Resenha: Pensei Que Fosse Verdade - Huntley Fitzpatrick

02 setembro 2016





Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788558890069
Ano: 2016
Páginas: 336
Tradutor: Heloísa Leal
Compre o seu: Amazon - Ebook
Sinopse:Um passado a ser esquecido. Um presente nada promissor. Um futuro a ser conquistado.
“O PARAÍSO À BEIRA-MAR.”
“O SEGREDO MAIS BEM GUARDADO DA NOVA INGLATERRA.”
A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui.
Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.


Olá leitores, 
Vocês devem estar lembrados que há algum tempo eu divulguei por aqui um evento promovido pela Editora Valentina e chamado #VamosLerJuntosPenseiQueFosseVerdade, não é? Pois então, o evento ainda está rolando e eu já fiz a minha leitura há alguns dias, só que por motivos de UFPE, acabei atrasando na publicação da resenha que era pra ter saído na terça-feira, mas saiu sexta. Mas, é como diz aquele ditado: O importante é que saiu! Agora sem mais delongas, vamos a resenha, clique em leia mais e me acompanhe.





       Pensei Que Fosse Verdade me enganou por um momento, não sei por qual razão, mas eu imaginei que iria me deparar com uma trama mais tensa, talvez mais dramática ou com personagens mais problemáticos, mas não. Esse é um YA bem leve, sem muitos dramas e que narra uma história mais realista ou até mesmo trivial.

          A narrativa ocorre em primeira pessoa e nos conta a história da vida de Gwen, pelo seu próprio ponto de vista. Ela é uma garota simples de 17 anos, que mora numa ilha e que como a maioria das garotas da sua idade começa a dar seus primeiros passos em relação a sua vida sexual e como seria de se esperar acaba cometendo alguns erros pelo caminho. Filha de pais divorciados ela divide a pequena casa onde mora com sua mãe, seu avô, seu primo Nick, que foi criado pelos seus pais e está mais para um irmão, e seu irmãozinho Em que é uma criança com necessidades especiais. Seu pai é dono de uma lanchonete na cidade e a família convive bem. Apesar dos poucos recursos financeiros e do excesso de gastos com a saúde do pequeno. Talvez para uma pessoa que viva em outra realidade, a vida de Gwen possa proporcionar uma visão mais interessante, mas para mim que cresci em um núcleo familiar próximo a esse, a vida dela é bem comum e isso acrescentou uma bela sensação de representatividade a leitura. Uma família de classe baixa, que vive numa casa simples, em que todos precisam batalhar pra sobreviver, nada de romantizar pobreza. Ganhou pontos por isso!

         O foco principal da trama é o relacionamento entre ela e Cass. Ele vive numa realidade social completamente diferente da dela, o filho mais novo de uma família abastada, mas o clichê romântico para por ai. O relacionamento deles não é proibido e o que lhes impede de ficar juntos, são alguns mal entendidos que vão sendo expostos e sanados ao longo da narrativa e os tabus adolescentes da própria Gwen em relação à escolhas que fez e coisas que aconteceram . E é basicamente isso que vamos acompanhar nas páginas desse livro, junto a alguns pequenos dramas paralelos de personagens secundários.

        A Escrita da Huntley é muito gostosa, mesmo simples e sem fortes emoções da narrativa flui bem e os personagens cativam, desde a Gwen e o Cass, os protagonistas, até a Senhora E e o Em alguns dos simples coadjuvantes. A ambientação do livro também está maravilhosa e nos permite, praticamente, visualizar o mar e a ilha enquanto lemos. Porém o mais interessante para mim foi a enfase no contraste entre o contexto social dos protagonistas, o que me proporcionou uma leitura bem reflexiva em relação a várias esferas que vão desde a expectativa dos jovens em relação ao futuro, quanto a situação de alguns que recebem muito cedo responsabilidades que não deveriam e que os levam a questionar a possibilidade desse futuro.
A Obra ainda abordou inicialmente, de certa forma, o machismo tão enraizado na sociedade, que louva os meninos que possuem uma vida sexual ativa e tacham as meninas que possuem o mesmo, de promiscuas e vadias. Fazendo com que essas mesmas meninas sejam abusadas, após terem as suas resistências minadas com álcool em uma festa e ainda acreditem que são as culpadas, para mim se a autora pecou em algo na história, foi não ter explorado mais essa parte. Acabou me deixando com uma sensação de impunidade.

         Enfim, Pensei Que Fosse Verdade é um livro leve, que narra uma história cotidiana e realista, sem fortes emoções. Recomendo a leitura pra todos os que curtirem uma história de amor, sutil e que lhe permita relaxar enquanto lê.
O Trabalho gráfico da Valentina está maravilhoso, como sempre, a capa do livro está linda e condiz completamente com o enredo, a diagramação está inovadora, com uma aparência de revista incrível nas folhas de rosto, ficou FABULOSO! A tipografia proporciona uma leitura agradável e não notei erros de revisão enquanto fiz a leitura.

         Espero que tenham gostado da resenha, não deixem de deixar suas opiniões nos comentários e se você também participou da maratona e quer trocar umas figurinhas, pode me chamar no Facebook, adoro conversar sobre livros.

Beijooos ♥

13 comentários:

  1. Olá...
    Primeiramente parabéns pelas belíssimas fotos... s2
    Adoro YA e esse parece ser bem gostoso de ler – já curiosa! No entanto, acho que é um livro daqueles pra ler entre livros de leitura mais pesada...
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Esse evento da editora me deixou bastante curiosa pra conhecer o livro. Não conheço a autora ainda mas os diversos elogios que vejo a respeito dos livros dela têm me animado a dar uma chance, principalmente a esse livro mais recente que parece ser uma leitura bem rápida e agradável por conta da trama leve.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Faz algum tempo que não leio nada YA ou ache algum que me agrade.
    Esse também não é muito diferente dos que já li. Achei legal a diferença que você ressaltou que a escritora não aprofunda muito nos problemas.
    Qaundo se tem perspectivas em relação a alguém (negativas) e que são quebradas no decorrer da história e um ponto a ser levado em conta. O enredo do livro parece ser legal. :)
    Beijos !

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto deste tipo de livro e este tipo de história já que dá para ler em momentos tranquilos sem aquela carga emocional tensa como você achou que o livro fosse ter. E realmente é assim que acontece com esta questão de machismo e ainda mais em uma cultura um pouco diferente onde tem estas festas em casas e as meninas não sei porque pensam em perder a virgindade com outras pessoas diferentes, pelo menos nas americanas é assim, geralmente quando se formam no segundo grau e mesmo assim são sempre taxadas.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Kris,
    Ai que bom que esse livro é leve. Eu tinha a mesma ideia que você que o livro era um drama intenso, mas fiquei tão feliz por saber que não é! Outra coisa que me agradou muito foi saber que o relacionamento dos dois não é proibido, estou tão cansada disso.
    Fiquei bastante intrigada para saber quais são esses mal entendidos.
    Enfim, achei o livro muito interessante e ler sua resenha abriu meus olhos para essa obra e sinto que poderei gostar muito da leitura.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. OLá!! :)

    EU não conhecia este livro mas talvez não leia, porque não faz muito o meu género... Esse tipo de romance não e para mim mesmo! :)

    E muito calmo, e sem emoções fortes, e retratando o quotidiano... Mas ainda bem que gostaste! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu tinha ouvido falar do evento mas não tinha me chamado a atenção. Agora estou me perguntando porque não participei também. Adorei que a autora explorou isso do machismo, mesmo que pouco, porque isso importante. Apesar de que você sentiu uma impunidade e eu fiquei meio receosa da maneira que ela trabalhou isso.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  8. Eu também participei do #VamosLerJuntos da Valentina e confesso que também tive essa impressão quando li a sinopse a primeira vez, de que a história seria mais densa. Tanto que pensei que fosse com adultos, só quando o livro chegou que eu vi que era YA.

    Eu simplesmente quero um Cass e um Em para mim e OOOOODIEEEEI A VIC, pelo amor de Deus, não deu para entender aquele plot twister no lual.

    Paraíso Literário

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Realmente me parecia que a história seria mais densa, mas fico feliz de encontrar mais um YA leve para desfrutar num dia mais calmo. Gosto de narrativas que sejam gostosas, mesmo sem dramas excessivos e estou anotando a dica. Parabéns pela resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá, a sua resenha está maravilhosa, parabéns.
    já estava sabendo do desafio da valentina mas infelizmente não pude participar, mas o livro parece ser uma leitura bem legal para quando você acaba de ler um livro muito forte e só quer algo leve para relaxar, fiquei triste com o fato da autora não explorar mais o assunto do machismo que eu acho que é um tabu que devemos falar todo dia para ser quebrado.

    ResponderExcluir
  11. Vi a campanha que a editora fez em relação a esse livro, mas confesso que a história não me chamou atenção, tive a impressão ser mais do mesmo e lendo sua resenha confirmei isso. Fico triste quando os autores perdem a oportunidade de abordar algo de forma mais profunda, parece medo de não dar conta do assunto, sei lá, sem contar que o assunto que poderia gerar reviravoltas na história, quem sabe?! Acho incrível o trabalho editorial da Valentina <3
    Beijo

    http://capsuladebanca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, Kris.
    Eu lembro de quando o projeto Vamos ler juntos foi divulgado. Até tinha ficado interessada por causa dessa interação entre os leitores.
    Apesar de ser um livro leve e com uma narrativa fluída, não sei se leria o livro, afinal romances não estão na minha lista de leituras.

    Confissões de uma Mãe Leitora

    ResponderExcluir
  13. Heeey, como vai? Gostei muito da sua resenha! Adorei saber tua opinião sobre esse livro, que estou bem ansiosa para ler. Gosto de tramas mais leves e realistas, e em se tratando de um YA, que é um dos meus gêneros favoritos, sei que irei gostar. Espero fazer a leitura muito em breve.
    Ah, essa capa é maravilhosa.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥