Resenha: 172 Horas na Lua - Johan Harstad

19 outubro 2015




Ficha Técnica
Autor: Johan Harstad
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 288
Tradutor:
Camila Fernandes
Sinopse:

O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez.
Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 - um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano.
Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviado mais ninguém à Lua.
Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer...
Prepara-se para a contagem regressiva.

Livro cedido em parceria com a editora.




Resenha

Pra começar a resenha preciso soltar uma exclamação:
"Minha gente que livro é esse???"



Passados os dez segundos de chilique, vamos voltar a conversa. Então, eu não gosto de livros no espaço sideral, ou que tenham espaçonaves, extraterrestres e afins, mas ao curti a sinopse de 172 horas na lua e decidi que iria lê-lo pra sair da zona de conforto. E não me arrependi, o livro é muito bom, ou melhor, teve momentos em que me arrependi um pouquinho. Porque, minha gente, passei por um perrengue enquanto lia, senti uma aflição tão grande que chegue a dormir com a luz da sala acesa e a TV ligada (moro sozinha com a minha filha).  Acho que tenho fobia ao espaço sideral.

172 horas na lua começa nos mostrando uma reunião da NASA, onde os grandões estão se reunindo para organizar uma reativação do retorno das expedições lunares, mas como eles não dispõem mais do mesmo prestigio de outrora, que era o que atraia as verbas, surge então a irresponsável ideia de enviar entre a tripulação três adolescentes. Assim eles conseguiriam atrair o interesse da nova geração e da mídia para o programa lunar.
Surge, assim, a campanha "Retorno à Lua" que convidava jovens dos 14 aos 18 anos para se escreverem e concorrerem a ser um dos três adolescentes da tripulação. E é aí que somos apresentados aos protagonistas.
Mia é uma Norueguesa de 16 anos e acho que de longe a que tem mais problemas em casa. Ela é vocalista de uma banda de garagem e dá muito valor ao seu trabalho. Sua convivência dentro de casa é problemática porque seus pais são altamente manipuladores e não a deixam tomar decisões sobre a sua própria vida. Eles forem de longe os personagens que mais me irritaram. Ela também tem um irmãozinho, que ela retrata como estranho, mas que é o seu xodó. Ela é uma das poucas adolescentes que não se interessaram pela viagem à lua.
Midori é uma Japonesa de 16 anos, também não tem um relacionamento assim tão perfeito com os país, mas nem de longe os seus pais são como os de Mia, são meio bobos e alienados, mas nada tão incomum. Ela sonha em sair do japão e fugir da repressão cultural que o país destina as mulheres e vê na viagem à lua, sua grande chance.
Antoine é um Francês de 17 anos que acabou recentemente um relacionamento e não superou. Tudo o que ele mais quer é desaparecer da face da terra e quando vê algo sobre a campanha da NASA acredita que aquilo é tudo o que ele podia querer.

O Livro é narrado em terceira pessoa e vai mostrando os pontos de vista de diversos personagens ao longo da trama. A Narrativa se divide em três partes, chamadas de: A Terra, O Céu e Depois.
Em a Terra somos apresentados aos personagens, vemos como eles são selecionados, treinados e vamos criando laços com a história. Em O Céu embarcamos na missão e vamos parar no espaço sideral, cenário onde todo o drama começa a se desenvolver. Por isso eu vou parando meu resumo por aqui e se vocês quiserem descobrir mais vocês terão de ler a história.

A Trama do livro é densa e cheia de mistérios e acontecimentos intrigantes. Além do horror psicológico, a carga dramática também é uma companheira constante durante toda a leitura, afinal estamos falando de três adolescentes soltos no espaço. A narrativa foi muito bem desenvolvida, o Johan soube bem como entrelaçar todos os fatos e criar uma história embasada e super coerente, que consegue nos prender numa trama que precisamos ter nervos de aço. E até rola até um namorico de leve para aqueles que não dispensam um romance, nada que tenha muita importância para o enredo, mas está lá. Sem dúvidas que o Johan Harstad foi muito feliz e original ao desenvolver o seu enredo, só achei que em um determinado momento ele pecou de leve, pois ele usou-se da narrativa pra nos induzir ao erro e isso era desnecessário.
No mais, ainda assim atribuí 5 estrelas no Skoob, pois o livro é maravilhoso e eu com certeza recomendo a leitura.

Espero que tenham curtido a resenha,
não deixem de deixar suas opiniões nos comentários e um grande beijo ♥

10 comentários:

  1. Que legal, daria um bom filme, haha. Assim como você, também não sou de ler esse tipo de livro. Mas me pareceu bom, não digo que vou ler. Porém há uma possibilidade. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daria mesmo, viu Mari.
      Não duvido nada que adaptem.
      Ia ser louco. Beijooo

      Excluir
  2. Esse livro não é pra mim. Já via algumas resenhas, mas nenhuma me fez simpatizar com eles mesmo são resenhas positivas. Fico feliz que tenha gostado.
    beijos e ótima resenha.

    ResponderExcluir
  3. menina, eu torei aço lendo saporra kkkkkkkkkkkkkkkkeu adorei o livro e muita gente tava falando tão mal que fiquei receosa de ser uma porcaria, e ele me surpreendeu ^^
    Ah, pois acredita que eu detestei Mia pela forma como ela tratava os pais? Nem vi ambos como manipuladores, mas meio que protetores demais xD
    mas ela foi muito irritante...
    enfim...

    hahhaha imaginei tu lendo, e já sabendo teu trauma com essa temática :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá vendo Val, que legal, dois pontos de vista diferentes da história.
      Eu já achei os país dela ridículos, tipo principalmente pelo fato dela não querer ir e eles inscreverem ela sem avisar. Acho isso péssimo e acho que tem muitos país assim que tentam obrigar os filhos a realizar sonhos deles contra a própria vontade. Por isso simpatizei com a Mia.

      Excluir
  4. Oi, tudo bem?
    Também não curto muito histórias com essa coisa de espaço sideral e naves, mas esse livro parece realmente interessante e assim como você, muita gente tem gostado bastante, então tenho interesse em realizar essa leitura.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  5. Mega curto esses tipos de capas, que me deixam com mais vontade de ler o livro.
    Assim que der, irei conferir o livro.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  6. Eu li este livro. Para mim, ele não funcionou tanto assim. É que a parte da terra e os personagens adolescente não despertaram minha empatia. Eu queria mesmo era que todos chegassem logo no espaço e morressem logo rsrsrs.
    Mas o final é bem interessante. A gente fica imaginando um monte de coisas.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Kris, que bom ver que você gostou do livro, eu estou com ele para ler aqui na minha estante mas não tive tempo ainda. Acredito que ele será um dos próximos livros que irei pegar para ler, não vejo a hora de conhecer mais dessa história que todos falam tão bem.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi! Tudo bem?!

    Gente, eu ODIEI esse livro! Achei tudo muito parado, idiota e muitos acontecimentos desnecessários. Achei o final super chato e previsível... A ideia, em minha opinião, foi ótima! Porém, o autor não soube desenvolve-la =( Mas fico feliz que tenha gostado tanto!

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥