Contextualizando: Livros Infantis Sobre Gênero e Orientação Sexual

15 outubro 2015

Oi gente hoje eu resolvi falar sobre uma temática que infelizmente é polêmica hoje em dia, digo infelizmente, porque seria melhor para todos se debater gênero e orientação sexual acontecesse tão naturalmente quanto isso se desenvolve na vida do ser humano.


No início desse ano foi notável o frisson em volta da polêmica sobre lidar ou não com a discussão de gênero no âmbito escolar, isso aconteceu pois em Junho de 2014 foi instituído o prazo para que estados e municípios aprovassem documentos para a sua educação ao longo de dez anos. Essa aprovação é a criação do Plano Estadual de Educação.
E isso mobilizou uma gama de profissionais da área que visam contribuir com o combate a exclusão escolar, a levar a discussão de gênero como matéria para dentro das escolas, tendo assim a possibilidade de combater nas crianças ainda pequenas o bullying, ensinando-os que as diferenças existem e que mesmo com todas as diferenças socialmente temos os mesmos direitos e deveres. Porém, logicamente que uma vertente conservadora e tradicionalista, ergue-se deturpando os ideais igualitários e em muitos lugares levando mentiras hediondas. E como bom país machista, racista e retrógrado que se preze essa vertente foi bem sucedida em vários estados e municípios, não deixando assim que essa tentativa de implementação de igualdade de gêneros tivesse vez.


Tendo explicado essa parte, agora entro no real sentido do post.

É lógico que a escola tem uma grande função na vida dos nossos filhos, mas vale sempre lembrar que nós país também somos educadores. E se o direito de debater sobre gênero nas escolas foi roubado a muitos educadores, não foi a nós país. Nós podemos e devemos erguer esse estudo com os nossos filhos dentro da nossa casa, é lógico que não é uma temática fácil de ser abordada por quem não tem tanta instrução sobre o assunto, e ainda mais quando se lida com crianças, mas existem diversas maneiras de nos capacitarmos para isso. E é por isso que eu resolvi hoje trazer para vocês uma dica de diversos livros sobre gênero e Orientação Sexual.



Menina Não Entra - Telma Guimarães Castro Andrade

Um grupo de amigos quer formar um time de futebol, mas não aceitam que Fernanda se junte a eles – porque ela é menina, e meninas não jogam futebol. Mas quando Fernanda lhes mostra que é boa jogadora, percebem que se enganaram e preconceito não ajuda ninguém a ganhar.
As ilustrações são de Ellen Pestili.







O Fado Padrinho, o Bruxo Afilhado e Outras Coisinhas Mais - Anna Claudia Ramos

Para o menino Luar, a ideia de se tornar um fado madrinho é simplesmente perfeita para realizar seu desejo de ajudar todas as pessoas do mundo que precisam de uma forcinha. Ele não se importa se ser fada madrinha é "coisa de menina".
Ilustrações de Tatiana Paiva.





Olívia Tem Dois Papais - Márcia Leite

A curiosa menina Olivia tem dois pais. Um brinca de bonecas com ela; o outro sabe cozinhar. Ela fica intrigada com isso. Surge outra dúvida: Quem vai lhe ensinar a usar maquiagem e salto alto se nenhuma mulher mora com eles três?
Ilustrações de Taline Schubach. Companhia das Letras.








Do Jeito que a Gente É - Márcia Leite

O adolescente Chico quer assumir para a família que é gay. Béa detesta sua aparência e quer aprender a se aceitar. A história dos dois personagens é contada com sensibilidade, leveza, emoção e sem clichês.







Meus Dois Pais - Walcyr Carrasco

O pai e a mãe de Naldo vão se divorciar. O garoto vai morar com o pai e um amigo dele, Celso, embora todo mundo seja contra isso. Tudo vai muito bem até dizerem para Naldo que seu pai é gay. Ele fica desnorteado, mas uma conversa resolve a situação: o menino entende que isso não muda o amor do pai por ele. Ilustrações de Laurent Cardon.








A História de Júlia e Sua Sombra de Menino - Christian Bruel, Anne Galland e Anne Bozellec

Os pais de Júlia não gostam nada, nada dos modos da filha: dizem que ela se parece com um menino em tudo que faz. Quando a sombra de Júlia fica igualzinha a de um menino, ela se sente triste e começa a questionar sua identidade.






Meu Amigo Jim - Kitty Crowther

Os amigos Jim e Jack são uma gaivota e um melro, respectivamente. Eles passam muito tempo juntos e as outras aves acham isso bem esquisito – mas Jim e Jack não estão nem aí para isso. A autora e ilustradora ainda fala sobre preconceito racial e leitura em Meu Amigo Jim.






Ceci Tem Pipi? - Thierry Lenain

Para Max sempre tudo foi muito simples: existem as pessoas "Com-pipi" e as pessoas "Sem-pipi". Os Com-pipi são considerados os mais fortes, mas Max se confunde com sua nova coleguinha de escola, Ceci. Ela gosta de fazer tudo o que meninos fazem. O garoto começa a se perguntar se a Ceci tem é dos Com-pipi, assim como ele. Ilustrações de Delphine Durand.






Olivia Não Quer Ser Princesa - Ian Falconer

A porquinha Olívia é diferente de suas amigas. Todas elas querem ser princesas, adoram cor-de-rosa e varinha de condão. Olívia começa a se perguntar por que todo mundo tem que pensar do mesmo jeito, ser a mesma coisa e, o mais importante, o que ela quer ser?










Amor Entre Meninas - Shirley Souza

Com leveza e dinamismo, a autora responde diversos questionamentos sobre sexualidade que garotas fazem a si mesmas na adolescência. Achar uma pessoa do mesmo sexo bonita não significa que você é gay. E, se for, fique tranquila: tem nada de errado nisso.








Tal Pai, Tal Filho - Georgina Martins
Um menino decide se tornar bailarino, mas, para isso, precisa enfrentar o preconceito de seu próprio pai, que sempre lhe contou histórias de homens "cabras-machos" de sua terra. Ilustrações de Sergio Serrano.





Então gente, os livros correspondem a várias faixas etárias  e isso deve ser analisado antes de escolher a obra que você vai trabalhar com a sua criança. Todos os livros citados são nacionais. Espero que vocês  tenham curtido a proposta do post, deixem seus comentários e sempre que possível trarei mais postagens abordando essa temática. 

20 comentários:

  1. Dá pra aplaudir essa postagem de pé???
    <3

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Aonde clica para curtir mil vezes? Ótima postagem! Com certeza o mundo seria um lugar bem melhor se falássemos abertamente sobre gênero e preconceitos no geral. Parabéns pelo post! Gostei de verdade!
    Beijos, Carol.
    eicarolleia.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Digitando com os pés porque com as mãos eu to aplaudindo hahahaha
    Adorei o post
    Beijos
    http://myself-here1.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  4. Se eu não me engano já vi esse livro da Olivia. É uma boa ideia termos livros para nos ajudar a educar as crianças porque aliás os livros são sempre os melhores e mais sábios professores

    ResponderExcluir
  5. Excelente contextualização, pena que a educação não alcançou esse avanço, mas considerando a estrutura vigente política, acho que demora um pouco. então, que venham os livros... parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  6. Oi! Tudo bem?

    Adorei o post. E olha, concordo quando diz que infelizmente esse tema é polêmico e tem de ser debatido. Esses dias, conversando com uma amiga, cheguei a conclusão que é ridículo termos que interferir na liberdade de alguém desse jeito. Afinal, ninguém fica debatendo sobre ser hétero, então, por que deveríamos debater sobre a pessoa ser homossexual?! Não faz sentido, não é mesmo? As pessoas deviam se aceitar do jeito que são.

    Adorei a lista de livros, ainda mais por serem nacionais. Creio que trabalhando desde a infância a importância do respeito ao próximo, as próximas gerações serão mais tolerantes. E quem sabe um dia a paz não reine?! :)

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  7. Olá, achei muito bacana a ideia do seu post. Eu acho muito importante as crianças aprenderem desde cedo esses assuntos de gênero e orientação sexual, porque uma hora ou outra eles vão precisar saber disso, e depende a idade, é bom começar desde cedo. Eu por exemplo, antigamente minha mãe conversava comigo sobre isso e até me comprava esses livros infantis para mim aprender, por experiência própria acredito ser a melhor ideia.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Kris, tudo bem?
    Como trabalho no âmbito escolar vejo como seria proveitoso conversar sobre essa temática com as crianças. Acho que vários tipos de preconceitos seriam eliminados ou minimizados com essas conversas desde cedo. Pena que nossos governantes não pensam assim, e mesmo que não possamos falar oficialmente sobre isso, existem várias maneiras de abordá-las em sala, e espero que alguns educadores façam isso. Adorei os livrinho e já vou procurar para comprar, mesmo eu não podendo levar para a sala de aula, posso tentar inseri-los as crianças de outras maneiras.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  9. Kris, não conhecia nenhum dos livros e adorei conhecê-los.
    Obrigada pelo post tão bem explicativo e necessário.
    Adorei a postagem e todos deveriam ler e aprender como ensinar seus filhos sobre gênero e orientação sexual.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo post, é importante demais esse tipo de assunto em escolas mesmo por exemplo, mas como é polêmico é evitado. Deveria sim ser trabalho, uma pena que não seja.
    Abração!

    cafelivrosseries.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Kris primeiramente, parabens pelo post!
    Incrível!!!!
    Você disse tudo e a educação e o conhecimento desde cedo poderia mudar tanta coisa no futuro e as pessoas não tem essa consciencia.
    Sobre os livro eu não os conhecia, mas gostei muito das propostas de todos eles.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Esse post merece aplausos!
    Concordo com tudo o que você disse. É muito importante a presença dos pais nesses assuntos mais difíceis, e acho que todos devem parar e conversar com seus filhos sobre isto.
    Não conhecia nenhum dos livros mas achei todos muito bacana.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

  13. Então, eu sou beeeem conservadora, filho meu não usa vestido, filha minha não tem namorada.
    Ah nossa que preconceito, não é preconceito é conceito.
    Ah mas e se acontecer? Ai aconteceu e eu vou ter de aceitar, mas, nao vou criar meus filhos como se a identidade de genero nao existisse, existe e ponto , eu tenho a minha e meus filhos terao as deles e ponto, eu tenho umas 3 bíblias em casa atualmente é espero ter mais, pra que meus livros possam crescer com os olhos nas palavras de Deus, que é o livro mais importante do mundo, já pra quem acha útil, os que você indicou são ótimas indicações, principalmente o da menina com dois pais, é sempre legal ter algo que ajude a desfazer a confusão externa na mente das nossas crianças
    Bjs
    Tay do Let It Shine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, Tayana chamar preconceito de conceito, não muda o que ele é.
      Recomendo que você pesquise mais sobre o que é identidade de gênero, pois seu comentário acabou sendo contraditório.
      Eu não tenho biblias em casa e sinceramente, não quero. Vou criar minha filha para pensar por si própria e não sob o julgo de uma ameaça de inferno, mas essa é uma decisão Minha, é a Minha realidade e não tento passa-la ou força-la para os outros. Criarei minha filha livre, para ser consciente, lhe darei instrução e quando ela crescer ela será uma mulher inteligente e decidida o bastante para decidir no que acredita e o que é melhor pra ela.
      Se tem uma coisa que eu acredito é que filhos não são marionetes em quem nós projetamos os nossos desejos, eles tem mente própria e no devido tempo tomarão suas próprias decisões.
      Obrigada pela Visita ^_^

      Excluir
  14. Lindo post!! Adorei as indicações, livros lindos! Concordo com tudo. Realmente deveríamos ter mais diálogo sobre sexualidade e conceitos assim em nossas escolas, e não só nas de ensino médio. Um livro maravilhoso e que poderia estar nesse post também é O Menino de Vestido. Simplesmente genial.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olha eu sou adepta a debater esse assunto sim, muitos pais são contra e a escola não ajuda de certa forma, tendo esse preconceito em cima do que é certo e errado, sendo que tudo é valido se há amor, eu tenho um irmão e não temos problemas em lidar com esses assuntos, mesmo sendo pequeno ele compreende, e compraria sim os livros pra ele e para meus futuros filhos.
    http://k-secretmagic.blogspot.com.br/
    Xoxo

    ResponderExcluir
  16. Ei Kris! Eu super apoio livros de orientação para crianças, principalmente com figuras, desde que respeitem na hora de editar o conteúdo e a classificação por idade. Tenho dois sobrinhos bem pequenos ainda, mas quando fizerem uns seis anos tenho certeza de que vão começar as perguntas, aliás, algumas bem dificeis já começaram e eu nem sei por onde começo a resposta kkkkkkk
    Obrigada pela dica, salvou a tia aqui
    Bjsssss
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oie, tudo bom?
    Acho que essa discussão é muito válida, principalmente porque temos visto muitos discursos de ódio sem fundamento por aí. As crianças precisam ser orientadas sobre o amor e não o ódio.
    Parabéns pelo post!
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Nossa amei esse post, por que eu não sabia que tinha livros sobre o tema, e pelo que eu vi parecem tratar com muita delicadeza e de uma forma linda.
    coisasdemineira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá

    Adorei o post,não conhecia nenhum dos livros e quero ler todos.
    Bom seria se esse tema fosse mais discutido na sociedade, a criança sendo diferente já começa a sofre preconceito, e pelo andar das coisas a tendência do nosso país é infelizmente fica pior.

    Bjss

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥