Resenha: A Máquina de Contar Histórias - Maurício Gomyde

17 abril 2015



Ficha Técnica
Autor(a):
Maurício Gomyde
Gênero:
LITERATURA NACIONAL
Páginas:
192
ISBN:
9788581635040
Sinopse:
Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V.
Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.

Resenha


Oi gente, eu recebi a oportunidade de ler a máquina de contar histórias em parceria com o autor Maurício Gomyde. Já fazia um tempo que eu tinha interesse de fazer essa leitura, pois só ouvir falar bem do livro por blogueiras que eu curto e respeito muito a opinião literária, como a Val do Torpor Niilista, por exemplo. Inicialmente fiquei relutante com a história, mas em seguida ela conseguiu me conquistar completamente.

A Máquina de contar histórias conta a história de uma família enlutada e em meio ao caos, em busca de se reencontrar e refazer os laços que o tempo acabou por romper com negligencia, descaso, abandono e muita mágoa.
Vinícius é o patriarca da família V, um famoso escritor que passa a vida para escrever e lançar seus livros, viajando de lugar em lugar, de lançamento em lançamento e acaba assim deixando de lado a sua família quando ela mais precisa.
Sua esposa Viviana está morrendo no hospital, acompanhada por Valentina sua filha mais velha. Ela tem leucemia em fase terminal e pode partir a qualquer momento. Enquanto isso Vinícius está viajando para divulgar seu último livro, entre festas e noites de autógrafos. Na noite em que Viviana parte ele está incomunicável e apenas no dia seguinte recebe a notícia partindo rapidamente para casa.
Uma vez lá após o serviço fúnebre da esposa, ele descobre os danos que causou na sua própria família. Valentina o odeia e culpa pela ausência ao lado do leito de morte da mulher que ele dizia que amava. Vida, a filha mais nova, é só uma menina de três anos confusa e com saudades da mãe, que não sabendo o porquê da situação e vendo a irmã lançar nos pais sua mágoa, começa então a fazer o mesmo. E é
Vinícius então, percebe que precisa fazer alguma coisa para reconquistar suas filhas, ou melhor pra conhece-las, pois como pai ausente que foi, ele sabe muito pouco sobre elas. E após alguns acontecimentos ele decide partir com as filhas numa jornada em busca do amor, do companheirismo que ele nunca deveria ter deixado se perder, e porque não de autoconhecimento?


A Máquina de Contar Histórias me conquistou aos 45 do segundo tempo, inicialmente achei a personagem de Valentina, exorbitantemente chata e mimada. Mesmo tendo visto a mãe morrer e tendo estado com ela em seus últimos momentos, ela não teria o direito de julgar o sofrimento dos outros e colocar o seu como o único sentimento verdadeiro. Vinícius sem dúvidas foi um pai relapso e completamente ausente e sempre que resolvia tentar se aproximar das filhas, parecia que na verdade, estava tentando compra-las, o que acabava não ajudando. O que fez com que a primeira parte do livro ficasse um pouco pedante, pra mim. Mas a partir da segunda parte a história vai se modelando em uma história com belos traços. Corações vão sendo quebrantados, perdões vão sendo pedidos, o passado começa a revelar nuances doces e pai e filha vão se reconhecendo, vendo como são parecidos e o quanto tem em comum. A partir da segunda parte do livro, os sentimentos foram se transformando e junto com ele a leitura, que acabou me cativando e me fazendo a acabar com os olhos rasos d’água.

Sem dúvidas recomendo a leitura. A escrita do Gomyde é moderna e ao mesmo tempo clássica, sem palavras rebuscadas, ou muitos rodeios. A parte musical presente na história é um atrativo a parte. A Capa do livro é magnifica e a diagramação da Novo Conceito encantadora. Espero que leiam, gostem e venham aqui trocar uma ideia comigo.

Ahh, não deixem de seguir o autor pelo Instagram @mauriciogomyde ele sempre lança grandes ações e por lá. E sigam o IG do blog também, é só comentar dizendo que é leitor do blog e será um prazer seguir vocês também, mas span, blz? @LadyCereja
Você que já leu, deixa aí a sua opinião, gostou do livro? Quais as suas expressões. Beijos!

14 comentários:

  1. Gente, adorei a capa, que coisa mais fofa. A história não parece ser muito complicada.
    E é uma história comum, é bem normal esse tipo de coisa acontecer, sabe. Pelo menos ele está tentando concertar tudo, apesar de que precisou alguém morrer para isso acontecer né. Complicado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariana, verdade a história é bem comum.
      Acontece mesmo em várias famílias por aí infelizmente.
      A capa do livro é lindona mesmo, né?

      Excluir
  2. Que história linda, muito emocionante
    só de um pai querer conquistar todo o amor das filhas, isso nos mostra, que amor esta acima de tudo e de todos, e que o perdão , sempre vem se correr atrás, com garra e muito amor para oferecer
    Gostei demais da sua resenha
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Telma, perdoar pode ser difícil, mas dar perdão a alguém é dar perdão a nós mesmos de certa forma, né? Fico feliz que tenha gostado e obrigada pela visita!

      Excluir
  3. Que história bacana Kris.. parece ser tão triste, mas só de ler sua resenha já me encantei. Eu não suporto crianças mimadas sabe, acho que não teria a mesma paciência de Vinícius para reconquistar as filhas, mas pelo fato dele ter abandonado a família, então creio que pelo menos ele tentou provar que ainda poderia ser um bom pai para elas e ao que tudo indica conseguiu. Fiquei bem mexida com seu texto confesso, vou procurar saber mais sobre essa obra com toda certeza. Beijos

    Mutações Faíscantes da Porto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol a parte do mimo foi a que mais me irritou na leitura, mas como ele tinha sido um belo FDP, ele bem que mereceu. A História é bem profunda mesmo e emociona sempre que traz a história do decorrer da doença da Viviana à tona. Vale a pena ler, mesmo. Beijos

      Excluir
  4. Engraçado como já vi em alguns filmes ( especialmente de terror) turbulências na vida de autores, bem que eu queria poder ir pra uma casa no lago pra poder escrever em paz ( mas sem ser atacado por espíritos malignos e psicopatas). É bacana ver a historia se desenvolvendo nessa ótica, da lida do autor e sua família, no impacto da relação entre seus familiares. é bom ver alguma positividade, o perdão ( embora o perdão seja uma palavra pouco usada no meu dia a dia), os laços de família. Achei a arte da capa adorável e convidativa ( eu mesmo tenho duas maquinas de escrever <3) -- Também quero ler o Menino dos Fantoches de Varsóvia, você já leu/resenhou ele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augusto, eu ganhei O menino dos fantoches de Varsóvia no fim do ano passado e ainda não tive oportunidade de o ler (tô cheia de livro de parceria), mas ele tá na minha listinha de próximas leituras.

      Excluir
  5. eeeeee fico feliz que tu tenha curtido o livro, mesmo que só depois da segunda parte rsrs Obrigada por me citar no post, Kris <3
    Não sabia que vc era parceira do autor, ele é um fofo, né??? ^^ Ele me enviou esse livro por causa de um sorteio que ganhei, e autografou.
    queria mt conhecer outras obras dele, ele escreve muito bem.
    Bjs
    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi recente Val, a parceria com ele foi pelo Insta do blog, mas eu trouxe a resenha pra cá também, pois me permite mais desenvolver que no instagram ^_^
      Ele é bem simpático mesmo e a escrita muito boa.

      Excluir
  6. Oi Kris, tudo bem?
    Já faz um tempo que quero ler o livro e cada resenha que leio confirma que devo fazer isso.
    Acho muito curioso toda a família ter V no nome, mas essa relação entre pai e filhas, a tentativa da reaproximação ´o que mais chama atenção.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Hey, Kris, tudo bem?

    Nunca li nada dele também apesar de ter um interesse por essa obra também por causa de resenhas que li pela blogosfera. Que bom que o livro conseguiu te emocionar no final, é muito bom quando um livro consegue no afetar dessa maneira sutil mas mesmo assim marcante.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  8. Já tive o prazer de ler dois livros do Maurício, e gostei de ambos. Uma escrita leve, divertida e envolvente. Este infelizmente ainda não li, mas está nos meus planos.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  9. Oláá
    Sooou muuuito curiosa para ler esse livro, pois sempre quis ler algo do autor, os enredo me atraem muito e esse principalmente pois sempre escuto elogios, e sua resenha ficou ótima ;)

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/
    Catharina
    Beijos

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥