu a resenha dá para perceber que esse livro é muito tocante, faz o leitor refletir.
    A capa chama a atenção e vou confessar que fiquei bem curiosa com relação a leitura, vou ver se consigo ele com a editora.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Quando vi esse livro não imaginei que fosse assim, curioso, eu imaginei algo pesado porque já diziam ser pra maiores de 18 anos mas caramba um estupro é realmente de bater na nossa cara, e adivinhe? fiquei curiosa e leria sim, parece muito bom!

    ResponderExcluir
  8. alguns livros tem cada gatilho que eu fico meio abalada, tbm fico mal por alguns dias.
    gostei da capa, mas não seria um livro q eu leria.
    de qualquer forma gostei da resenha. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥