Resenha: O Circo da Noite - Erin Morgenstern

16 outubro 2015




Título: O Circo da Noite
Autora: Erin Morgenstern
ISBN: 9788580571608
Ano: 2012
Páginas: 365
Editora: Intrínseca
Sinopse:
Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar.
Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá.
À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam.
Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.


Resenha

 "O Circo da Noite" é, antes de mais nada, uma viagem pelos sentidos. Desde o início, o leitor é convidado a explorar com cada um de seus órgãos sensoriais (ou ao menos aqueles que lhe são mais facilmente atiçados pela imaginação) os recantos e a magia do Le Cirque des Rêves, o Circo dos Sonhos. As tendas, com suas respectivas atrações, são de encher os olhos figurativos; olfato e paladar embriagam-se em caramelo, pipoca, sidra e canela, e na pele, não é difícil sentir a energia que permeia a histórias. A dificuldade reside, por outro lado, em não acreditar em mágica quando uma autora a descreve com tanta fluidez e sensibilidade, como Erin Morgenstern o fez neste livro que, do nada, se tornou um dos meus favoritos.

A narrativa acompanha a história de Celia Bowen e Marco Alisdair, dois mágicos (pois não há outra palavra que me satisfaça na descrição daquilo que fazem, ainda que o livro ofereça algumas opções) que se comprometeram com um "jogo" muito antes de saberem quais as regras e o que, exatamente, estaria em risco (dica: muito mais do que imaginavam!).

O circo, que, a princípio, nada mais seria que um "cenário ambulante" para as deliberadas jogadas nesta competição (que é, sem dúvida, semelhante a um duelo de proporções mágicas), ganha a importância de um personagem principal, manifestando os desejos e anseios dos dois jovens enquanto eles inevitavelmente se apaixonam.

Este é um livro doce, doloroso, e rico; de muitas formas, me tornei amiga de alguns personagens (como os gêmeos Poppy e Widge, com sua cabeleira vermelha e habilidade de bisbilhotar o passado e o futuro; Bailey, com sua ingênua indecisão e admirável amor pelo circo; Kiko, a contorcionista misteriosa e tão, tão sábia, entre tantas outras criaturas únicas em suas excentricidades e valores), e desejo que eles me vejam da mesma forma - euzinha, que tive a pretensão de visitar um circo mágico por entre as páginas deste livro que, para mim, foi mais mágico ainda.

3 comentários:

  1. Reh Gata, eu já morria de vontade de ler esse livro minha vontade triplicou.
    El já tá na minha lista de futuras aquisições.
    Estreou com tudo ♥
    Seja Bem vinda!

    ResponderExcluir
  2. Arrasoooooouuuuuu!!!!
    Tá dando até coceira por esse livro agora! Resenha maravilhosa, Rê.

    ResponderExcluir
  3. poxa, sempre tive vontade de ler esse livro, mas não fazia ideia do que ele poderia me trazer... lendo tua resenha, percebo que preciso urgentemente tê-lo em minhas leituras... adoro circos e a magia que eles trazem para o espectador...

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥