Resenha com um twist: À procura de Audrey - Sophie Kinsella

17 janeiro 2016



Autora: Sophie Kinsella.
Editora: Galera Record. Ano: 2015.
Páginas: 336.
ISBN: 9788501104632
Sinopse: Audrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor. 





Resenha: 

A sinopse, retirada do skoob, me deixa um pouco nervosa, porque quem a lê tem uma impressão errada sobre o real conteúdo desde livro. Você, leitor, quando se depara com as palavras "mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor" fica achando que está diante de mais um livro de romance, mé mé mé, garota esquisitinha encontra a redenção no amor de um garoto e tudo fica bem.

Nope. Este não é mais um young adult sobre uma adolescente que se apaixona pelo melhor amigo do irmão (embora, convenhamos, isso realmente aconteça); À Procura de Audrey vai tratar, muito mais que da relação entre Audrey e Linus. Vai falar sobre como um (ou mais) episódio de bullying durante a infância pode desencadear todo um quadro de transtorno de ansiedade e depressão, e mudar o contexto da vida de uma garota de apenas 14 anos.

E por que, Renata, esta resenha tem um twist?, você me pergunta.
Bem, porque eu já tive (posso falar que tenho?) transtorno de ansiedade, e me identifiquei com Audrey em diversos níveis, que apresentarei para vocês agora. 

Audrey passou por alguns episódios traumáticos na escola. Ok, quem nunca, né? A diferença é que com ela, as coisas tomaram proporções inesperadas: após algum tempo em um hospital, a garota tornou-se uma perfeita reclusa, realizando as atividades escolares de casa, recebendo acompanhamento psiquiátrico e achando inconcebível a mera ideia de sair na rua sozinha. 

Vamos problematizar um pouquinho? Para quem nunca viu, nem comeu, só ouve falar, cá está uma definiçãozinha simples:
"Ansiedade é um estado emocional de apreensão, uma expectativa de que algo ruim aconteça, acompanhado por várias reações físicas e mentais desconfortáveis." 

O transtorno de ansiedade abrange a cada vez mais famosa Síndrome do Pânico, o TOC (transtorno obsessivo-compulsivo), o Estresse Pós-traumático, a Fobia Social, dentre outros. E, sabendo disso, temos uma resposta adequada para o por quê de Audrey ter se ensimesmado a ponto de afastar-se quase completamente do mundo a sua volta, reinando em uma sala, com jogos e filmes, onde, com as luzes apagadas e as cortinas fechadas, ela consegue se sentir segura. 

Quem já foi assaltado, por exemplo, repensa seus próprios comportamentos e se pega avaliando a necessidade de sair de casa e "se colocar em risco novamente", certo? Isso é um sinal de ansiedade, mas para quem sofre do trastorno (que pode, sim, ser desencadeado por este cenário), a situação é muitas vezes pior, e o medo de viver, correndo riscos e tudo, é debilitante. 

Agora, Linus. O surgimento dele na vida de Audrey é repentino, mas sua necessidade de ignorar as barreiras impostas pelas dificuldades que a menina tem de se relacionar com as pessoas, vem aos poucos e, de forma sensível, ele tenta ajudá-la a superar seus traumas e a lidar com sua situação. 

Sim, eu disse "lidar" e não "vencer". Porque, se algo está certo naquela sinopse é o fato de que Audrey está um pouco perdida, e precisa encontrar o caminho de volta. Mas este retorno não é menos doloroso porque ela agora tem um amigo/namorado. Ao contrário, ele é ainda mais desafiador justamente porque ela se sente pressionada a melhorar logo, para não representar um problema para ele. O que é, por si só, um motivo de ansiedade, não é?

Eu não posso dizer como o livro acaba. Mas eu posso afirmar que Sophie, em seu primeiro young adult, trata do problema com sensibilidade e cuidado - além de tornar o tópico mais leve com suas não-raras inserções de humor, como é muito comum em seus livros (que eu adoro de paixão). 

Quero me desculpar por não comentar nunca sobre a diagramação dos livros, tamanha das letras, cor das páginas, e todas essas coisinhas que influem no conforto do leitor. É que eu leio edições digitalizadas e meus ebooks nem sempre correspondem esteticamente ao original. 

No resto, posso garantir que vou sempre expôr as qualidades e defeitos dos livros que li com a maior honestidade possível. E este, sem dúvida, foi um que eu adorei ler. 




11 comentários:

  1. Oiii!!!
    Esse livro tá na minha lista de leitura desde que foi lançado e tenho fé de que lerei esse livro ainda esse ano!!
    O que sempre me chamou atenção nesse livro além da capa (maravilhosa) é esse misterio todo em torno da Audrey e o que aconteceu para que ela tome esse atitude..depois que fui assaltada a pouco tempo morro de medo de sair de casa..evito ao máximo..só saio pra ir pra aula e preonto..e quando tenho algum compromisso pra resolver..mas se não..fico em casa mesmo!!!

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/01/lancamentos-janeiro-editora-seguinte.html

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde, Renata!
    Eu achei incrível você explicar que não é mais um livro de romance. Pelo jeito tem uma trama bem profunda, e gostei de saber isso, assim já sei o que esperar da leitura. Eu já li outros livros com o tema bullying e realmente é algo pesado, que gera consequências.
    Fiquei curiosa para ler a obra, ainda mais sendo o primeiro ya da autora.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  3. Oi! Tudo bem?

    Nossa, realmente... Fiquei até um pouco chocada depois de ler a resenha! Pela sinopse, eu tinha uma ideia totalmente equivocada do livro e não queria nem passar perto. Fico feliz que tenha trazido esse twist aqui para nós, leitores. Achei sua ótica da história muito bacana! É necessário sempre analisar esses quadros de bullying que desencadeiam uma série de consequências depois.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Estava de olho nesse livro, pois gostei da capa. Mas eu não sabia do que se tratava. Adorei, saber a estória desse livro. E o fato de se tratar de um assunto sério assim é muito bom, pois precisa ser falado. Já vi muita gente dizer que algumas pessoas acham que é besteira essa doença (?) quando na verdade é algo muito serio. Gosteibde saber como a autora trata esse assunto com bastante delicadeza. Adorei sua resenha e não me importo de não falar sobre a diagramação.

    Beijos!

    www.cantinhocult.com

    ResponderExcluir
  5. Oiee.
    Tenho ouvido falar demais nessa autora esses tempos, e todas as vezes têm sido comentários positivos.
    Entendo um pouco do que é sofrer essas coisas na escola. Meu cabelo nunca foi pouco (vide foto e veja a moita) e sempre falavam do tamanho da minha bunda (diziam que eu usava fralda). E confesso que por um bom tempo isso me incomodou, não a ponto de eu ter algum problema hoje, pelo menos eu acho que não rs.
    A história do livro parece ser legal, embora achar que ela vai ter um "q" dramático, que não me anima muito.
    No momento não o leria, mas deixarei anotado para ler outro dia =D
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá Kris!
    Enquanto você se desculpa por não comentar sobre a diagramação do livro eu agradeço. Acho muito desnecessário esse comentário sobre a diagramação, folhas brancas ou amarelas... gente, uma resenha não contém isso, não ta na estrutura......
    Enfim, eu estive numa fase inicial de TOC, a qual eu quis me tratar sozinha, apenas me policiando. Sou detalhista demais, então às vezes preciso me conter sozinha. O tratamento foi basicamente com chás e auto-esporros.
    Essa é a primeira resenha que eu vejo que trata exatamente do livro como ele é, e não fala somente do romance que a audrey entra. Com a sua perspectiva sobre o livro, consegui me imaginar lendo e tendo uma visão parecida com a sua. Gostei muito da sua escrita!
    bjs
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oii,
    sempre ouvi falar muito bem da Sophie Kinsella e sua escrita, e amo um Young Adult, então esse livro já esta na minha lista faz um tempo, mas ainda não o li. Tinha lido uma resenha negativa sobre ele, o que me desanimou, mas você acabou de acender a vontade de ler, e ainda mais forte kkkk. Eu me identifiquei muito com a personagem principal, não pela sinopse, mas pelo o que você disse na resenha, e acho que isso pode me ajudar, e que com certeza vou gostar do livro. Obrigada pela resenha <3

    Xx

    ResponderExcluir
  8. Fico feliz em saber que a autora soube lidar com esse tema de uma forma cuidadosa e com bastante sensibilidade, eu gosto quando as autoras sabem lidar com temas menos comuns. Sobre esses problemas das sinopses sei bem como é isso, tem umas que só Jesus, ou não tem nada haver ou então fala demais. É complicado isso.

    Beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
  9. Olha, eu já havia lido resenhas desse livro, algumas bem positivas, mas em nenhuma tinha ficado claro para mim que não se trata simplesmente de mais um livro de amor em que a garotinha encontra a redenção através de um menino. Achei bárbaro você esclarecer isso! Acho o tema do livro extremamente relevante, pois o bullying é cada vez mais, uma realidade entre os nosso jovens. E um quadro de depressão na infância e/ou na adolescência, pode deixar sequelas para o resto da vida. Adorei a sua resenha, muito esclarecedora!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Eu fiquei muito curiosa quando vi esse livro pela primeira vez. Vi algumas resenhas positivas mas nunca consegui entender o que era relatado no livro e como isso acontece. Mais nada melhor que uma resenha escrita para nos fazer realmente entender do que o livro fala. Eu gostei muito da sua resenha. Você soube explicar cada tema abordado no livro e mostra que tem domínio sobre ele. Fiquei curiosa para saber o final do livro.
    Um beijo,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
  11. Oi Renata!
    Tenho ouvido muitos comentários a respeito desse livro e cada vez tenho mais curiosidade ainda de conhecer essa autora. Até por causa da fama que tem com seus livros anteriores.
    Acho legais livros que abordam o tema do bullying e suas consequências, pois é um tema bastante comentado hoje em dia, achei interessante esse livro, e por ter romance me interessei mais ainda, parece ser um livro que faz o leitor refletir, fiquei curiosa e acho que vou ler. Muito boa sua resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥