Adeus.

26 novembro 2014

Gente, hoje eu simplesmente não tenho cabeça pra fazer resenha.
No último sábado, ao acordar, recebi a notícia de que a minha avó paterna havia morrido. Desde então, minha cabeça está mais bagunçada do que tudo, então ler está fora de cogitação.
Ao abrir o painel do Blogger pra tentar postar alguma coisa, eu não conseguia pensar em nada decente pra escrever.
Resolvi que pelo menos deveria explicar pra vocês o motivo desse meu bloqueio, e então aqui vai.
Eu perdi a minha avó, a mulher que eu amava e admirava, há muito mais tempo do que este último sábado, data da sua morte. Nós começamos a perdê-la em 2008, quando meu avô morreu, e ela passou por um processo que até hoje há duvidas se foi uma depressão tão profunda que causou demência, ou se foi Alzheimer. Não há consenso.

Desde 2008, essa mulher linda e radiante das fotos abaixo, se transformou de tal forma, que eu não conseguia ficar próxima dela sem entrar em uma crise de choro enlouquecida.

Vó e Vô, ambos só existem nas lembranças agora.
Foto antiga da minha avó. Muito linda...





Eu estou até hoje devastada, não pela morte da minha avó, pois o velho clichê de que foi melhor assim, ela estava sofrendo, e etc nunca foi tão verdadeiro. Mas pela sua partida antes mesmo de morrer.
Eu não tive coragem de olhá-la no caixão. Não pelo fato de ser uma pessoa morta, mas pelo fato de que a pessoa que estava dentro daquela caixa de madeira brilhante e cheia de flores não era a pessoa que eu queria ter em mente quando pensasse na minha avó.
Estou ainda tentando entender se eu sou uma pessoa fria demais ou emotiva demais.
Estou ainda tentando entender se foi corajoso ou covarde.
Estou ainda tentando entender tanto, e antes já não entendia nada.
Dói.
Mas eu não sei se dói mais dizer adeus ou não ter a coragem de fazê-lo.
Me desculpem pela interrupção na programação. Mas é que não dava. Eu não tinha condição nenhuma.
Obrigada.

7 comentários:

  1. Não acredito! Gente eu sinto muito, meus pêsames, querida deve ser muito difícil, perdi minha bisavó, foi muito triste, mas em pensar que talvez ela esteja me olhando e vendo minha evolução como um ser humano, talvez as cagadas e bobagens que eu faça, não sei se me sinto feliz ou triste, por ela talvez estar em paz e feliz, ou por sentir falta dela aqui comigo.
    Amanda, tenho certeza que ela está feliz por quem você é, e ainda vai ser mais, e claro, pense sim na imagem que você quer ver dela, você não foi covarde e muito menos fria.
    Um beijo e que você supere esta perda.
    Thayná Quina.

    ResponderExcluir
  2. Lamento por você. Desejo que fique bem! :(

    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/2014/11/parceria-com-giz-editorial.html

    ResponderExcluir
  3. meus pêsames, Amanda. Sei muito bem como é isso... até hoje não me recuperei da morte do meu tio ano passado, e esse ano da minha amiga... =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi sobre seu tio, Val. Realmente não tem como se recuperar. Obrigada pela força.

      Excluir
  4. Oi Amanda, lamento pela sua perda. Desejo que as boas lembranças dos momentos que vocês viveram juntas ajudem a superar a saudade e que você logo fique bem.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Sinto muito por você... E claro, pela sua família também. Perder alguém é muito triste, mas assim é a lei da vida. Vivemos e um dia partiremos. O que nos consola mesmo é pensar nos momentos bons que passamos com a pessoa, no que aprendemos, e etc. Faz parte do crescimento.
    Que Deus os console nesse momento difícil!
    Bjsss...

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥