Resenha: Graffiti Moon – Cath Crowley

04 março 2016



Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859226
Ano: 2014
Páginas: 240
Tradutor: Marina Slade
Sinopse:
Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.
Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?
O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.
A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.
Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.


Resenha

A Leitura de Graffity Moon foi uma maravilhosa surpresa! Comecei a fazê-la sem muitas expectativas e após algumas páginas viradas, eu já me encontrava imersa na história.
A história narra uma aventura frenética que se desenvolve em pouco mais que uma noite, enquanto um grupo de amigos, ou talvez não tão amigos assim, comemora o fim do colegial. 

Nela acompanhamos os Jovens Ed e Lucy num reencontro visceral, alguns anos após um primeiro encontro drástico e anos de afastamento, acompanhados por seus amigos: Jazz, Leo, Daisy e Dylan. A História começa quando Lucy, convencida por Jazz, sua melhor amiga e a mais louca, decide sair em busca do cara dos seus sonhos: Sombra, um grafiteiro que ela nunca viu na vida, mas que a conquistou com suas obras, que sempre esboçam em si a confusão interior do artista, numa miscelânea de cores e sentimentos. Ele trabalha sempre em dupla com alguém que assina como Poeta e poucas pessoas conhecem as suas reais identidades. Enquanto Sombra desenha com a alma, Poeta escreve com o coração e essa dupla espalha sua arte pelas madrugadas da Austrália, por isso quase ninguém sabe quem eles são.

O resumo da história pode parecer bobo, mas é porque eu preferi ser superficial nele e assim permitir aos futuros leitores que eles se surpreendam com a atmosfera que essa história nos proporciona. Eu terminei a leitura completamente deliciada. Primeiro porque a trama transpira Arte, mesclando várias vertentes desde à arte de rua em forma de grafite, passando pela arte moderna onde conhecemos o trabalho de alguns pintores contemporâneos, às descrições do trabalho que a Lucy faz com vidro e culminando com a varias referencias a poesia de Bukowski ao longo da narrativa. É isso aí, Eu falei Charles Bukowski. É notável a influência da poesia do velho safado no desenvolvimento da história.Então como eu poderia não amar essa obra?

“Aqui
Ela diz que vai me perdoarDiz que só dessa vezDiz vai em frente e me beijaDiz enrola o meu cabeloDiz era isso mesmo que eu estava procurandoDiz que está feliz porque o frio chegouEu digo que quero vê-la amanhãEla aponta o dedo pro céuE diz que é aqui” - Poeta

O livro é uma história de adolescentes e é narrado pelos pontos de vista de três adolescentes, Lucy, Ed e algumas vezes recebemos a história através de uma poesia do Poeta.
A narrativa é intensa, ou como eu melhor defini no início da resenha frenética, como a noite de Lucy, que trafega da nostalgia ao perigo em poucos minutos. A poética do livro é tocante, não só nos momentos que nos deparamos com os escritos do Poeta, mas também na maneira que a autora descreve os acontecimentos e o trabalho do Sombra. Ela encaminha o texto de uma maneira doce e vai nos encantando aos poucos, nos emociona, faz rir e vibrar de expectativa pelos próximos acontecimentos. É improvável que você não se deixe cativar pelos personagens, cada um tenha suas próprias características peculiares e são muito fáceis de identifica-los se não com nós mesmo, com alguém que conhecemos e amamos, até o vilão que aparece na história é estranhamente engraçado e interessante. 

Lucy é uma protagonista muito interessante, uma artista nata, que começou a se descobrir trabalhando com o vidro. Ela é determinada e tem o temperamento super forte, encantou-se com o trabalho do sombra, por conseguir ler nas entrelinhas dos desenhos dele, as mensagens interiores do artista e ver nelas tudo aquilo que ela desejaria em um parceiro. 
“Pode me beijar, eu penso. Vamos lá me beija. Pelo menos passa a mão na minha bunda. Não é muito Jane Austen da minha parte, mas hoje à noite eu percebi que Jane Austin tem hora e lugar.” – Lucy 

Ed é um garoto problemático, mas ainda assim responsável, foi criado apenas pela mãe e após ter algumas dificuldades na escola, resolveu largar tudo e trabalhar para ajudá-la nas despesas da casa. Acabou o namoro recentemente, perdeu a pessoa que ele tinha mais próximo a imagem de um pai e desde então, vive imerso na própria cabeça, onde se esconde em seus segredos. 

“As portas trancadas levam ao céu. Ele se espalha pelo teto do trailer azul mudando para branco e voltando para azul. De algum modo os pássaros sabem que as portas trancadas são as que conduzem a um bom lugar.” – Ed

Amei a escrita da Cath, espero ter a oportunidade de ler outras obras dela. A narrativa foi conduzida de uma maneira muito agradável e trouxe ao longo do seu texto várias informações que foram um atrativo a mais no conjunto. E se tudo isso não fosse bastante, o livro ainda aborda temas fortes, como a ausência da figura paterna, a conciliação do trabalho e da vida escolar na adolescência e o que a dislexia pode causar na vida de uma pessoa. Além de entretenimento a leitura de Graffiti Monn, ainda nos adiciona conhecimento cultural sobre arte e poesia, fora a deliciosa dose de cultura australiana que recebemos, algo que também me chamou muita atenção pois eu não imaginava que pudesse ser uma cultura tão próxima a nossa.

O livro é um daqueles que se transformado em um filme, se torna uma história das que ao assistirmos sentiremos imediatamente vontade de fazer parte, pois sua narrativa tem aquela sensação de aventura e nostalgia que é muito conhecida, das obras cinematográficas dos anos 80/90.
Recomendo sem dúvidas a leitura, é um Young Adult divertido, dinâmico e que apesar de romântico não é meloso, como é comum ao gênero. Após a leitura fiquei imersa numa grande sensação de quero mais.

Beijos


20 comentários:

  1. Olha, te falar que só pela capa do livro eu já fiquei super atraída. Sou a louca das capas bonitas, e às vezes me ferro por isso hahahaha
    Me ferro pois: a capa desse é linda, mas a estória dele não me chamou atenção. :( É uma pena, pois adoro adquirir livros bonitos, rs.
    Quem sabe um dia em que eu esteja na onda de ler Young Adult eu dê uma olhada nele, mas no momento realmente não me atraiu.

    Abraço,
    Mago e Vidro

    ResponderExcluir
  2. Oi, Kris!

    Eu comecei a ler esse livro, mas não consegui terminar.
    Não foi pra mim. Até já dei pra outra pessoa.
    Mas nem todo mundo vai gostar daquilo que a gente gosta e vice-versa, né?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. A Capa é linda e eu até gostei da sinopse. Adorei a sua resenha,foi bem reveladora pra mim.Não sei se o leria agora.Talvez numa vibe mais diferente eu desse uma chance.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie,

    Eu já havia visto a capa do livro e não a miníma para o livro, percebo o quanto eu estava enganada, eu tenho uma curiosidade pela Austrália, sempre faço trabalhos sobre esse país! A capa é totalmente diferente do que eu pensei que seria a história do livro! Com certeza eu preciso desse livro! Nunca li nada que envolva a arte como tema da leitura!

    Mayla

    ResponderExcluir
  5. Eu acho essa capa linda e também já li esse livro. Concordo plenamente com suas considerações, especialmente por ser muito divertido e dinâmico. Me deu até vontade de reler, e também recomendo muito essa leitura.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  6. Oi linda
    Não gosto muito de romance, mas você pontou que não é meloso e isso já aliviou meu medo de ler e ser aquela novela mexicana haha.
    Gostei bastante dos temas trabalhados como família, expressão dos nossos sentimentos e Arte...sou aficionada nessa área e tenho certeza que vou me maravilhar com esse livro.
    Parabéns pela resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Eu ainda não tinha ouvido falar desse livro e ele parece ser bem interessante, dinâmico, voltado para a arte, alma e complicações... embora tenha dado uma leve impressão de ser dramático e bem desenvolvido, o artista, a sonhadora termos realmente intrigantes... no momento não estou no estado de espirito para ler um livro assim mas com certeza irei guardar a dica com carinho para um dia ler esse livro com toda minha concentração em dia rs...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Não curti a capa, achei estranha, mas me envolvi no enredo que você descreveu e os quotes que você compartilhou me conquistaram. Ainda não conhecia e agora já quero ler. Só pela sua resenha, também imaginei um filme em cima deste plot.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá.

    Não costumo ler livros juvenis mas esse parece ser bem diferente dos outros principalmente por não ser meloso e tratar sobre uma doença que vários adolescentes possuem. Não digo que lerei o livro, mas se tive oportunidade leria com todo prazer pois curto esses livros com mais carga. Adorei sua resenha e a forma como desenvolveu.

    Everton Equipe Rillismo

    ResponderExcluir
  10. Oi Kris, tudo bem?
    Pretendo ler o livro em breve e estava com um leve receio de não gostar do livro, mas após ter lido a sua resenha sei que o livro irá me agradar. Adoro histórias que além de contar com uma premissa interessante, sejam também ricas em conhecimento e esse certamente parece ser o caso. Já gostei de um personagem citado, o Ed, que foi obrigado a largar os estudos para conseguir ajudar a sua mãe. Enfim, logo terei minhas próprias impressões sobre o livro e espero gostar tanto quanto você pois estou com as expectativas bem altas. Infelizmente ainda não li nada do Bukowski, então espero que minha "ignorância" não comprometa a leitura.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  11. Oi
    Confesso que mesmo depois de ter lido sua maravilhosa resenha, não senti vontade de encarar essa leitura.
    Até gosto e YA e esse por ser divertido parece fugir a uma fórmula que estamos acostumadas.
    Mesmo assim, anotei a dica para ler em outra oportunidade.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  12. Olá Kris,
    Até hoje não me lembro de ter lido um livro que aborda essa questão da ausência paterna tão em foco como parece estar nesse. Além disso ter chamado minha atenção, outro ponto que me agradou foi a autora parecer ter trabalhado todos os temas polêmicos com bastante serenidade e fluidez.
    Me senti um pouco na pele dos personagens e é uma leitura que acho que me agradará bastante.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Eu sempre que lia uma resenha desse livro não sentia vontade de ler, pois achava a capa bem feia, e como não sou muito fã de YA acabava passando a dica.
    Mas a sua resenha me fez olhar com outros olhos para esse livro, e achar que vale muito a pena realizar a leitura.
    Adoro quando o autor consegue passar sentimento através de poesias, e ainda por cima fazer o leitor se emocionar com elas, isso é muito gratificante e difícil de encontrar.
    Pelo jeito essa história é bem diferente, e agora sim posso dizer que quero muito ler sse livro

    ResponderExcluir
  14. Olá Kris!
    Não conhecia esse livro e nem a autora,e infelizmente não me interessei por esse livro,não nesse momento,quem sabe bem mais pra frente eu dê uma chance a ele?! ;)
    E tenho que dizer que ameeeeeei seu layout ficou perfeito!!!!
    Bom qnt a minha resenha a estória é tão ruim que todos os personagens tão englobados nesse "ruim" não tem um personagem que vc se apega,então se eu fosse falar dos personagens eu iria acabar soltando algum spoiler ;)

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/05/resenha-o-quarto-dia-sarah-lotz.html

    ResponderExcluir
  15. Oii, tudo bem?
    Como assim eu ainda não conhecia esse livro? Eu adorei a premissa dele! Eu sou apaixonada nesses livros juvenis, pois acabo me identificando em várias situações rsrs. E eu adorei saber que temos uma mistura de poesia na historia, isso torna tudo mais interessante.

    ResponderExcluir
  16. Helloo, Kris! Tudo numa nice?!
    Eu li esse livro no ano passado e amei. Compartilho com você todas essas sensações e emoções. Confesso que fiquei primeiro atraída pela capa, depois conferi a sinopse e quis ler na hora. A leitura foi tão boa e fluída que li em um dia. Eu amei!! Gostei também de conhecer um pouco da cultura Australiana, país que amo e a vida social. Eu pensei que o Ed poderia ter dislexia, mas não tinha certeza, não me lembro sobre a autora ter dito no livro. Devo ter deixado passar batido. Bateu uma nostalgia, vontade da pega de conferir o livro de novo. Eu gosto de grafite e ver poemas e toda essa arte relacionada me deixou tão feliz e abismada por encontrar algo tão bem trabalhado no livro.
    Ótima resenha.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  17. Olá, sabe que sempre vi esse livro por aí mas nunca me interessei de fato por ele, mas vendo a sua resenha já mudei de opinião, pois tenho a sensação de que vou gostar bastante dele. Parece ter uma premissa divertida e cativante, nisso já me ganhou!

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Estou confusa. Gostei do plot, mas não curto YA, gostei do ponto onde fala que lembra filmes das décadas de 80/90 pelo ar nostálgico, mas não gostei do estilo de narrativa que é usado. Não sei o que dizer. Uma lado meu ficou curiosa, outro não. Mas uma coisa é certo, a capa tá linda demais.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  19. Eu admiro muito tudo que é relacionado a arte. E a arte se rua é algo muito bacana que vem ganhando um espaço cada vez maiir e um livro que de certa forma aborde esse assunto com certeza já me deixa com vi tsde de fazer a leitura.
    Adorei a dica.
    Bj

    ResponderExcluir
  20. Como é bom quando conseguimos encontrar um livro que nos agrade tanto assim, que represente uma grata surpresa. Seu entusiasmos me contagiou, vou ler a obra, certamente, Até porque a premissa é mesmo muito boa, creio que valerá a pena. Acho muito bacana o cuidado que você tomou para não exagerar no resumo, afinal, é muito fácil no empolgarmos e acabarmos contando mais do que deveríamos. Adorei a resenha!

    Tatiana

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥