Resenha: Menina Má / The Bad Seed - Willian March

23 maio 2016




Edição: 1
Editora: DarkSide® Books
ISBN: 9788566636819
Ano: 2016
Páginas: 272
Tradutor: Simone Campos
Sinopse:Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã. Em menos de um ano, MENINA MÁ ganharia uma montagem nos palcos da Broadway e, em 1956, uma adaptação ao cinema indicada a quatro prêmios Oscar, incluindo o de melhor atriz para a menina Patty McComarck, que interpretou Rhoda Penmark.
Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.
MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.



Menina Má é sem dúvida alguma uma obra avant gard, pois se essa temática de psicopatia infantil é tabu até nos dias atuais, onde comumente "o mal" se apodera das crianças apenas por obra de forças malignas e onde quase nunca se fala em psicopatia como algo patológico, imagina em 1954, época em que esse assunto vinha apenas começando a ser estudado? 
Mesmo não sendo o precursor dessa temática em romances, havendo sido precedido pela Rainha do Crime, Agatha Christie, que abordou essa temática em um dos seus mais renomados romances policiais em 1949, foi sem dúvidas Willian March quem mais se aprofundou no assunto. Tendo claramente recebido uma forte influencia freudiana para lidar com essa temática e também com outras que são levemente mencionadas como características superficiais em outros personagens. A obra, hoje, apresenta alguns viés que são facilmente tido como primitivos em relação as causas e consequências da psicopatia infantil. 

A Escrita de Willian March é completamente envolvente, muito bem detalhada em relação a construção dos fatos e ao desenvolvimento dos personagens, sem tornar-se cansativa ou enfadonha em momento algum, algo que poderia se esperar de uma obra escrita a tanto tempo atrás. Os personagens, até os mais secundários são de uma complexidade evidente, o que acaba por enfatizar a carga dramática por trás das suas experiencias em relação a trama. Apesar de deter o foco do romance, essa "semente ruim" o protagonismo da narrativa não recai sobre Rhoda e sim sobre Christine, sua mãe e quais as atitudes ela deve tomar para proteger o mundo da sua vida. Rhoda é uma psicopata clássica e isso fica claro logo no início da leitura, quando uma de suas professoras nos traz uma breve descrição sua:
Rhoda era uma das alunas mais satisfatórias que a escola já tivera. Nunca faltara um dia sequer; nunca se atrasara, nem mesmo uma vez; era a única criança na história da escola que havia tirado nota máxima em comportamento todos os meses, dentro da sala, e nota máxima em independência e conservação do material escolar todos os meses, no pátio do recreio, no ano passado.

Christine, a mãe é uma personagem se comparada a filha de inteligência mediana e até mesmo, bastante manipulável durante boa parte da história. Ela é uma personagem que reflete muito ao longo da narrativa e nos leva a refletir com ela. Nos leva a nos questionar sobre o que é certo e errado, se temos mais obrigações com a sociedade ou de proteger a nossa prole?

O que faríamos se fossemos os pais de Rhoda, não nos dias atuais, onde a modernidade já nos deu melhores meios para lidar com esse problema, mas na época em que ela vive, em meados dos anos 50?

Acredito que esse é o ponto alto dessa obra de Willian March, ela é questionadora, nós faz olhar pra nós mesmo e até mesmo observar melhor os nossos filhos. E sempre sob uma perspectiva mais realista e plausível, uma vez que é mais provável que nos deparemos em algum momento de nossas vidas com uma criança psicopata, do que com uma criança possuída por um demônio.

Vale enfatizar aqui uma coisa: Esse não é um livro de Terror, então se você queria ler, mas tava com o pé atrás por causa disso, não fique. O Livro fica ali entre o mistério e o suspense, nos faz prender o fôlego durante algumas partes, mas não chega a causar medo.

O Trabalho gráfico da DarkSide Books, mais uma vez está excepcional, o livro é perfeito em cada mínimo detalhe, desde a capa espetacular, aos entalhes minuciosos da diagramação. A revisão da editora como sempre é impecável, sem nem uma letrinha fora do lugar. O que só nos prova a razão da Editora crescer e atrair tantos fãs a cada publicação.



O Livro x O Filme

Antes de começar a falar sobre essa parte, preciso enfatizar que Filmes de Horror/Suspense protagonizados por crianças sempre me atraíram mais do que os filmes protagonizados por monstros, espíritos, etc. Por que? Pela maior possibilidade, talvez? Eu nunca cruzei na vida com um monstro como Freddy Krueguer ou Jason, mas em compensação com quantas menininhas parecidas com a Rhoda, ou quantos menininhos que nos lembrem o Damien (A profecia) nós já cruzamos ao longo de nossas vidas? Em algum momento de nossas vidas nós teremos que conviver com crianças. Teremos que dizer não a elas. E se alguma delas tiver essa Bad Seed??? (Olha eu 'viajando' outra vez).
Mas, acho que me fiz entender. Crianças são um dos ingredientes de sucesso para filmes de Terror.


The Bad Seed estreou na Broadway e posteriormente foi levado aos cinemas, junto com a maioria do elenco da peça original, devido ao grande sucesso. O Filme The Bad Seed, que aqui no Brasil recebeu a ridícula tradução de A Tara Maldita (pelo amor de deus, como pode???) é uma adaptação do romance e oscila bastante entre a fidelidade de algumas cenas, onde até mesmo os diálogos são idênticos ao do livro e a total discrepância de outras. De maneira que há personagens presentes no filme que não atuam no livro, ou não chegam nem a ter falas. 

Outra diferença marcante, para mim, foi a personalidade de Rhoda que acaba por ser de certa maneira diferente, como se no filme houvessem acrescentado uma dose de perversidade que não está presente na obra literária, onde ela se comporta de forma mais apática e alheia as pessoas ao seu redor, como se essas não a importassem, só vindo a se indignar em um determinado momento já próximo ao fim. Algo que ao meu ver consiste bem mais com a sua personalidade sociopata. Enquanto no filme, quando está sozinha com LeRoy ela se comporta de maneira extremamente hostil.

Este foi o primeiro filme a usar uma criança como vilã, o que vocês podem deduzir que causou um grande frisson no cinema americano e levou a que o diretor, pressionado pela censura (The Motion Picture Production Code) modificasse a cena final, que inicialmente seria igual ao do livro, para uma bastante "fantástica" se posso assim dizer. O Filme também não se encaixa no gênero terror, e sim num suspense noir.

Enfim, recomendo muito a leitura do livro, principalmente para os aficionados por suspense, romances policiais, cinema noir, pois para esses sem dúvida esse é um clássico que eles precisam ter na estante. Assistam o filme, também é um clássico do gênero.

Espero que vocês tenham curtido a resenha, essa foi uma leitura maravilhosa e que muito me agradou, espero que vocês se animem a trocar figurinhas comigo nos comentários. 
Beijos.

20 comentários:

  1. Olá Kris

    Não sou fã do gênero mas desde que vi à Darkside anunciar esse já quis. Fico muito mais feliz em saber que é uma obra que trás um lado diferente e até mesmo reflexivo. Essa capa também está espetacular e não sabia sobre esse filme é nem que foi o primeiro a usar uma criança como vilã. Só esperar uma oportunidade para poder ler.

    Everton equipe Rillismo

    ResponderExcluir
  2. Eu estou muito ansiosa por essa leitura, apesar de não saber quando irei lê-lo. Adorei a capa e a premissa parece ser ainda melhor. Sou suspeita para falar, mas amo esse gênero e por isso estou tão empolgada sabe. Imagino mesmo que o trabalho da Darkside deve estar incrível. Não tinha conhecimento sobre o filme, mas meu interesse aumentou ainda mais por conta disso. Espero ler logo. Obrigada pela indicação.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. Oi Kris, tudo bem?
    Essa edição da Darkside está maravilhosa né? Como sempre eles arrasaram.
    Achei a premissa dessa história bem interessante, principalmente pra mim que sou apaixonada por um bom suspense.
    Achei muito legal o fato de se tratar de uma criança, pois acredito que deixa a leitura mais sombria.
    Espero ler em breve e me surpreender com essa história.


    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  4. Não sabia que esse livro era tão antigo e muito menos que existia um filme baseado nele. Li um livro que abordava psicopatia infantil e foi algo muito perturbador para mim, então não pretendo passar por algo parecido novamente. E pra mim não tem questionamento, essa coisa de proteger a prole que nasce doente desse jeito, e muitas vezes ameaça até os próprios pais, é algo inconcebível na minha opinião. Uma criança dessas precisa de ajuda profissional imediatamente. Não leria e não veria o filme.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  5. Eu conecia o filme mas não fazia ideia de que era baseado em um livro. Não curto esse gênero e só leio quando algum me desperta um enorme interesse, mas geralmente eu morro de medo e não consigo ler. Mas esse, eu tenho vontade de ler, acho que toda essa história deva ser muito impactante ao ler e realmente tenho curiosidade, mesmo não gostando dessa proposta ou desse tema, essa coisa de crianças assim, não é pra mim.

    ResponderExcluir
  6. Molier, o que é essa capa que você colocou n aresenha??? Medo demais dessa menina piscando... Adorei sua resenha porque até então, eu achava que o livro era de terror, por isso nem cogitei a leitura, mas você disse que é misterio e suspense,, e isso eu encaro de bboa.
    Dica anotada e espero ler em breve!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Adoro os lançamentos da Darkside e confesso que já estava com muita vontade de ler Menina má, mas depois da sua super resenha, claro que fiquei ainda mais tentada.
    Não tive a oportunidade de assistir o filme também.
    Mas voltando a temática do livro, interessante ver tanto mistério e suspense rodeando um garotinha e essa "semente ruim" realmente é algo desafiador.
    Preciso ler em breve
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  8. Tô de olho nesse livro desde o lançamento, mas ainda não tinha parado pra ler nenhuma resenha, a sua é a primeira, e gostei do que li!
    Nem sabia que tinha filme, haha.
    Bom saber que a escrita do autor é envolvente, não sabia que tinha sido publicado antes.
    Você ter dito da criança vilã me lembrou A Orfã, outro filme que amo!
    Não sei se acho bom ou ruim o livro não ser de terror, haha, pois amo o gênero!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Gente eu não conhecia essa historia ainda e fiquei bem chocada pm a premissa e o tema abordado. E imagino que na época que foi escrito esse tema era ainda nais assustador pois a análise feita sob a criança etar possuída e não ter nascido com o caráter mal era sem sombra de dúvida a maior justificativa.
    Recentemente eu comprei uma revista da super interessante contanto a história de alguns psicopatas. Tinha um em especial que foi um menino que sequestrou uma criança menor, de uma surra na criança e depois kohoj ele na linha do trem. È assustador imaginar uma criança com essa capacidade. E isso só me fsz refletir sobre se há esperança para a nossa espécie.
    Voltando ao livro eu quero ler ele o mais breve que eu puder pois realmente fiquei curiosa com a história. E só vou querer ver o filme depois.
    Bj

    ResponderExcluir
  10. Olha eu vi esse livro sendo lançado pela DarkSide e sinceramente eu achei a capa bem assim o tanto quanto diferente e fiquei pensando sim que era um livro de terror, já que o ponto mais forte deles é esse na editora. Mas mesmo assim eu acho que não leria esse livro, porque não faz muito meu estilo sabe? Eu sou bem impressionada com algumas coisas. Já vi esse filme sobre Damien e meu Deus do céu, só de lembrar me dá arrepios. rs...Mas hoje em dia eu nem vejo mais esse tipo de filme, porque eu não gosto mais mesmo e porque sou medrosa. Eu via muito quando eu era mais nova, agora eu passo longe. Mas mesmo assim achei boa sua resenha e tudo que abordou. Espero que outros leitores curtam o genero e deem a oportunidade de fazer a leitura do livro =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/05/resenha-orange-ichigo-takano.html

    ResponderExcluir
  11. Que bom que o livro pesa mais para o suspense, que mesmo sendo outro gênero que não costumo ler é mais tragável, vi muita gente surtando com esse livro e agora entendi o porquê e o que ele significa na cultura pop em geral, principalmente se tratando de filmes de terror/suspense e fico pensando no tanto de censura que o livro e filme já devem ter passado por trazer a temática tão séria a partir de uma criança.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Eu acho que esse assunto é realmente um tabu ainda, porque muita gente custa acreditar que existem crianças psicopatas e sociopatas. Me interesso muito por esse livro, sei que ele não é de terror, mas quero mesmo é saber como foi abordada a história. Adorei a sua resenha, ela é instigante haha beijo!

    ResponderExcluir
  13. Oi, essa resenha me deixou de cabelo em pé. Esse livro tem uma escrita muito pesada, ele foge dos meus costumes de leitura leve e fofa. Eu nunca li livros com crianças com DEMO, então esse poderia até ser o meu primeiro, mas não acho que iria me agradar.

    Beijos, Alice
    https://www.blogmixbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi!!

    Kris, eu não assisti o filme e tenho tentado mesclar o meu estilo literário. Embora ame romances policiais esse realmente me dá certo receio, e creio que você tenha respondido a esse "receio" na sua resenha: pelo psicopata ser uma criança. Não estou dizendo que não existem psicopatas crianças, afinal eles já foram crianças e nessa fase agiram como tal, mas ainda é inacreditável em como a maldade esta arraigada em algumas pessoas. Não sei se esse mal já nasce com elas ou incorporam, mas concorda comigo que é anormal tal realidade. Escrevi tudo isso, rs, para dizer que pretendo ler essa obra. Beijos!!

    ResponderExcluir
  15. Olá, sabe que desde o lançamento desse livro eu já fiquei hiper curiosa com ele. Só é uma pena que não tive oportunidade de ler ainda, mas com certeza está na minha lista. Adoro um bom suspense de tirar o fôlego, pela sua resenha ele é ótimo!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  16. Oiii!!

    Kris, eu não li essa obra ainda é como vc mesmo disse, estava morrendo de medo de ser terror, saber que é mais suspense me ganha.
    A capa me ganhou e esse gif ficou ótimo.
    Acho que é mesmo uma obra muito a frente do tempo.gostei bastante da resenha e da comparação com o filme.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  17. Oi querida, tudo bem?

    Por favor, me diz que Darkside não encontrou uma forma dessa boneca realmente piscar os olhos no livro físico.
    Eu fiquei chocada com essa fotinha ao lado da sinopse. Hahaha

    A trama do livro é sensacional, pela sua resenha parece ser muito bem escrita e desenvolvida, assim como a mesma. Mas não sei teria coragem de ler esse livro. Coisas de terror que envolvem crianças é assustador além dos meus padrões, não dou conta. E o filme, obviamente eu não assisti porque não sei lidar com esse tipo de coisa. Hahaha

    Mas enfim, sua resenha ficou linda e muito bem escrita. Parabéns!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bom?

    Eu estou ansiosa para essa leitura desde que a Darkside Books anunciou que lançaria esse livro. Eu nunca assisti ao filme, mas também acho incrível quando as crianças são as "vilãs" da história, sabe? É muito assustador para mim. Quando ao livro, fico realmente pensando sobre o que faria se eu estivesse no lugar da mãe, já que é uma situação horrível, na verdade.

    Enfim, sua resenha ficou ótima! Obrigada pela dica ;)

    Beijos!

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Ola Kris confesso que a premissa leva o leitor a pensar que seria um livro de terror, mas lendo sua resenha fiquei muito interessada no livro, a capa está linda e imagino o capricho que a Editora sempre tem com seus livros, realmente é um caso a se pensar como lidar com uma filha como essa e que atitudes tomar. Quero ler com certeza. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  20. Oi Kris,
    eu tenho que confessar que sempre tive medo dos filmes cujos personagens macabros eram representados por crianças, nunca havia entendido o porque, mas agora que você falou, a maior possibilidade é uma justificativa plausível. Fico feliz em saber que o livro não chega a dar medo, esse era um dos meus receios para com a leitura, não sou medrosa nem nada, mas como havia dito, personagens infantis macabros me assustam e muito. Agora estou mais tranquila quanto a leitura que pretendo fazer em breve.

    Abçs
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥