Resenha: Para Sir Phillip, Com Amor - Júlia Quinn

23 maio 2015






Ficha Técnica
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413625
Ano: 2015
Páginas: 288
Tradutor: Cássia Zanon
Sinopse:

Para Sir Phillip, Com Amor - Eloise Bridgerton é uma jovem simpática e extrovertida, cuja forma preferida de comunicação sempre foram as cartas, nas quais sua personalidade se torna ainda mais cativante. Quando uma prima distante morre, ela decide escrever para o viúvo e oferecer as condolências.
Ao ser surpreendido por um gesto tão amável vindo de uma desconhecida, Sir Phillip resolve retribuir a atenção e responder. Assim, os dois começam uma instigante troca de correspondências. Ele logo descobre que Eloise, além de uma solteirona que nunca encontrou o par perfeito, é uma confidente de rara inteligência. E ela fica sabendo que Sir Phillip é um cavalheiro honrado que quer encontrar uma esposa para ajudá-lo na criação de seus dois filhos órfãos.
Após alguns meses, uma das cartas traz uma proposta peculiar: o que Eloise acharia de passar uma temporada com Sir Phillip para os dois se conhecerem melhor e, caso se deem bem, pensarem em se casar?
Ela aceita o convite, mas em pouco tempo eles se dão conta de que, ao vivo, não são bem como imaginaram. Ela é voluntariosa e não para de falar, e ele é temperamental e rude, com um comportamento bem diferente dos homens da alta sociedade londrina. Apesar disso, nos raros momentos em que Eloise fecha a boca, Phillip só pensa em beijá-la. E cada vez que ele sorri, o resto do mundo desaparece e ela só quer se jogar em seus braços.
Agora os dois precisam descobrir se, mesmo com todas as suas imperfeições, foram feitos um para o outro. 

Antes de começar a resenhar o livro eu preciso deixar claro que: Se houve algo de ruim em fazer essa leitura foi apenas a saudade que eu ficarei dos personagens até que o próximo livro seja lançado. Por favor Editora Arqueiro Pleeease!

Enfim, vamos a resenha.

A história começa em Gloucestershire é o ano de 1823, e vemos Phillip Crane aproveitar a luz do dia, algo que pra ele deixou de ser habitual e logo saberemos o porquê.
Sir Phillip é casado com Marina uma jovem melancólica (nos dias atuais ela seria diagnosticada depressiva grave) e tem com ela um casal de gêmeos. Em um dia ensolarado Marina tenta pôr fim a sua tristeza se lançando nas águas do lago que existe na residência, mas Phillip a salva do afogamento, porém isso não é o suficiente para salva-la da febre que a acomete e ela vem a óbito dias depois. Deixando Phillip com duas crianças para criar e algumas cartas de pêsames pra responder e entre essas cartas, uma em especial chama a sua atenção.
Eloise Bridgerton é uma jovem alegre, sagaz, inteligente e questionadora, que vive de bem com a vida e se considera uma solteirona, mas isso não era problema pois ela sempre pensou que sempre teria a companhia de Penelope, sua melhor amiga. Mas, quando Penelope se casa com seu irmão Colin, Eloise é tomada por um turbilhão de dúvidas, que a faz agir sem pensar (como sempre, só que dessa vez essa atitude teria maiores consequências) e ela parte em uma aventura que não era permitida em seu tempo a nenhuma jovem da sua casta. Eloise parte ao encontro de Sir Phillip, o homem com quem ela vem se correspondendo a tempos e que acaba de lhe propor casamento, sem nem ao menos ter-lha visto um dia.

Eu emendei essa leitura a do livro anterior, e já escrevi a resenha há um tempinho, ela foi publicada inicialmente no Poesia na Alma, onde sou resenhista, O livro foi cortesia da Editora e desde já agradeço. Continuado. Confesso que havia terminado a leitura de Os Segredos de Colin Bridgerton curiosa com o segredo de Eloise Bridgerton, pois deu pra perceber que ela estava arquitetando alguma coisa naquela ocasião e depois de acompanhar as artes de uma levada Eloise Bridgerton por três livros, eu já conhecia a peça. E mais uma vez a Júlia Quinn confirmou minhas suspeitas.

Eu achei que esse livro retomou as pegadas dos livros anteriores, fazendo com que só Os Segredos de Colin Bridgerton fugisse um pouco do estilo da narrativa. Esse livro resgatou um pouco da agitação ( "?" Seria essa a palavra? ), a intensidade que é comum a série, mas não foi tão presente no quarto livro. E acho que essa intensidade se deu devido a Phillip, que é personagens masculinos tão intensos que bem que poderia ser um Bridgerton e Eloise, não fica atrás. Como sempre ela é uma personagem feminina forte e determinada, ouso até dizer que a mais determinada até agora. Visto que ela toma uma atitude, bem “Prafrentex” do que era concedido a uma Dama na sua época. E parte numa fuga, rumo ao desconhecido sem se preocupar com perigos ou convenções sociais.
Outros pontos marcantes do livro são o fato da autora abordar em um contexto antigo, um tema que é bem comum nos dias atuais, porém é bem antigo, só mudou o nome e a maneira que era encarado: “A Depressão”. O outro é desencadeado pelo fato de terem crianças envolvidas, ah e diga-se de passagem crianças nem um pouco fáceis e é o da “Violência Infantil”. O que mostra mais uma vez que ao contrário do que alguns possam pensar, os livros não são romances água com açúcar e levam em si muito mais envolvido.

Eu já esperava pelo que havia visto de Eloise nos outros livros, que o seu fosse dinâmico e divertido e assim o foi. Da mesma forma que foi intenso e apaixonado. O que era de se esperar de uma jovem impulsiva e independente. Como sempre, não posso deixar de falar sobre a parte mais picante da história, onde a Júlia consegue denotar intensidade, paixão de maneira doce e sedutora. Ah, eu também tive a oportunidade de matar a saudade da ala masculina da família Bridgerton, assim como a de rir, muito com o papelão proporcionado por eles ao ir salvar a irmãzinha (ou vocês acham que eles não iriam?).

A maneira que a Júlia conduziu a narrativa culminando num final apaixonante é digna só de uma autora maravilhosa como Júlia Quinn mesmo. Recomendo a leitura, como os anteriores entrou para o meu Hall de Favoritos e tenho certeza de que vocês não iram se  arrepender. Pois a escrita da Júlia é gostosa, dinâmica e flui tanto que fica difícil largar o livro antes do fim

E agora ansiedade é o que define essa espera pelo próximo livro da série e tristeza em lembrar que só faltam mais três livros para chegarmos ao final.
Não deixem de vir conferir as próximas resenhas da série e interajam conosco nos comentários, beijos!

Um comentário:

  1. Olpá
    devo lhe dizer que eu não sou muito fã de livros de epoca, principalmente romances rsrsrs
    mas bastante gente admira o trabalho dessa autora, acho as capas bem legais
    Bjks
    Passa Lá No meu Blog, Tem Resenha Nova - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥