Resenha: Um Perfeito Cavalheiro - Júlia Quinn

11 abril 2015




Ficha Técnica

Edição:
1
Editora:
Arqueiro
ISBN:
9788580412383
Ano:
2014
Páginas:
304
Tradutor:
Cássia Zanon
Leia a Sinopse no Skoob




Resenha


Oi Gente, hoje trago para vocês mais uma resenha da série os Bridgertons da Julia Quinn. Dessa vez vou falar do livro três – Um Perfeito Cavalheiro. O Romance conta a história de como Bennedict, o segundo filho da família bridgerton (dá pra notar pelo nome) se apaixona.
O Tema que a júlia abordou dessa vez foi diferença social e pela época em que o romance se passa, vocês supõem o peso que isso tem na história, né?
Então, quando eu terminei de ler O Visconde que me amava (livro dois), eu li logo o primeiro capítulo e notei que a história se tratava de uma releitura do conto de fadas “Cinderela” e por isso adiei a leitura. Temi que o uso dessa temática, tão rebuscada dos contos de fadas, me pudessem fazer decepcionar com a autora.
Ledo engano.
Até que um dia decidi ler e pensei: “Que seja o que a Deusa quiser” e não me arrependi. A Julia como sempre me surpreendeu, com o rumo maravilhoso que ela deu a trama, a deixando com a cara de algo que só Julia Quinn poderia escrever. Simplesmente amei! (só pra variar)

Agora deixa eu contar um pouco dessa trama pra vocês!


Sophie é a filha bastarda de um conde, que durante a infância levou-a para morar consigo sob a posição de protegida. E assim durante a infância Sophie era bem tratada, educada e criada com tudo do bom e do melhor, exceto o principal, o amor do pai.
Até que o conde se casou com uma viúva que tinha duas filhas e que indo morar junto ao conde, percebeu ao olhar para Sophie sua real origem, passando assim a nutrir por ela um ódio completamente mortal.
Anos se passam até que o conde morre, deixando em testamento que a madrasta receberia uma mesada para cuidar de Sophie até os 18 anos e um dote para que ela assim pudesse se casar. A revelia e simplesmente pelo interesse na grande quantia que receberia por isso a bruxa madrasta, permite que Sophie continue na casa, porém a rebaixa ao cargo de camareira (na verdade, escrava) e sempre diz que faz aquilo por caridade, sem nunca revelar a quantia que recebia para mantê-la e nem sobre o dote a que ela teria direito.

Mais uma vez, estamos em alta temporada em Londres, então não poderia faltar nessa história mães desesperadas por casar suas filhas e solteiros desesperados por fugir delas. E o ponto alto desse ano é o baile de máscara na mansão dos Bridgertons.
E como eu já falei, o livro é uma releitura de “Cinderela”, não é spoiler se eu disser que Sophie receberá uma ajudinha pra ir nessa festa, né? E lá o príncipe...
Não péra! Bennedict, que sendo o Bridgerton solteiro mais velho é o maior partido do ano, só terá olhos pra ela. Ah, mais desse vez não tem sapato (ufaaaa!), mas é lógico que ela deixa alguma coisa pra trás (vocês vão ter que ler pra saber o que é).

Mas então, no dia seguinte ao baile após alguns acontecimentos, a perversa madrasta manda Sophie embora e ela parte sem nenhuma perspectiva em busca de trabalho e de como vai sobreviver sozinha num mundo do qual ela conhece tão pouco. Mas ela consegue se virar e anos depois, acaba revendo Bennedict, quando ele a salva de um estupro iminente. Só que ele não a reconhece e é aí que a história começa a mudar...

Não vai ser novidade eu dizer que essa mocinha não é frágil, nem submissa, porque isso é de praxe nos livros da Júlia e eu sempre digo isso nas resenhas por aqui. Da mesma forma que é comum eu enfatizar no meu amor e carinho em relação aos personagens masculinos da família Bridgerton, que acabam por destoar tanto dentro dessa época machista e preconceituosa em que a história se passa, devido ao amor e a educação que receberam de Violet a incrível matriarca dessa maravilhosa família.  


- Você tem a língua muito ferina pra uma criada.
- Sinto muito - disse Sophie com rapidez.
Ela precisava lembrar qual era o seu lugar. Mas era muito difícil fazer isso com aquele homem, o único membro da sociedade que a havia tratado como uma semelhante.
- Eu falei isso como um elogio - retrucou Bennedict - Não se reprima por minha causa.


Lógico que eu recomendo o livro, é o terceiro que eu favorito da série. E pode crer que é impossível não se apaixonar por essa família.

Minha próxima leitura da série, já chegou e será Os Segredos de Colin Bridgerton e eu estou em êxtase, ao mesmo tempo que adiando a leitura por medo que ela acabe logo, pois Colin e Penélope me conquistaram desde o primeiro livro...
Enfim, não deixem de vir ler a próxima resenha da série. Beijos!

17 comentários:

  1. Nossa adorei sua resenha Kris, não sou fãzona de Cinderela, mas algo me diz que esta história seja até melhor! Amei o fato da mocinha não ser submissa.. geralmente livros com personagens assim me conquistam fácil. Super beijo

    Mutações Faíscantes da Porto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei dessa versão por que rola uma vingança, hauhauhauah
      Falo mais nada, pra não dar spoiler, mas vale a pena Carol.
      Beijos e obrigada pelo carinho de sempre ^_^

      Excluir
  2. Gosto muito de releituras, na verdade tenho vontade de reescrever contos infantis. Embora se eu o fizesse ficaria longe de ser algo "bonitinho" rsrsr Seria algo mais sinistro, enfim. A proposta do livro é interessante. Confiando no que você citou sobre a personagem feminina não ser submissa lança-se um luz a historia. O que você achou da arte da capa ? ( eu sempre fico viajando nas artes de capa). A desses livros me lembram muito os livros de romance que eu comprava em banca de revistas ( e que era categoricamente zuado por isso, o que não vem ao caso).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augusto, eu era zoada, então imagino que em você que é homem a galera caia matando hein? Olha os dois primeiros títulos da série foram lançados pela nova cultural, ou seja, Romance de banca.
      Acho legal porque isso passa na cara de quem é preconceituoso em relação a esses romances que a única coisa que eles tem de inferior é a qualidade do papel. No mais as histórias são maravilhosas.
      Obrigada pela visita e pelo rico comentário.
      volte sempre

      Excluir
  3. Sou louca pra ler esses livros acho que a história é linda porque as resenhas que leio incluindo a sua mão todas magnificas e a sua em especial foi rica em detalhes, amei demais
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. eu leria de boa porque gosto de releituras e adaptações de Cinderella. ^^
    Só não sei quando vou poder ter a coleção completa, pq detesto ler série sem ser na sequencia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha tu me surpreendendo, não pensei que tu gostaria disso, nunca!
      hauhauha, mas essa série não precisa ler na sequência, não.
      Beijos Val, obrigada pelo carinho ^_^

      Excluir
  5. Olá ! Os Bridgertons! Meus amores
    Benedict bridgerton é com toda certeza um apaixonado sem mais. Ok, todos são, mais esse nasceu já assim ahahhaa. Claro, meu preferido é Anthony, mas Benedict é o segundo hihi
    Adorei sua resenha e espero que ame os outros!
    Beijos
    cheireiumlivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luana, meu favorito é o Colin.
      Mais amo todos, achei Anthony very very safado, me surpreendeu.
      Obrigada pela visita, beijos.

      Excluir
  6. Oláá
    Tudo bem?
    Adorei sua resenha, porém, não curto muito esse gênero de livros, apesar de ser romance e tudo mais, porém, nunca ouvi falar mal então quem sabe não tente ler daqui um tempo?

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/
    Catharina
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, quem sabe em outro momento você fica mais propicia e lê.
      Só não vale se obrigar a fazer o que não gosta.
      Beijos Cath ^_^

      Excluir
  7. Olá!!! Tudo bem? A série Os Bridgetons me fez ficar super fã da Júlia Quinn, já estou contando os dias para a Bienal!! Li apenas os 3 primeiros, gostei bastante de Um Perfeito Cavalheiro, mas algumas atitudes de Benedict me irritaram um pouco. O meu preferido é O Duque e Eu! Estou doida para ler os próximos!!

    Beijos

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana eu também fui conquistada pelos Bridgertons, essa semana ainda vou ler Os Segredos de Colin <3
      Ele é meu favorito ♥
      Passa por aqui depois que em breve sai a resenha, tá?
      Beijooos

      Excluir
  8. Oi Kris, tudo bem?
    Comprei O Duque e Eu pois estou muito curiosa sobre essa série que todo mundo fala tão bem.
    Um perfeito Cavalheiro quase comprei hoje, mas como não tenho o segundo resolvi adiar a compra.
    Não sabia que era uma releitura de Cinderela e agora me deixou com mais vontade de ler.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Angélica, dá pra ler sem seguir a ordem, só não recomendo ler o quarto antes do tempo pois nele um segredo é revelado. beijos e obrigada pela visita.

      Excluir
  9. Aiiii, é muito amor por essa série e por essa autora.
    Ao contrário de você, o fato do livro ser inspirado em Cinderela é o que mais me chama a atenção, kkkkk, amo contos de fadas. Que bom que você resolveu encarar o livro, e que o amou :)
    E realmente, é impossível não amar os hominhos Bridgertons, a Violet os criou muito bem, e nesse livro, virei ainda mais fã dela do que já era *-*
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥