Resenha - Na teia do Morcego, de Jorge Miguel Marinho

04 março 2015

Antes de tudo, segura a trilha sonora do livro e da vida, segundo Herman Hesse Montenegro, o Robin Tupiniquim.



Agora vai o post...


Edição: 
Editora:Gaivota
ISBN: 9788564816299
Ano: 2012
Páginas: 256

SinopseSe o herói desta narrativa é ou não o mesmo Batman das histórias em quadrinhos, este é o desafio para o leitor. Será que o Cavaleiro das Trevas se mudou para o centro de São Paulo e, por razões íntimas, não pretende retornar a Gotham City? Neste livro ele revela a sua máscara mais humana e vive uma aguda crise existencial; ser ou não ser herói. Pode ser ele o assassino de Abigail Aparecida Chaud ou qualquer um dos outros personagens que são flagrados por uma luneta cruel e formam um painel, vivendo na atmosfera agitada e penumbrosa de uma metrópole igualmente cruel. Jovens curiosos, velhos solitários, pessoas desvalidas, seres entusiasmados e tantos outros, todos eles são suspeitos do crime e vítimas da existência pelo simples fato de existir. Quem narra é igualmente suspeito porque se esconde numa teia dos mais diversos meios de comunicação - cartas, diário, telefonemas, telegramas, internet, gravações, notícias de jornal, de rádio, de televisão e até uma ata de condômino.
Minhas opiniões sobre o livro

Vocês estão prontas, crianças???? Eu ouvi um "Estamos, capitão."???? Então segura, porque a resenha a seguir é completamente apaixonada, nada comedida e totalmente maluca, do jeito que eu gosto, e espero que vocês também!
Eu não ouvi direitoooo!
Tem MUITA coisa para falar deste livro. Muita mesmo.
Em primeiro lugar, quero babar beeem as Editoras Biruta e Gaivota pela atenção dispensada, ainda mais porque este livro foi uma sugestão da amada Ana, da área de comunicação da Editora. Eu não conseguia me decidir entre tanto título bacana e ela me ajudou a escolher este, e é sério: Deu até a impressão que ela me conhecia. Cada pedacinho do livro parece que foi feito pensando em mim.
A começar pelo projeto gráfico do livro que é de babar, e este é o segundo ponto que eu quero salientar: Um papel de qualidade, que a todo momento me enganava (eu ficava tentando separar as folhas achando que tinha mais, mas o papel é um lindo de grosso, vocês não calculam.), uma capa extremamente bem bolada, a diferença nas cores da página e nas fontes usadas para cada meio de comunicação (são vários, vide a sinopse, e Jorge Miguel Marinho consegue alterar a escrita conforme mudamos de "plataforma"- digamos assim - e de personagem. Um gênio!), as ilustrações utilizando caracteres, tudo de um extremo cuidado, e ajudando na fluidez da história, de  forma a criar uma teia mesmo.
Agora sobre a história propriamente dita: Quem acompanha o Blog, já sabe que eu gosto de ler livros malucos que nos confundem. Mais do que lê-los, eu gosto de terminá-los, digeri-los e remoê-los por semanas dentro de mim (a própria Vaca Literária).
Gosto daquela dúvida de : Eu entendi certo ou não entendi nada? Ou entendi o que me convinha, ou não havia nada para ser entendido, e o livro todo era só um exercício de loucura do autor, como eu mesma às vezes faço; depositando a própria insanidade no papel a fim de impedi-la de tomar forma no mundo real?
A sensação incômoda e ao mesmo tempo gostosa de compartilhar com alguém um segredo muito íntimo e obscuro, é a única forma de descrever meus sentimentos ao ler "Na teia do Morcego".
Teia tão bem enredada, e que me capturou tão fortemente, que eu quase desmarco a terapia só para poder continuar na companhia de Batman (Só não o fiz porque já faz quase um mês que falto à terapia, e deus sabe que eu tô precisando).
O tema central do livro é a morte de Abigail Aparecida Chaud, uma da moradoras do bairro da Consolação, que com uma luneta observava o Condomínio Luz del Fuego, no prédio logo a frente do seu. A princípio considerada um suicídio, a polícia passa a investigar esta morte como assassinato, após duas pistas serem descobertas no corpo da moça: Marcas de unhas compridas e de um batom vermelho.
Em meio a milagres, amores puros e desejos sexuais reprimidos, cada um dos moradores do condomínio são suspeitos do assassinato, o Brutamontes Frank, a Professora Sônia, a Cantora Rosaly, a Modelo e Prostituta Peggy Lee, a Síndica D. Celi, o Velho Sr Horácio,  todos eles têm motivação de sobra para dar fim à vida da moça bisbilhoteira. Até mesmo o taciturno e bizarro homem fantasiado de Batman, que derrete em gotas de nanquim é um dos suspeitos.
Além deste mistério, surge ainda um outro (confesso que pra mim muito mais surpreendente, pois por mais que o misterioso autor do assassinato de Abigail tenha sido originalíssimo, eu já havia desvendado lá pelas tantas quem seria; mas o segundo mistério é avassalador, duvido que alguém desvende!) e os moradores do Luz del Fuego sentem-se cada vez mais incomodados e culpados.
Envolvido em  toda essa confusão entre moradores, e numa São Paulo quase tão caótica quanto Gotham, temos o homem mascarado, apelidado de Cidadão Tristeza. Um Batman borrado, solitário e deprimido, que busca reencontrar o amigo Robin, e se apaixona por uma motorista de ônibus imaculada. Auxiliado por Herman Hesse Montenegro, que não é tão colorido quanto Robin,  o herói tenta sem muito sucesso combater o crime em São Paulo, ao mesmo tempo em que espalha sua arte: morcegos, borboletas, passarinhos coloridos com os quais ele pinta muros e janelas. 
Para mim, a parte mais tocante de todo o livro é a composta pelas vibrantes páginas em laranja, nas quais lemos o diário de Batman.
Olha o Spleen da semana passada votando, gente!
Os amores e perturbações do Homem- Morcego (será que é ele mesmo, gente?) são emocionantes e pungentes, e deixaram um aperto dentro de mim, como se a tristeza dele fosse palpável e transferível. Muita gente chora ao ver o Cidadão Tristeza de perto, e eu seria uma dessas pessoas, certeza. 
O livro é ao mesmo tempo tocante e divertido, cheio de tensão e mistérios e também leve e fluido. Tem aquela temática da loucura do cotidiano, e dos limites da realidade que eu tanto gosto. É uma leitura que vale a pena, inusitada e bem escrita.  Cheia de referências divertidas à cultura Pop, mas com um toque de misterioso noir. Carregado de personagens extremamente humanos, ao mesmo tempo em que explora graficamente a fantasia dos quadrinhos.
Não há como descrever a história sem me transformar na boba empolgada, uma metralhadora de elogios.
É mais uma leitura que deve ser realizada para poder ser compreendida nas suas nuances variadas, como todo livro que tenho gostado ultimamente. 
Espero que vocês tenham se interessado por este livro maravilhoso, e que logo se enrosquem na teia desse morcego maravilhoso. Eu ainda tô boba e encantada.
"Mistério sempre há de pintar por aí..."

Galeria









43 comentários:

  1. Noossa, parece ser um livro bem interessante e me despertou muita curiosidade.. ainda mais por citar o Batman e coisas desse tipo de história. Adorei sua resenha Amanda, beijos

    Mutações Faíscantes da Porto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, eu estou apaixonada até agora, pensando até em reler. Huahuahuhaha. Obrigada por ter adorado. Beijobeijo.

      Excluir
  2. Que capa linda, adoro livros assim, e fiquei curiosa, será que é o homem morcego? rsrs
    bela resenha e adorei os calendários fofos.
    Beijos e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josi, pra mim é sim, mas eu não vou dizer pq, vai que você resolve ler e eu estrago tudo. Huahauhauhauah. São os catálogos das Editoras, viu que coisa mais linda? Eu tô encantadíssima pela Biruta e pela Gaivota. Beijão.

      Excluir
  3. Amanda voce é danada heim amiga? poxa adorei está historia e quero muito ler , pensar nas razões, motivos, aquilo que move o nosso humano , nossas mascaras ..muito legal... a resenha está linda fiquei me deliciando com sua escrita o tempo todo ..parabéns..bjimm
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, Lunna, você é bem mais danada que eu! Huahuahuahau. Obrigada pelos elogios, minha flor roxa. Beijo.

      Excluir
  4. Apesar de ser fã do Batman e ficar curiosa se é o mesmo dos HQ's, não é um livro que leria no momento.
    Bjs, Rose.
    Fábrica dos Convites

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Rose, livro tem momento.né? Pra mim essa leitura "abriu os trabalhos" de 2015 lindamente.(Eu tava num ritmo molenga, repetindo leitura só pra resenhar pro blog, foi a minha primeira empolgação do ano esse livro. Huahauhuha)

      Excluir
  5. Que resenha fabulosa. Não conhecia o livro e fiquei curiosa pelo enredo, parece ser diferente e inteligente. Se tem desejos sexuais reprimidos, já me interessa...
    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huahuahauuahhau Lilian, obrigada pelo elogio. Menina, é um salseiro tão grande de um querendo o outro, bem do jeito que eu adoro. Nada muito gráfico nessa parte sexual, mas mesmo assim, cheio de tensão. Adorei.

      Excluir
  6. Oláá
    Poxa, que capa bonita e diferente, gostei haha
    O enredo é bem legal, e a sua resenha me deixou bem curiosa pela leitura, nunca havia ouvido falar antes mas acho que arriscaria sim.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Catharina, eu também nunca tinha ouvido falar do autor, mas virei tiete. Não tenho como explicar direito, a forma que ele modula o jeito de contar a história, conforme mudam os personagens, é um negócio fantástico, vale a pena mesmo!

      Excluir
  7. Oiii adorei a sua resenha hahahaha ri com o a vaca literária kkkkk
    Mas vamos falar do livro ele parece ser incrivel!!! A capa é linda e a sinopse chama a atenção, não conhecia sobre ele, mas irei pesquisar

    Beijos
    http://livrosetalgroup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mayara, o segredo é abstrair das minhas babaquices, eu não sei ser séria. Hahahahahah. Eu achei incrível mesmo, se fizer seu gênero compra, viu. É uma aquisição e tanto, tá pau a pau com Sayonara, Gangster entre os meus favoritos.

      Excluir
  8. fiquei bem empolgada pra ler vendo essa tua resenha, Mandy. ^^
    Eu nunca li nenhum título da Biruta e Gaivota TT_TT
    quem dera eu tenha a oportunidade de ler esse título ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, que bom que te empolgou. Eu também nunca tinha lido nada deles, mas se for tudo nesse mesmo naipe, que tiro certeiro essa parceria. Tô encantadassa. Beijos.

      Excluir
  9. Eu adoro heróis então já está com minha atenção ( Estou prontaaaaaa ) Bom a resenha está muito boa e realmente fiquei curiosa para ler o livro. Será que é ele mesmo? O homem-morcego <3
    Beijoss
    www.proximapagina-pp.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huahauhauhahu! Camila, me abraça minha filha! Li o teu estou pronta com voz de Bob Esponja! Hauhahauhauhau. Eu adoro o Batman também, e quando vi que poderia ser ele no livro, quis ler imediatamente. Achei o máximo, e pra mim é o Batman sim. Pode vir até o autor e me dizer que não é. Huahauhauhauhahahu.

      Excluir
  10. Oii, tudo bem?
    Que livro interessante!
    Sua resenha ficou ótima, mas confesso que essa capa não me agradou...
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angélica, faz parte. Eu gostei dessa capa escura, climão meio Gotham City, os prédios "Construídos" por letras. É o tipo de coisa que me agrada. Mas as pessoas são diferentes, né. Beijinho.

      Excluir
  11. Adorei sua resenha ! O livro parece ser um encanto ! Estou doida para procurar saber mais um pouco !
    Beijos
    http://cheireiumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luana, eu achei completamente encantador. Para tudo, que eu morri com o nome do teu blog!!!! Adorei! HAHAHAHAHHAHA

      Excluir
  12. Olá =)

    Parabéns pela resenha! Ainda não conhecia o livro, mas fiquei super curiosa! Só pela premissa do livro ele já me pareceu muito bom! Entrou para a lista de desejados :)

    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Rob... Espero que você leia, eu adorei mesmo. Beijos.

      Excluir
  13. O enredo parece ser bem interessante, e a meu ver parece muito com aquelas edições antigas haha

    http://ocasulodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria (ou Lygia? Como você prefere?) Eu adorei o enredo, nada óbvio, e nada fácil de explicar. Eu gosto assim, quando o livro dá um nó na cabeça, e a única forma da gente fazer o outro entender o quanto é bom é falando pra ele ler. Huahauhauau

      Excluir
  14. Não sou fã deste tipo de literatura, mas adorei a resenha, bjus

    ResponderExcluir
  15. Olá tudo bem?

    Sinceramente? Por mais elogiosa que a resenha seja, a estória não me atraiu em nada :/ O projeto de edição realmente parece bom, mas a estória em si nem um pouco. Bjus!!!
    http://lendoaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livros são sempre facas de dois gumes, uns amam outros odeiam e isso é a vida. O que seria do azul se todo mundo amasse o vermelho. A resenha foi elogiosa, justamente porque esse é o tipo de leitura que a Amanda curte, se ela houvesse achado o livro ruim, com certeza ela teria o dito (sinceridade é com ela mesma.). Só que você não pode tachar um livro de ruim pelo simples fato dele não te agradar. Você não gosta é diferente!
      Obrigada pela visita!

      Excluir
    2. Pois então, como a Kris mesma disse, eu não elogio livros que eu não goste. Se você der uma olhadinha nas minhas resenhas, verá que mesmo autores que eu amo eu já gonguei por aqui. No mais, cada um tem uma opinião. Eu adorei a história do livro, pq é exatamente o tipo de coisa que eu curto (o que também se percebe pelas minhas outras resenhas).

      Excluir
  16. Olá, que confusão. Haha. Tem muita coisa nesse livro. Percebe-se pela resenha. Confesso que não leio muitas coisas nesse estilo. E não tenho nenhum livro desta editora. Mas serviu para conhecer o primeiro. Rs.

    beijos!

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, tem mesmo muita coisa. E eu gosto de livros bem assim. Rsrsrsrrs.

      Excluir
  17. Oi, tudo bem?
    Ri até aqui, do seu Vaca literária, rs.
    O livro parece ser bem diferente mesmo, e apesar de ter ficado curiosa, acho que não leria, pois realmente foge da minha zona de conforto.
    Uma coisa que me agradou muito, mesmo sem ter lido, foi sobre o que você comentou do trabalho gráfico da editora. Esse tipo de coisa realmente conquista leitores, rs
    beijos
    meumundinhoficticio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, tudo bem sim!!! Menina, essa minha diarreia verbal ainda me mata. Hahahhaha. Abstrai dessa vaca! Eu fui mesmo conquistada pelo projeto gráfico. Quando chegou em casa eu quase morri de amor, mesmo sem ler.

      Excluir
  18. Adorei a resenha, e esse capitão me lembrou minha infancia total hahaha
    Mas o genero não me chama muita atenção, mas a sua escrita é tão boa que dá até vontade de ler :)
    Mil beijos,
    Elaine Santos
    Livreteando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha. Obrigada Elaine. Bom saber que consegui chamar a atenção de alguém. Beijinhos.

      Excluir
  19. Oiee, tudo bem?

    Nunca li nada da Biruta, acredita? Gosto de livros com tensão, mas que, ao mesmo tempo sejam divertidos. Apesar disto, não sei se eu leria o livro por agora. Acho que a história em si não faz muito o meu estilo. Mas só tem como saber lendo, certo?

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kel, eu também não conhecia a Biruta, mas quase bati a minha cabeça na parede por isso.É muito capricho na publicação. Menina, uma página grossona, uma impressão bonita, e os títulos me impressionaram. Torço pra que eles cresçam bastante, sem ficar chato e padronizado como algumas grandonas por aí. Eu prezo muito pela originalidade, e nesse quesito a parceria com a Biruta e Gaivota caiu como uma luva. Beijo beijo.

      Excluir
  20. Que loucura cara, achei a capa do livro muito linda. Mas, quanta confusão que eu arrancei meu cérebro de tanta bugação que foi. Não conhecia a Biruta e a Gaivota, mas resolvi pesquisar mais sobre ela e nossinhora, as capas são incríveis.

    Beijos, Ahri.
    dois-players.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahri, num é? Eu gosto assim, quando rola tanta coisa no livro que sai fumacinha da cabeça quando a gente termina. Lugar nenhum, Sayonara Gangster, A Morte de DJ em Paris, 1Q84 e agora o Na teia do Morcego, todos os meus favoritos são assim. As capas são uma belezura, espero me encantar com todos os livros dessa parceria como me encantei com esse.

      Excluir
  21. Olá, tudo bem? Nunca ouvi falar sobre o livro mas a sua resenha me convenceu a colocá-lo na lista de desejados! Adorei a capa, simples e bonita! Bom saber que o papel é de boa qualidade, acho que isso faz a diferença. Quanto à história, menina, que loucura! Fiquei curiosa para saber quem foi o assassino e também sobre o outro mistério. Achei demais as partes do diário do Batman!

    Beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, que bom que te convenci! Rsrsrsrsr. Eu tô querendo que todas as pessoas do mundo leiam este livro e adorem tanto quanto eu. Achei um primor... Beijinhos

      Excluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥