Resenha: Alice no país das Maravilhas, de Lewis Carroll, texto integral traduzido por Ana Maria Machado

19 novembro 2014

Edição: 
Editora: Ática
Tradução: Ana Maria Machado
ISBN: 8508062184
Ano: 2002
Páginas: 136
Sinopse: Este livro foi escrito em 1862 para ser dado como presente de Natal a um menina chamada Alice. O autor, Charles Dodgson ( que adotou o pseudônimo de Lewis Carroll, pelo qual se tornou famoso), era um professor de matemática fascinado pela lógica, e escreveu uma história repleta de brincadeiras com o sentido das palavras - e das coisas. Nesta edição, as originais soluções encontradas pela tradutora Ana Maria Machado e as ilustrações de Jô de Oliveira, inspiradas na xilogravura usada nos Cordéis, dão um sabor bem brasileiro a Alice no País das Maravilhas, uma história que há um século diverte leitores de todas as idades. 




 Minhas opiniões sobre o livro:

Antes de qualquer coisa, play nisso aqui:




Ok. Em primeiro lugar: Gente, como eu sou influenciável. Eu me auto- influenciei a mim mesma ;-) com a resenha da semana passada. 
Eu lembrei que eu tinha essa edição MASSA de Alice no País das Maravilhas, e não podia deixar ela escondida no meu armário.
Quer dizer, todo mundo (ou quase) conhece a história de Alice no País das Maravilhas. Mas essa edição pra mim, só ficaria melhor se tivesse uma capa dura.
Em primeiro lugar, pela arte. 
Eu não sei explicar bem o porquê, mas eu acho Xilogravura uma coisa linda.
As ilustrações de Jô de Oliveira foram para mim uma lufada bem vinda na já batida interpretação da menina loirinha (falaremos disso depois). Jô claramente se inspira na versão Disney, mas ao mesmo tempo se afasta dela o suficiente para ser deliciosamente original e verdadeira. Queria até que tivessem mais ilustrações dentro do livro.
Em segundo lugar, esta versão se difere de muitas outras por apresentar o texto integral do reverendo Dodgson. Traduzido com muito afinco por Ana Maria Machado, e com poucas notas de rodapé (muitas das brincadeiras com sons precisaram ser levemente alteradas para fazerem sentido no português, mas Ana se esmerou para que ficasse tudo bem amarradinho, sem ficar explicando tudo logo após escrever.), o texto deste livro não é uma mera adaptação, mas sim um esforço em manter vivo o espírito de Lewis Carroll, com todas suas tiradas, jogos de palavras e contexto histórico.
O terceiro ponto que me fez gostar tanto desta versão de Alice foi o texto final de Ana Maria Machado, contando um pouco da história de Carroll e também explicando melhor algumas das brincadeiras de Lewis durante a história, como por exemplo, o fato de que os chapeleiros normalmente eram loucos mesmo, por conta do Tanino usado na fabricação dos chapéus, que intoxicava e enlouquecia os pobres. Conta também com uma foto da "Verdadeira" Alice, e algumas versões famosas da menina que virou personagem.
Alice Liddell, a menina que (provavelmente) inspirou Carroll a escrever a história.
Não se parece com esta, da Disney.
Nem com esta, de Nicole Claveloux, mas quem liga? São todas lindas, quero mil Alices.

Outra coisa que eu gostei neste pequeno texto final de Ana Maria foi que ele se manteve fora da antiga questão sobre Dodgson, que pipoca pelas Creepypastas afora. A velha dúvida sobre se o reverendo era ou não pedófilo, e se Alice foi ou não uma de suas vítimas.
A verdade é que tudo o que envolve essa obra acaba dando em babado, confusão e gritaria. Seja porque tem uma lagarta viciada, seja porque seu autor é um cara que, no mínimo é bem estranho, seja porque muita gente cresceu e hoje em dia esfrega a versão da Disney e odeia ainda mais a de Tim Burton. Alice no País das Maravilhas vai ter sempre um ponto de discórdia. E eu atóron.
E você, o que acha desse bafo todo?

Essa postagem é válida para o

13 comentários:

  1. Olá :) Adorei a postagem! :D Sou apaixonada pela história da Alice <3
    Mas ainda não sabia da existência dessa versão da história, :o nossa, adorei! *-*
    Eu também acho super lindo e legal a Xilogravura, e essas são lindas! *--* Percebe-se que os desenhos, isto é, a arte é um dos pontos positivos do livro. :) Gostei de saber que o livro também possui partes sobre o Carroll. :D Beijos! *-*
    http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabyyyyyy!!!!!! Pra mim a xilogravura é o ponto alto do livro, pq eu sou maníaca por elas. Hauhauhauahauhau. O livro é incrível mesmo, mas eu queria MUUUUUIIIITO que ele tivesse mais ilustrações e uma capa dura. Seria A versão definitiva pra mim.
      Beijoooooos.

      Excluir
  2. As xilogravuras são mesmo lindas, e achei bem legal a inspiração que eles usaram e colocaram os desenhos, ficou bem fofo. Mas eu não me interessei muito, não sei o porquê, talvez por não gostar muito de Alice ou história infantis.
    Mas enfim ficou lindo mesmo e seria melhor se tivesse seu pedido de capa dura.
    Beijos Amanda, ThaynáQ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thayná, eu entendo. Mas eu acho que se você ler uma boa versão de Alice, acaba adquirindo um novo olhar sobre a história.
      Alice também não era minha preferida quando pequena, mas depois de adulta eu amei.
      Mas eu adoro livro, filme, brinquedo tudo que é de criança, né (mijulgem). Então, como eu sei que nem todo mundo é adultescente igual eu, nem vou te odiar (huahauhauhauau) por essa heresia.
      Hhauahuahauhauuha. Beijos meninaaaaaa! <3

      Excluir
  3. eu curto a história, e depois que reli fiquei ainda mais apaixonada. Antes, ela não me chamava mto atenção, mas tive outra visão quando revisitei a obra... Minha edição é da LPM, mas babo na de luxo da Zahar [todas sonha hahha]. Essa edição é bem bonita, gostei das gravuras... o que não curto é o nome Alice. xD Mas tenho meus motivos :P kkkkkkkkkkkkkk

    e meu personagem preferido é o Gato, lógico rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, eu também não era muito fã de Alice, até chegar na minha adolescência, com algum inglês na bagagem e entender a complexidade de toda a história.
      A Edição da Zahar é linda, mas pra mim se essa tivesse capa dura, batia até a deles. Não me leve a mal, claro que eu adoro as ilustras do Teniel, mas essa originalidade da Jô me encanta.
      Eu curto mais o chapeleiro, por motivos bem óbvios de identificação. Huahuahauhauhauha.
      Beijooooo.

      Excluir
  4. Amandacita, eu nem preciso dizer o quanto amo essa história né?
    Amo tanto que dei o nome dela a minha filha, apesar que Alice meio que se auto nomeou.
    Pra mim Lewis é um dos autores mais fodásticos de todos os tempos por ter sido capaz de escrever essa história tão infantil e ao mesmo tempo nem tão inocente assim, profunda, crítica e sempre tão atual.
    E realmente a xilogravura é linda, tu é linda, Alice é linda, Valew Falow te passo o endereço inbox pra tu enviar meu livro, hauhauhauha
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huahauhauhauah. Kris, eu envio, se tu me mandar de volta com uns que eu tô desejando e pá.... Huhauahahau. Tu é linda, tua Alice é linda, tudo é lindo, Caetano é lindo, Gil é lindo. Huahuahuahauhauhahu

      Excluir
  5. Oi, Amanda!
    Tudo bem?
    Eu também adoro essa edição da Alice no País das Maravilhas! Tive a oportunidade de ler durante a graduação numa disciplina de literatura infanto-juvenil e me lembro de a professora justamente indicar essa publicação da Ática por causa do trabalho sério realizado com a linguagem. Além disso, as xilogravuras são realmente lindíssimaaasss!!! <3
    Gostei muito da tua resenha!
    Beijo.
    Karina
    http://daliteratura.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhh Karina!!!! Cejuraaa!!! Eu sou encantada com essa edição, amo muito muito muito. Que bom saber que eu não sou doida e ela realmente é boa. Huahuahauhauh. Eu tenho uma COISA com xilogravura, esses dias tinha uma compilação de contos de fadas dos irmãos Grimm ilustrada com xilogravuras, e eu enlouqueci. Só não comprei pq era 80 pilas, e eu já tenho uma compilação de Grimm (ou melhor, duas) aqui em casa...

      Excluir
  6. Alice no País das Maravilhas é mara <3 hahaha
    Queria ler este livro também, deve ser bom! Eu ri do "São todas lindas, quero mil Alices."
    Mas devo concordar, são mesmas, se consegui-las me de um pouquinho, ok? haha
    Beijos | Pretty Things!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huahauhauahua. Alice é Mara, muito Mara.
      Se eu conseguir troco as figurinhas repetidas com você. Huahauhhuahauhua. Minhasminhasminhas! <3
      Beijão

      Excluir
  7. Ola, onde consigo o livro para comprar...ou em pdf...Sou pedagoga e preciso do livro urgente para apresentação na escola, quem pode me ajudar ?

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥