Resenha: Duff - Kody Keplinger

17 fevereiro 2016

Como DUFF integrou recentemente a lista de inclusões no Netflix, resolvi fazer uma resenha sobre o livro no qual o filme é livremente (e eu digo livremente mesmo, apesar de ter adorado a versão cinematográfica com a Mae Whitman) baseado. 

Ficha Técnica:
Autora: Kody Keplinger.Editora: Globo Alt
Ano: 2016.
Páginas: 328.
ISBN: 9788525060631Sinopse: Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.



Alguém mais tem problema com essas sinopses do skoob? Porque, para mim, já se tornou uma constante ver essas introduções com um olhar de reprovação que faria qualquer um se envergonhar. Acho que na hora de fazer o "marketing" do livro, é preciso muito cuidado; existe sempre a possibilidade de se passar a mensagem errada e acabar afastando leitores ao invés de atrai-los. <

Sinto que, com essa sinopse de DUFF, aconteceria a mesma coisa, pois dá a entender que é só mais um romance entre a garota mais ou menos com o cara que ela nunca imaginou ter na sua vida e etc, mas este livro - eu já te adianto - é mais que isso. 

Bianca é uma garota segura de si. Não é especialmente atraente, nem tem nada que a faça se destacar senão uma inteligência ferina e sagaz, mas para ela isso é o bastante. Está, no entanto, sempre cercada por duas amigas que a amam mas que são, cada uma à sua própria maneira, mais "exuberantes" que ela. 

Nada disto lhe ocorre de forma consciente até que Wesley lhe diga; na verdade, ele faz bem mais do que dizer que ela é a garota menos atraente em seu grupo de amigos, Wes também lhe dá um rótulo (DUFF, sigla para designated ugly fat friend, ou algo como "a amiga gorda e feia"), que Bianca aceita como uma verdade absoluta. 

Agora, veja, você já sabe que Bianca e Wes se involverão em algum momento (a sinopse te dá esta informação), mas não lhe parece estranho que uma garota se envolva com um cara que a chamou de DUFF? Não te parece muito como o início de uma relação de cunho abusivo, em que um dos parceiros diminui o outro para que este, se sentindo pouco importante, acredite que não encontrará nada melhor e permaneça se sujeitando às afrontas e ofensas? 

Yep, a mim também parece. 

Mas ok, vamos lá: Wesley não é um cara ruim. Ele é rico, bonito, popular e galinha, além de ter uma capacidade argumentativa incrível, e Bianca, após o primeiro beijo (e por mais que não consiga tolerá-lo), sente-se atraída por ele como uma mariposa pela luz, ao mesmo tempo em que tenta encontrar seu lugar no mundo após ter descoberto que não é mais que aquela pessoa quase invisível que serve de ponte de ligação entre suas amigas mais bonitas e o resto do mundo. 

Talvez seja a minha mania de problematizar (rs), mas tudo isso, somado ao fato de que Kody Keplinger, a autora, escreveu o livro com base em experiências vividas por ela mesma, me dá o direito de especular sobre quão saudável é o relacionamento entre os dois (mesmo que reviravoltas mostrem que Wesley não é o rei da cocada preta, e que Bianca não perde em nada para suas colegas). 

Agora à pergunta que não quer calar: Renata, afinal, você gostou ou não do livro?
Gostei, principalmente por isso. E indico a quem quiser uma leitura leve, com diálogos críticos e inteligentes, que trate dos padrões de beleza e de seu papel na vida das pessoas. Também digo que acho que os personagens de Keplinger são bastante reais e convincentes, e que eu os imaginei com facilidade. 

Sobre o filme: gente, eu ri bastante, adorei a atuação da Mae (ela sempre arrasa) e acho que ali também foram tratados tópicos interessantes. PORÉM, com exceção de algumas necessárias semelhanças, não acho que tenha muito a ver com o livro e comparar os dois seria pedir para passar raiva, rs. 

Me digam o que acharam <3 
Beijinhos

14 comentários:

  1. Confesso que odeio ver o filme antes de ler o livro, mas eu o fiz mesmo assim é adorei o filme é ri muito com ele. E claro que isso só me fez querer ler mais o livro, mas deixei um pouco de lado essa vontade. Mas agora que eu li a sua resenha eu preciso desesperadamente ler o livro!! Muito boa a sua resenha e me deixou com uma vontade absurda de ler o livro, mas do que eu já tinha!

    ResponderExcluir
  2. Olá tudo bem, eu acompanhei todo o lançamentos nas redes sociais e principalmente do instagram sobre esse livro, mas sinceramente a sinopse não me atraiu, mas pode ser que se tenha a oportunidade de ler. Sobre as sinopses super concordo com vc, algumas são tão confusas, que quando vamos ler o livro, ficamos com aquela dúvida. Bjkas

    ResponderExcluir
  3. Yey! Vi o filme, mas ainda nao tive a oportunidade de ler. E, mesmo sendo diferentes e tal, quero pegar o livro e devorar! Adorooo a personagem Bianca, altas risadas no filme! ^^
    Fiquei curiosa quanto o livroooo, ainda mais! \o\
    Beijos, Min

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    adorei a capa do livro, sua resenha está muito esclarecedora e bem escrita, gostei do blog. Confesso que desconhecia essa obra e a autora, apesar de ter me dado vontade de ler, no momento vou deixar passar, quem sabe no futuro? www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oii Renata, tudo bem?
    Eu já havia visto muitos comentários sobre este livro, e fiquei mega curiosa para conseguir. Fico bem contente em saber que tem filme, quem sabe eu assista.
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Não li o livro e nem conhecia a sigla DUFF. Gostei de saber que apesar de começa de uma maneira clichê, Bianca não se aflige e pensa o que quer dela mesma e parece que apesar de tudo ela se aceita como é, mesmo que ela se diminua um pouco em alguns momentos. Gostei de saber do livro, eu tinha vista na livraria e olhei só para saber o que DUFF significava, não tinha visto a história.

    Beijos,
    Mariana Baptista
    https://umavidaporlivro.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Recebi Duff essa semana, em parceria com a editora. Confesso que essa capa me deixou bastante instigada, mas gostei bastante.
    O que mais gostei de saber foi que o livro tem "diálogos críticos e inteligentes, onde aborda os padrões de beleza e de seu papel na vida das pessoas."

    Beijos

    Débora | www.emcadapagina.com

    ResponderExcluir
  8. Eu tô paquerando o filme já a algum tempo.Mas o livro não sei se leria. Há certas obras,principalmente as que parecem ser mais divertidas,que penso em ver logo o filme(quando tem,é claro).
    Gostei sua resenha,talvez eu até mude de ideia sobre a ordem de conhecer a obra.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Outro dia eu vi o finalzinho do filme. Não deu para pegar muita coisa. Mas me pareceu bem filmes adolescentes americanos, com um montão de esteriótipos. Não é bem meu tipo de leitura, mas quero voltar no filme, pois essa questão de padrões de beleza sempre me chama atenção.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oii!
    Eu amo e odeio histórias como essa! Me sinto no personagem, sempre se metendo nas confusões que vão ferrar a própria vida! Fiquei cheia de vontade de ler, e tenho certeza que vai ser um leitura cheia de angustia e prevejo livros voando!

    Vitória, www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  11. Já ouvi dizer que o livro e o filme não têm basicamente nada a ver um com o outro mesmo... e quero muito ler e assistir mesmo assim, mas dessa vez vou assistir antes, devido ao conselho de várias pessoas. Adoro livros com diálogos críticos e inteligentes e com personagens reais e convincentes, espero poder conferir logo.

    beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  12. Concordo com você, Renata. As sinopses deveriam ser tratadas com no mínimo mais respeito, pois acaba, a depender, afugentando o leitor. E lendo a sinopse de DUFF, você defino=iu bem, parece um clichê sessão da tarde romântico. Mas, o fato de o livro trazer as experiências vividas pela autora tem um peso significativo, se não fosse a resenha, certamente, não saberia disso.

    ResponderExcluir
  13. Eu assisti o filme, mas eu tava morrendo de vontade de ler o livro há um tempo. Tenho até o ebook dele em ingles. Fiquei muito feliz quando a editora lançou ele aqui no brasil.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu super entendo a parte de problematizar essas relações, fico fazendo isso também hahaha.
    Sobre o livro eu ainda não li, mas o filme foi muito divertido apesar de eu querer bater em alguns personagens o tempo todo. Especialmente a prota por aceitar oq outra pessoa diz como verdade absoluta sobre ela.
    Adorei a resenha, espero ter oportunidade de ler o livro.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥