Resenha: Quando Finalmente Voltará a Ser Como Nunca Foi - Joachin Meyerhoff

15 agosto 2016




Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859974
Ano: 2016
Páginas: 352
Sinopse:Isso é normal? Crescer entre centenas de pessoas com deficiência física e mental, como o filho mais novo do diretor de um hospital psiquiátrico para crianças e jovens? Nosso pequeno herói não conhece outra realidade - e até gosta muito da que conhece. O pai dirige uma instituição com mais de 1.200 pacientes, ausenta-se dentro da própria casa quando se senta em sua poltrona para ler. A mãe organiza o dia a dia, mas se queixa de seu papel. Os irmãos se dedicam com afinco a seus hobbies, mas para ele só reservam maldades. E ele próprio tem dificuldade com as letras e sempre é tomado por uma grande ira. Sente-se feliz quando cavalga pelo terreno da instituição sobre os ombros de um interno gigantesco, tocador de sinos.
Joachim Meyerhoff narra com afeto e graça a vida de uma família extraordinária em um lugar igualmente extraordinário. E a de um pai que, na teoria, é brilhante, mas falha na prática. Afinal, quem mais conseguiria, depois de se propor a intensificar a prática de exercícios físicos ao completar 40 anos, distender um ligamento e nunca mais tornar a calçar o caro par de tênis? Ou então, em meio à calmaria, ver-se em perigo no mar e ainda por cima derrubar o filho na água? O núcleo incandescente do romance é composto pela morte, pela perda do que já não pode ser recuperado, pela saudade que fica - e pela lembrança que, por sorte, produz histórias inconcebivelmente plenas, vivas e engraçadas.


Resenha

       Quando Finalmente Voltará A Ser Como Nunca Foi - A loucura está do lado de dentro ou de fora? É uma obra grande, assim como o seu título, não falo no sentido de longo, ou de ter muitas páginas e sim no de profundidade e conteúdo. Assim que comecei a fazer a leitura postei uma foto da capa do livro e disse que me identificava com esse título e várias pessoas confessaram que sentiam o mesmo e eu não me surpreendi. Acho que é inerente do ser humano almejar por uma mudança, ou está mergulhado em nostalgia, sempre em busca de uma realidade fantasiosa, pela realidade de outrem, "a grama do vizinho sempre é mais verde" mas, no fundo a gente sabe...
       Vocês devem estar pensando: "essa resenha tá começando estranha..." desculpem é que o livro me fez refletir muito e consequentemente tô aqui filosofando. Hauhauhauahua

         Enfim, a obra nos narra a história de Joachin, sim o protagonista do livro tem o mesmo nome do autor, o que acabou não me permitindo desvincular um do outro, mas não o livro é uma ficção e não uma biografia, porém eu acredito que quando o autor empresta o seu nome para um personagem tem muito dele ali e vice-versa. Um alter-ego, talvez? Quem sabe, mas que fique claro que essa parte é uma especulação minha. Continuando o menino Joachin é, digamos, que uma criança no minimo peculiar na primeira história nos contada, percebemos nele uma imensa fascinação pela morte, assim como um modo de agir diferente do habitual quando diante dela. E esse é um encontro que presenciaremos diversas vezes ao longo da trama, mas, não é só isso o que faz de Joachin um menino diferente, o lugar que ele mora também é muito interessante. Ele é filho de um médico psiquiatra e mora dentro de um hospital psiquiátrico. Por isso boa parte das histórias contadas no livro, nos relatam o dia-a-dia não só de sua família, mas também dos pacientes do sanatório. 

       A história é narrada em primeira pessoa por Joachin e não segue uma ordem cronológica, o personagem passeia por suas memórias e assim vai dividindo conosco acontecimentos, sentimentos e questionamentos. É comum durante a leitura identificar semelhanças entre a família de Joachin e as nossas, alguns hábitos familiares, estereótipos e padrões parece que são recorrentes independente de origem, credo, raça ou posição social. Um pai acomodado, uma mãe com excesso de funções e que cansada reclama, uma hierarquia no bullying fraternal onde o mais novo geralmente se ferra, a banalização dos problemas alheios, entre outras coisas. Muitas vezes o comportamento dessa família nos faz questionar o que define o limite entre sanidade e loucura. O convívio com essas duas realidades tão de perto, entre as páginas da história nos permite ver o nítido contraste, entre uma e a outra e isso faz com que aquela frase de que "De louco todo mundo tem um pouco." ecoe na nossa mente.

        A Escrita do Joachin é leve e a leitura flui facilmente, ao mesmo tempo o autor tem uma pegada que vou chamar de "mais filosófica" que acrescenta uma grande profundidade a sua estória, algo que percebi ser bem comum na escrita alemã. Os personagens são bem desenvolvidos, uns mais do que outros, mas sem dúvidas o nosso protagonista, mais que todos. 
      O trabalho editorial da Editora Valentina está maravilhoso, desde a diagramação a revisão. A capa do livro pra mim é fascinante e remete exatamente ao conceito do que a história quer passar, questiona, faz pensar, leva o leitor para o cerne do mundo de Joachin.

       Enfim, a leitura do livro foi maravilhosa, diferente de todos os livros que eu já li, me levou a pensar sobre assuntos sobre os quais eu normalmente não me questiono e com certeza me deu conteúdo que eu levarei para o resto da vida. Recomendo a leitura, para quem gosta de obras mais profundas e densas. Eu com certeza quero ler mais obras escritas pelo autor.

      Não deixem de deixar suas opiniões, dúvidas e/ou contribuições nos comentários. Obrigada pela visita e Beijos.

18 comentários:

  1. Olá
    gostei bastante dos seus comentários, especialmente por descrever aspectos que eu mesma, quando fiz a leitura dele, também senti. Achei a leitura maravilhosa, apesar de diferenciada. E ainda sou apaixonada por essa capa.
    beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Ainda não tinha lido nada sobre esse livro, mas ele chamou a minha atenção justamente por ser mais denso e profundo. É no mínimo inusitado crescer em meio ao não tão comum, mas é esse fato que com certeza faz o personagem ter uma visão diferente da realidade em si. Não gostei muito dessa capa, mas a história com certeza vale a pena.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  3. OI, ontem foi a primeira vez que eu ouvi falar deste livro e achei o nome estranho. Hoje, lendo a sua resenha, penso que eu deveria ter dado mais atenção à obra. Acho que a abordagem do tema deve ter disso feita de forma impactante e eu gosto disso.
    Espero ler em breve.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Kris, tudo bom? Achei o título do livro logo de cara fascinante e concordo com as reflexões que você teve acerca dele o ser humano sempre está em busca de algo, sempre achando que o do outro é melhor. Infelizmente é uma condição bem complicada e que nos tira a paz muitas vezes.
    Achei promissor o enredo e curioso o lugar onde o protagonista vive. Vou adicionar esse livro as minhas próximas leituras.
    Bj

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Não conhecia a obra, mas achei o enredo muito instigante e diferenciado, realmente fiquei curiosa para saber mais sobre a história e quais reflexões esse livro parece trazer. Vou anotar a dica e achei sua resenha maravilhosa.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  6. Ola Kris quando vi esse lançamento fiquei muito curiosa com o livro e o tema abordado, afinal para nosso protagonista ele vive na normalidade de seu mundo, e através dos olhos de muitos, vivia em meio a loucura. O fato do livro nos fazer refletir é um dos pontos que mais gosto e acredito que acrescente muito ao leitor essa reflexões. Com certeza irei ler. beijos

    Joyce
    wwww.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Kris, tudo bem?
    Pela sua resenha esse livro parece intrigante, já que você diz que a obra é longa em questão de profundidade e conteúdo e histórias assim sempre acabam marcando os leitores de alguma maneira.
    Também acho esquisito quando os autores emprestam seu nome para os personagens, mas não levo isso muito a sério.
    Não consigo imaginar o que o protagonista é obrigado a ver em sua rotina diária, já que mora em um hospital psiquiátrico e é fascinado pela morte. Adoro personagens 'estranhos' então fiquei bem curiosa sobre a obra.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda não li esse livro mas estou muito curiosa com ele. Gostei muito de ver seus comentários sobre a obra e sobre a leitura, acredito que as mensagens encontradas no livro tragam momentos de reflexão. Espero poder fazer uma boa leitura pois estou mesmo com grandes expectativas

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Achei o livro bem interessante e gostei de saber que o personagem e o autor possuem o mesmo nome. Outra coisa que gostei foi que a história parece ser bem diferente e agradável.
    Depois de uma resenha tão incrível não poderia nao querer ler o livro. Dica anotada. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oiee ^^
    Eu tinha vontade de ler este livro por causa da capa e do título...kkk' mas não fazia a menor ideia sobre o que ele tratava *-* Eu não imaginava que a obra fosse tão completa assim, gostei bastante da premissa, e saber que você gostou tanto, e que o livro te fez refletir me deixou animada. O protagonista parece ser mesmo bem diferente... Gostei.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Estou meio que fugindo de leituras densas, mas achei incrível o tema abordado pela obra e fiquei completamente intrigada.
    Adorei a resenha e com certeza espero ter o mesmo sentimento que você.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Só pela capa o livro já me chamou atenção, o título é longo e adorei saber que faz jus à obra devido a sua profundidade de emoções. Sem dúvidas vou querer ler o livro e adorei sua opinião, que ótimo que o livro tenha te agradado tanto e te trouxe momentos de reflexões.
    www.virandoamor.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Kris

    A capa desse livro é interessante e esse nome é realmente enorme! hahaha
    A leitura de fato parece interessante e acredito que a parte mais reflexiva seja muito válida e eu gosto de histórias que me fazem pensar. Eu só não curto mesmo a história em si pelo pouco que conheço dela, através da sinopse e das resenhas.
    Fiquei curiosa em relação ao protagonista e sua personalidade peculiar, mas creio que não seja suficiente para me fazer ler o livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oie...
    Confesso que achei o título tão atrativo que compraria a obra sem mesmo ler a sinopse.
    Pelo que você mencionou na resenha, acredito que esse livro seja daquelas obras bem profundas e que nos tiram o chão, fazendo questionamentos que antes não passavam pela nossa cabeça.
    Achei a ideia do autor muito genial e com certeza vou adquirir o meu exemplar.
    Dica anotada!

    ResponderExcluir
  15. Oi, adorei o livro e a capa, mas o enredo é o tipo de história que estou correndo no momento. Li tanto livro pesado, cheio de história triste e que me fez refletir muito sobre a vida ano passado que este ano estou lendo mais ficção, terror, etc. Gostei de saber que é um livro que deixa marcas depois da leitura, um livro assim nunca acaba, vive dentro de nós e isso é muito bom. Com certeza mais para frente lerei essa história que parece ser muito emocionante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Sua resenha me deixou bastante intrigada em relação a trama. Confesso que quando vi a capa do livro não imaginava sobre o que se tratava o enredo, mas agora que eu sei, minha vontade aumentou mais ainda. Gosto de livros reflexivos. Sua resenha está ótima!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  17. Confesso que você conseguiu me conquistar no fato da obra fazer refletir, é tão difícil achar uma obra assim que ao se ver algo do tipo inevitável não surgir uma vontade de ler e conhecer. Sem falar desse título tão diferente e ao mesmo tempo que leva a tantos a refletir... Realmente é uma obra que me despertou o interesse de saber mais sobre os temas abordados e como isso levará a chegar no ponto de reflexão. Espero conseguir ler em breve. E, obrigada pela dica!
    Um beijo
    www.brookeebells.com

    ResponderExcluir
  18. Oi Kris!

    Há muito tempo eu havia lido uma resenha desse livro e ela não me encantou tanto assim. A sua, no entanto, me chamou muito a atenção. Fiquei tentada a conhecer Joachin, sua obsessão pela morte e essa estranha rotina de morar em um hospital psiquiátrico. Fiquei curiosa também em relação aos seus comentários sobre a família dele. Espero poder realizar essa leitura e aprender tanto quanto você. Obrigada pela indicação.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥