Resenha: O Busto de Adão e Outras Poesias - Bruno Félix

07 abril 2016


Edição: 1
Editora: Chiado
ISBN: 9789895128105
Ano: 2015
Páginas: 127

Sinopse:

Com um estilo moderno e irreverente, o autor destila ensinamentos de sabedoria em boa parte da obra, permeada ora por poemas de amor, ora por ácidas e bem humoradas críticas sociais. Tudo isso acontece em uma conexão dos poemas, seja através de lugares e situações, ou de riquíssimos personagens que interagem em diferentes poemas, todos escritos sob o olhar honesto do poeta, ou seja: um espelho de sua realidade e vida.
O “Livreto de Sonetos” traz um colorido especial à obra, agradando ao leitor mais purista, não se limitando aos tradicionais sonetos de amor.
Antes de finalizar a obra, com os quatro cantos de vinte quartetos, cada da moderna epopéia “O Busto de Adão”, o poeta presenteia o leitor com um suave e surreal “Caderno de Haikai” que apresenta brilhantes metáforas agregando ao livro uma graciosa leveza.
As ilustrações de Arthur F. Pádua são poesias à parte, tornando a experiência de leitura ainda mais agradável.


Resenha

O mineiro Bruno Félix traz em sua estréia literária pela editora Chiado, O Busto de Adão e Outras Poesias, toda sua vivência, de músico à menino de vila, de maneira que ao ler o seu livro eu senti que adentrava a sua intimidade. 
Como uma professora que descobre o menino que escreve poesias e desenha em seu caderno durante as aulas de química e as ilustrações em preto e branco do também mineiro Arthur F. Pádua reforçam essa sensação.

Dividido em uma primeira parte sem título, “O Livreto dos Sonetos”, “Caderno de Haikai” e finalizando com “O Busto de Adão”, Bruno não se atém a uma única temática, passando por histórias de amor, críticas sociais e lembranças de infância, que trazem a sensação perfeita da lembrança da vida na vila ao leitor.

São poesias simples e sinceras, algumas com recurso visual, outras com aspecto mais tradicional, como no Livreto de Sonetos,  onde o autor expressa o mundo a sua volta de forma extremamente honesta, por vezes impactante.
Como provinha, pra finalizar, deixo pra vocês o texto que mais me chamou atenção no livro:

Soneto ao Poeta
Meu caro poeta,
Me diz por favor
Cadê sua musa,
Cadê seu Amor?

Cadê a tristeza,
Cadê sua dor?
Cadê a beleza,
De um novo amor?

A pena,
A prosa,
O pranto?

O copo,
O corpo,
A culpa?



4 comentários:

  1. Eu amo poesia!
    Sua resenha ficou linda, mostra o quanto o livro tocou você, sente se em suas palavras a levez da poesia que o livro traz.
    Por outro lado, eu também amo crônicas acidas! E juntando estas duas coisas em um mesmo livro, com certeza tem tudo pra me ganhar.
    Eu não conhecia o autor, vou pesquisar mais do trabalho dele,pois adorei o poema Soneto ao Poeta.

    www.detudopouco.com.br

    ResponderExcluir
  2. Adoro poesias e amei a forma como você escreveu essa resenha. Fiquei encantada pela obra! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Tudo bem?
    Gostei e me surpreendi muito com a resenha, de um temo pra cá me afastei muito de poesias, porém essas tem um estilo muito peculiar, né?

    Já quero! Bjs!
    www.isaaczedecc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Embora eu adorei poesias não costumo ler muitos livro do estilo. Achei super interessante o livro e adorei sua resenha, me deixou na maior vontade de ter o livro aqui na estante :)
    Beijinhos,
    Lica
    http://amoreselivros.com.br

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥