Resenha: Vou Lhe Mostrar O Medo - Nikolaj Frobenius

23 fevereiro 2016



Vou lhe mostrar o medoAutor: Nicolaj Frobenius
Editora: Geração Editorial
Tradução: Eliana Sabino
Gênero: Mistério
Páginas: 296
ISBN: 9788581301099
Sinopse:Edgar Allan Poe, o célebre poeta e autor de histórias de terror, bem como criador do gênero policial na literatura, é o protagonista deste romance de suspense psicológico, que discute os limites da criação literária e a responsabilidade moral da arte. Nele vemos o jovem escritor norte-americano afligido pela pobreza, angustiado com a enfermidade da sua frágil esposa e assombrado por um maníaco que comete assassinatos inspirados nos seus escritos, além de sabotado em sua carreira pelo crítico literário Griswold, que lhe dedica um misto de admiração e ódio.Publicado em toda a Europa, traduzido em dez idiomas e plagiado por Hollywood, este romance premiado marca a estreia, no Brasil, de Nikolaj Frobenius, um dos grandes expoentes da moderna literatura norueguesa.

Livro recebido como cortesia através de parceria com a Geraração Editorial.




Resenha

Vou Lhe Mostrar o medo é um tributo a Edgar Allan Poe, escrito pelo autor norueguês Nikolaj Frobenius, um renomado jornalista, autor e roteirista e é lógico que tanto talento, só poderia transparecer na sua obra. Em Vou Lhe Mostrar o Medo, Poe torna-se um personagem em uma sombria e intrincada trama de morte, que mistura fatos e personagens reais a ficção.

A História começa quando Poe aos 5 anos de idade perde a mãe vítima de tuberculose e é adotado pelo casal Fanny e John Allan. O trauma de presenciar a convalescença e morte da mãe, acrescenta a personalidade de Poe um aspecto obscuro e um grande negativismo desde cedo e isso aliado a herança artística dos pais o levam a escrever seus primeiros poemas, já bem lúgubres. 
Essa personalidade não facilitou nem um pouco a sua integração na nova família e o relacionamento com o Pai adotivo. Na Fazenda dos Allan, Poe conhece um estranho menino chamado de Samuel, este é filho de uma das escravas da fazenda, mas vive excluído, quase recluso no porão, pois os outros escravos temem a sua presença devido a sua condição de albino e alegam que ele causa má sorte. Edgar logo se compadece da condição do menino e faz amizade com ele, o ensina a ler e a escrever, e passa a ter nele um companheiro. Samuel é o primeiro a ler os textos de Poe e torna-se seu maior fã. Até o dia que Poe é enviado para a faculdade. 
Mas, a vida universitária de Edgar Allan Poe acaba não sendo como ele imaginava e ele acaba mergulhado no vício da bebida e em dividas de jogo, o que faz com que John Allan vá busca-lo antes do término do curso, pondo um final inesperado em sua tão sonhada graduação. Essa volta involuntária para casa acaba não sendo facilmente aceita por Poe que resolve sair em busca de sua tão sonhada carreira literária e parte rompendo de uma vez com a família adotiva e leva Samuel, agora já um rapaz consigo. Porém ainda no inicio da viagem o rapaz começa a exibir algumas facetas que até então Poe desconhecia e após um sério desentendimento, eles se separam e Poe segue seu caminho achando que Samuel está morto.
Os anos passam e agora Poe é um autor, ainda não é famoso, mas já é conhecido. Casou-se com a Jovem Virginia, ou Sissi como ele a chama, ela atualmente convalescente de tuberculose, a mesma doença que o tirou sua mãe. É nesse período onde, de fato, se desenrola a trama que ele conhece Rufus Griswold, um renomado crítico literário e também pastor, que acaba não vendo com bons olhos todo o ceticismo de Poe em relação a Deus e sua visão crítica sobre a vida. Algo que acaba piorando quando chega ao seu conhecimento que alguns crimes macabros tem acontecido em Nova York e neles pode se ver claramente que o assassino se inspirou na obra de Poe para comete-los.



Toda a narrativa da obra do Nikolaj é bastante interessante, o autor desenvolveu uma trama bem rica e detalhada que envolve várias nuances em sua composição. Algo que chama atenção logo de cara, quando lemos os primeiros capítulos, é o pesado trabalho de pesquisa que o autor teve para compor a sua obra. A União de elementos fictícios aos fatos históricos é tão bem feita, que fica difícil perceber aonde acaba a realidade e começa a ficção e vice-versa. A obra vai ainda além do inesperado, que seria simplesmente colocar um Edgar Alan Poe ajudando na investigação de crimes baseados na sua obra, como foi no filme citado na sinopse ( ao qual eu assisti assim que saiu e realmente, a inspiração no livro é gritante), O livro nos apresenta um personagem Poe, muito bem desenvolvido, cheio de conflitos interiores e de personalidade, acompanhamos seus dramas pessoais, suas frustrações amorosas, a composição de seus contos e poesias, sua fraqueza pelo álcool e tudo isso enriquece muito a leitura. A mesma coisa acontece com o seu antagonista Rufos Griswold, que foi desenhado cheio de complexos sexuais e traumas de infância que claramente servem como base para a construção da sua relação de amor e ódio com Edgar. Além da construção do nosso assassino, misteriosamente bizarro e complexo, dono de um perfil psicológico muito intrigante para a época em que a trama se desenvolve. 

“Paradoxo da curiosidade, diz para si, febril, a fisionomia alterada: quanto mais constatamos que não sabemos, mais importante se torna para nós descobrir o que não sabemos se queremos saber.” 

A escrita é bem fluida apesar da densidade e da linguagem utilizada para contar a estória, onde o autor tentou valer-se de uma linguagem mais formal, para compor a narrativa. É fácil mergulhar na trama e adentrar outro século, outras paisagens, vislumbrar mentalmente as ruas da Nova York do século XIX. Afora tudo isso que eu já mencionei, o autor ainda nos dá bastante a meditar sobre o meio literário e as semelhanças entre aquela época e o agora. 

"Somente escritores muito populares – e geralmente bastante medíocres – eram publicados. E como um autor não tinha a menor chance de ser popular se não fosse publicado, era coagido à mediocridade.” 

Portanto, Vou Lhe Mostrar O Medo foi pra mim uma leitura rica e arrebatadora. Talvez a leitura não venha a agradar alguns fãs mais assíduos de Poe, que podem vir a sentir ciúmes ao ver seu ídolo usado como um personagem ao bel prazer de outro autor, mas a mim a obra agradou bastante e eu recomendo a leitura. 
O Trabalho gráfico da Geração Editorial está maravilhoso, desde a composição da capa, que faz jus a atmosfera sombria do legado do autor, a diagramação incrivelmente bonita e cuidadosa, cheia de detalhes que são um verdadeiros deleite aos olhos, as notas da tradutora que são bastante didáticas e esclarecedoras, para os leitores que não dominarem completamente os detalhes das obras de Poe e a revisão da obra que está impecável.

E Vocês, já leram o livro, ou conhecem o legado de Edgar Allan Poe? Espero que tenham curtido a resenha e não deixem de deixar as suas opiniões nos comentários, pois elas são muito importantes para mim. Beijos.

14 comentários:

  1. Olá,
    Adorei, só tenho isso para lhe dizer, o livro parece ótimo, não conhecia sobre ele, agora irei procurar para quem sabe ler, só preciso de tempo kkkk
    Parabéns pelo trabalho, e seu blog... a ele e lindo <3

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Até achei a história de Poe interessante, nunca tinha ouvido falar nele, mas não seria um livro que leria.
    Pelo fato da escrita ser mais formal e livros assim não funcionarem muito bem para mim, pois a leitura fica arrastada. E outro motivo seria que esse não é um gênero que costumo ler.
    Achei interessante e o fato de as obras dele inspirarem assassinatos, interessante e um pouco macabro.
    Sua resenha está muito bem escrita e de fácil entendimento da obra. Parabéns!

    Abraços, Lara.
    http://www.imperio-imaginario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Até ano passado nem conhecia a existencia do Poe, mas li um livro sobre a Alemanha e o personagem principal era apaixonado. Bom, acho que esses livros não fazem muito meu estilo literário pois morro de medo de qualquer coisinha de terror ou suspense.Flores no Outono

    ResponderExcluir
  4. Queria tanto esse livro, fiz umas compras ontem, mas ele não estava ainda num preço acessível. O autor foi feliz em juntar ficção e realidade, colocar o Poe ajudando em um crime, mas também me fez lembrar de uma série de TV que é assim, um autor conceituado ajuda a polícia de a resolver crimes. Eu não vejo problema em ver o Poe sendo usado por outros autores, veria problema se não lhe dessem um espaço digno :D

    ResponderExcluir
  5. Olá, fiquei muito interessada nessa obra...parabéns pela resenha!

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Adorei a sua resenha e a premissa do livro me chamou bastante a atenção
    Espero um dia ter a oportunidade de lê-lo
    Beijos

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oie
    parece ser uma leitura muito interessante, eu nunca li nada do Poe apesar de ter vontade mas o livro não chamou minha atenção, mesmo assim, boa dica e resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Estou maluca para ler esse livro, amo Poe e morro de curiosidade de ver como ficou uma história com ele como protagonista! Fiquei feliz em ver uma resenha tão otimista, me deixou mais ansiosa ainda!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Eu amei a sua resenha, admito que não conheço as obras dele mas pelo menos sei quem ele foi.
    Achei a sua maneira de expor o que o livro representou para você e até mesmo as características do livro, bem simples porém rica em detalhes para que até quem não leu, faça parte da história.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  10. Não sou grande fã das obras do Poe, mas a vida dele é algo que me deixa bem curiosa. Fiquei fascinada com esse livro!! Quero ele pra ontem! Adorei sua resenha e os pontos que ressaltou sobre a obra. Li um livro recentemente que também foi inspirado no Poe e suas obras, mas mais um romance adolescente: Nevermore. Eu gostei :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Kris. Tudo bem?
    Eu nunca li nada do Poe, por ser meio sombrio, sabe? E sou bem medrosa. Mas, fiquei bem curiosa com a premissa do livro. Mas, acho que eu ficaria bem chateada se alguém pegasse a Rowling e colocasse como protagonista de um livro :S
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  12. Oiee,
    Eu tenho muita vontade de ler livros com o gênero de misterio, e esse eu vi que poderia ser uma boa escolha.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Nunca li nada relacionado a Edgar Allan Poe, nem nada dele, já me disseram que é muito bom, mas ainda falta algo para despertar aquela curiosidade, rs.
    Gostei da sua resenha :)

    Bjs!

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥