Resenha: Bom Dia, Sr. Mandela, de Zelda la Grange.

24 junho 2015




Edição: 
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581636184
Ano: 2015
Páginas: 432
Sinopse: Bom Dia, Sr. Mandela conta a extraordinária história de uma jovem que teve suas crenças, preconceitos e tudo em que sempre acreditou transformados pelo maior homem de seu tempo. A incrível trajetória de uma datilógrafa que, escolhida para se tornar a mais leal e devotada assessora de Nelson Mandela, passou a maior parte de sua vida trabalhando ao lado do homem que ela passaria a chamar de Khulu, ou avô.



Resenha


Difícil resenhar este livro, uma vez que ele nem parece ser um livro. 
Zelda la Grange nos conta a história que viveu ao lado de Nelson Mandela como quem conta a um amigo durante um jantar, ou a um diário íntimo antes de dormir.
Desta forma, a leitura flui de acordo com o interesse de Zelda na história que está sendo contada no momento. Assim também é com as descrições ou com a emoção de cada capítulo. É tudo relativo ao que a autora sentia no momento,e isso é um elemento bastante interessante no livro.


Não é uma biografia romanceada da história de Mandela, mas um relato de Zelda, sobre sua própria vida, e como Nelson Mandela se transformou de vilão a objeto de adoração. De inimigo a Khulu.
Mandela, nascido de uma tribo onde sua família era nobre, era um advogado (formado na única faculdade que aceitava negros no país) e ativista antiapartheid ("Apartheid" foi o regime Sul- Africano que separava totalmente negros de brancos, proibindo-os de qualquer contato, e até de frequentar cidades diferentes das suas.) que após 27 anos na prisão, tornou-se presidente de seu país, entre os anos de 1994 a 1999. 
Em meio ao medo dos Africâneres (Sul- Africanos brancos, descendentes de Holandeses e Franceses, entre outros.) de que o homem se vingasse de toda a humilhação passada na cadeia, Zelda se candidata para ser datilógrafa no gabinete do homem que ela, devido sua criação, considerava uma ameaça.

O livro é a história de como Mandela, aos poucos, transformou uma moça que tinha muita convicção em suas crenças racistas em sua apaixonada assessora. Uma mulher que, segundo ela mesma, lutava pela sua aprovação, e para se mostrar indispensável a seu Khulu.
O modo como ela descreve o momento em que conheceu Mandela é arrebatador, e eu preciso transcrever aqui:
Eu disse: "Bom dia, Sr. Mandela". Realmente eu não sabia o que fazer naquele momento, exceto chorar. O que fiz. Era muito para mim. Eu solucei. Ele, então, falou comigo, mas eu não entendi, completamente em choque. Eu tive de falar: "Perdão, Sr. Presidente", para que ele repetisse o que havia acabado de me dizer, e, depois de juntar meus pensamentos ou tripas - não tenho certeza do quê - , compreendi que ele havia se dirigido a mim em africâner. Meu idioma. (...) Fui completamente tomada pela emoção e não conseguia continuar. Então tive um sentimento de remorso que tomou conta de mim. Eu me senti culpada por essa pessoa tão gentil, com olhos bondosos e generosidade de espírito, falar comigo em minha própria língua, depois que "meu povo" o havia jogado na prisão por tantos anos. Instantaneamente me arrependi de ter votado "não" no referendo. (Sobre o fim do Apartheid.) Como corrigir tanto preconceito em cinco minutos?
 O livro é envolvente. É um relato emocionado de como Zelda passou a respeitar e amar o homem que antes temia, é uma declaração de amor, e talvez até de desespero após sua morte em 2013. Não é um estudo imparcial sobre o Estadista Nelson Mandela, mas uma ode de amor e admiração ao homem que Zelda conheceu e a quem serviu por 19 anos, galgando posições mais próximas a ele neste período. 

É um livro que mistura fatos históricos ao juízo de valor de Zelda la Grange, mas ainda assim, uma boa leitura para conhecer um pouco sobre o que se passou na África do Sul à época do apartheid, e logo após seu fim.



 (...) O Sr. Mandela me contou que De Klerk (Presidente da África do Sul de 1989 até 1994) o visitou alguns dias antes do anúncio de sua soltura. Sem cerimônias, ele disse ao Mandela que estava livre para sair. O Sr. Mandela disse que não poderia sair imediatamente e que precisava garantir ao seu povo um tempo para se preparar para sua libertação. (...) Muitas vezes lhe perguntei se ele não temeu que o governo mudasse sua decisão naqueles dias extras. Ele me olhava, surpreso pelo fato de eu desconfiar das pessoas daquela maneira, ria e então dizia "não".
É uma leitura por vezes intensa, principalmente se você se incomoda com preconceito. Saber que há tão pouco tempo alguma parte  do mundo ainda era tão ABERTAMENTE racista, (porque até hoje ainda o é, apenas de forma mais dissimulada) e ler os relatos de uma pessoa que há tão pouco tempo achava tudo normal é assustador. 

A própria Zelda, por vezes questiona a si mesma por nunca ter achado o apartheid injusto, questionando a força que ter sido criada e educada por segregacionistas exercia em seu julgamento. A forma como ela percebe isso, e aos poucos desconstrói essa visão, não apenas em si mesma, mas também nos pais e pessoas próximas com seus relatos é algo impressionante.

Leia com um lencinho do lado, você vai precisar.


10 comentários:

  1. OI Amanda, tudo bem?
    Este livro deve ser mega interessante. Primeira resenha que vejo dele, mas já tinha visto o lançamento.
    Gosto de leituras que são emocionantes, e pelo jeito que você falou dá para derramar algumas lágrimas. Livro mais que recomendado e eu leria com certeza.

    livrosvamosdevoralos.bogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda!!
    Estou com esse livro aqui para a leitura e sei que vou aprender muito sobre ele. É a primeira resenha que vejo do livro e já fiquei bastante animada para ler. Ainda mais trazendo tantos ensinamentos assim. Espero aprender bastante com ele.!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  3. É a primeira resenha que vejo do livro e parece ser cheio de ensinamentos.
    Meu noivo gosta muito da história de Mandela, acho que ele iria adorar essa leitura.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Olívio parece ser bastante interessante, por se tratar de uma pessoa que foi bastante importante, mas acho que não faria meu tipo! Não sou muito fan de biografias e relacionados, mas quem gosta desse gênero, tenho certeza que vai adorar o livro!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Estou com o livro aqui para ler e a sua resenha me animou para lê-lo logo. Parece um livro intenso e marcante e que em muitos momentos nos faz refletir.
    Adorei a resenha!
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Menina, eu tô louca com esse livro. Coloquei ele pra ler durante a maratona que irei participar e a vontade que tenho é pegar e ler logo, hehehe. Amo livros de memórias, e você contar que precisa ter um lencinho por perto só aumenta minhas expectativas com o livro, amo um bom drama e histórias de superação sempre mechem muito comigo. Espero gostar tanto quanto você. Amei a resenha, ficou ótima!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/2015/06/vango-entre-o-ceu-e-terra.html

    ResponderExcluir
  7. Oi, Amanda!
    Já estou de olho nesse livro já faz um tempinho, mas ainda não encontrei para comprar aqui perto. Adoro livro biográficos e não poderia deixar de ler sobre Mandela. Muito boa sua resenha.

    Beijos
    http://www.breakingfree.blog.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Amanda.
    Nossa, não conhecia o livro mas ele realmente parece ser incrível! Com certeza vou querer ler ele em breve, livros de memórias, contando uma história tão interessante assim com certeza é algo que eu não vou deixar de conferir.
    Beijos
    Carol
    www.sobrevicioselivros.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda, tudo bem?

    Gostei bastante da sua resenha, parece ser um livro bastante emocionante também. Principalmente pela visão da Zelda, em como ela aos poucos foi conhecendo melhor o homem que Mandela foi, e quebrando seus próprios preconceitos... é interessante ver o outro lado da história. Adorei os quotes, principalmente o da reação dela quando o conheceu.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bom?
    Sou uma leitora assídua de biografias e essa eu conhecia apenas pela sinopse. Parece ser um livro diferente, como você mesma descreveu na resenha, porque a Zelda relata sua experiência com Mandela. É um livro que eu com certeza leria porque a história de vida do Mandela é impressionante e ele lutou por belas causas.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥