Resenha: Os Magos - Lev Grossman

23 outubro 2015


Autor: Lev Grossman
Editora:
Amarilys
Ano:
2010
Páginas:
456

ISBN: 9788520430286
Sinopse:
Quentin Coldwater é um gênio precoce às vésperas de entrar na faculdade. Como a maioria das pessoas, Quentin acreditava que a magia não era algo real. Acreditava. Tudo muda quando ele é surpreendentemente admitido em uma universidade - muito antiga, muito secreta, muito exclusiva - de estudos mágicos, ao norte de Nova York. Após se esgueirar por um terreno baldio do Brooklyn na tarde de inverno em que deveria ter feito sua entrevista para entrar em Princeton, Quentin se vê, em pleno verão, no idílico campus da misteriosa Brakebills. Ali - não antes de um difícil e cansativo exame de admissão - ele dá início a uma extensa e rigorosa iniciação ao universo acadêmico da feitiçaria moderna; ao mesmo tempo, descobre também os princípios boêmios da vida universitária - amizades, amores, sexo e álcool.

Resenha

Quem nunca sonhou com o dia em que receberia a carta de Hogwarts? Aquela que te tiraria da vida comum e te levaria a um cotidiano de magia e criaturas fantásticas? Bem, eu já sonhei com isso... e Quentin Coldwater, protagonista do livro de Lev Grossman,  também não era indiferente às possibilidades extraordinárias sugeridas por um livro que oferecia a crianças desavisadas, como Harry Potter e os irmãos Pevensy,  d'As Crônicas de Nárnia, o contato com um mundo além da imaginação.

A diferença é que Quentin, um jovem levemente antissocial e desajustado (além de extremamente confiante em sua própria inteligência) jamais conseguiu superar a mediocridade do mundo real e, insatisfeito, procurava a magia a cada esquina.

Até o dia em que tropeçou nela; após encontrar-se em um campo verdejante muito deslocado da paisagem nova-iorquina na qual estivera andando, e realizar um teste que nada teve de convencional, é finalmente admitido em uma escola de magos de verdade - e é aí que a história começa.

"Os Magos", primeiro livro de uma trilogia, narra a vida de Quentin e seus amigos na escola de Brakebills e, por tratar dos cinco anos de preparação mágica de personagens que não são exatamente cativantes (tive um problema pessoal com Quentin; quis esganar aquele pescocinho ingrato mais vezes do que posso me lembrar), pode arrastar-se em alguns momentos - e tentar compensar acelerando partes que, em minha humilde opinião, mereciam ser desenvolvidos com mais cuidado e detalhe.

Ainda assim, eu recomendaria para o leitor paciente e curioso; a saga de Quentin torna-se muito mais interessante graças à presença de personagens como Alice e Eliot, e também à jornada por eles percorrida, que culmina em grandes emoções no final do livro. Tenham em mente que não é um livro infantil. Acho, inclusive, que a minha implicância com o protagonista se deve muito àquelas qualidades (leia-se: GRANDES defeitos) de alguém que se encontra naquele limbo entre a juventude e a vida adulta no qual eu mesma tenho vivido.

Apesar de minhas claras ressalvas, sei que elas foram propositalmente causadas pelo autor e não nego: leria de novo. Muito além da constante busca pelo extraordinário, Lev nos traz a necessidade de ver valor nas coisas simples e, com muita casualidade, nos faz perceber que a insatisfação pode, sim, nos levar adiante, mas que a ambição cega é tão perigosa quanto o ócio absoluto.


Por fim, vale lembrar que a trilogia de Lev Grossman está sendo transformada em seriado pelo canal Syfy, e deverá ir ao ar a partir do ano que vem, com enormes mudanças de roteiro mas prometendo uma superprodução. Mas, todos sabemos, o livro sempre é melhor, né?

7 comentários:

  1. Que resenha maravilhosa, eu adorei!
    Quanto ao livro, estou fugindo de juvenis, apesar de achar o enredo bem curioso.

    ResponderExcluir
  2. Bem, respondendo sua pergunta no início do post. Eu nunca sonhei em receber a carta porque detesto HP kkkkkkkkkk
    Mas enfim... sobre o livro, não curti a premissa dele... e ando fugindo de histórias que precisam de mais de um volume pra se desenvolverem... tô arrastando as leituras das sagas/trilogias que já iniciei xD
    Pode ser que eu dê chance pra série, e se curtir, passo pra leitura...

    ResponderExcluir
  3. Oie, já tinha um interesse nesse livro, mas não sabia do que se tratava afinal. Pela sua resenha, talvez esse livro não daria tão certo comigo, detesto personagens mesquinhos e mal agradecidos. Mas fico feliz que o livro tenha te agradado.

    Beijos, Mihh e o Mundo Literário

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu não conhecia o livro e apesar de não ser um dos gêneros que mais curto, fiquei bem interessada!
    Achei a proposta interessante, e fiquei curiosa sobre a série de tv também, rs.
    Dica anotada!
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Top a sua resenha! Nunca tinha ouvido falar desse livro, deixarei anotado aqui e assim que der irei ler.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  6. Acho que sou a única que nunca sonho em ir para Hogwarts. O universo de Hp não me atrai tanto assim. Bom, sobre Os magos, não conhecia, mas também não fiquei tão encantada assim. É que esse negócio de escola/universidade/acampamento para pessoas com certo poderes não me atrai mais. Parece já tão batido.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. não gostei dessa descrição dele como antissocial e desajustado, me me parece muito clichê mas de resto a história parece muito boa *-*

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥