Resenha - Mulheres que não sabem chorar de Lilian Farias

24 setembro 2014

Título: Mulheres que não sabem chorar
Subtítulo:
Edição: 1
ISBN: 0000000000
Editora: Literata
Ano: 2014
Páginas: 170
Sinopse:
A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Mulheres que não sabem chorar é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora crua, ora poética, a trama nos obriga a enfrentar o espelho e se ver como nunca imaginou antes. Pois ao mergulhar neste romance, o que fará você pensar não é a forma como vê o amor, mas sim a forma com que ele se volta em sua direção. Esteja preparado. (Danilo Barbosa - Autor de Arma de Vingança.)



Aperte o play e acompanhe a resenha com a trilha sonora.

Como Una Flor by Malú on Grooveshark



Resenha

Ontem antes de concluir a leitura de Mulheres que não sabem chorar, eu comentei com a Liliam que era incrível como uma moça de aparência meiga e sorriso doce fosse capaz de criar duas personagens assim tão fortes, como que forjadas no aço.
Em mulheres que não sabem chorar conhecemos Marisa e Olga, mulheres de meia idade e histórias de vida complexas. Mariza de uma dureza tremenda, que parece que abdicou de toda a fragilidade que a vida lhe permitia como ser humano, para que assim pudesse manter as rédeas da sua vida e da das pessoas ao seu redor. O que acabou fazendo com que ela afastasse de si as pessoas que ela mais amava. Completamente dona de si e ao mesmo tempo completamente prisioneira das convenções sociais. Olga é completamente o oposto, já a muito tempo violentada pela vida, entregou completamente a dor o poder sobre a sua. Tornando o álcool seu escudo sob as sensações externas do mundo. Elas foram inimigas durante muito tempo, sendo uma o algoz e a outra a vítima. Até que por uma ironia do destino quem antes maltratava, resolve salvar-lhe a vida e por uma ironia maior ainda ambas acabam por se apaixonar. E elas acabam se notando como nunca antes haviam se notado. E encontrando uma no amor da outra a força necessária para lutar contra as escolhas errôneas que fizeram para suas vidas e que os outros fizeram para suas vidas. Mas o quão fácil é se desligar das convenções de quem fomos por tanto tempo?

O Livro é tão sutil quanto um  soco no estômago! A Lilian nos apresenta um choque de realidade, com seu incrível trabalho de pesquisa, onde ela reuniu diversas histórias reais para elaborar, não só as duas protagonistas, mas todo um casting de personagens marcantes e reais. Não reais, como a família da propaganda de margarina da TV, mas reais pelo que sabemos que está lá, mas viramos o rosto pra não ver. Como o vizinho que bate na mulher e violenta os filhos.
A estória fala sim de um romance homoafetivo, mas ela é mais que isso, um manifesto escrito contra o machismo social que nos delimita e machuca todos, tanto homens quanto mulheres.


O Livro é forte e pungente, interessante desde o seu prefácio, escrito com a alma. O enredo nos mostra como somos humanos e passionais, o quanto é fácil fazermos escolhas erradas quando não pensamos direito ou nos deixamos guiar pelo que irão pensar de nós. Ensina que devemos lutar pelo nosso direito de chorar e também pelo direito de escolhermos ser quem e o que queremos ser!


Quotes
“Eu bebo para esquecer; esquecer aqueles que me esqueceram, esquecer da dor de ser esquecida. Sempre tive muito medo... aos poucos, desejei esquecer.”
  ''Sei que nós mulheres sofremos preconceitos, humilhações, privações e até violência. Mas caso o homem não queira perpetuar a ideologia machista, ele sofrerá igual ou mais que a mulher. Por exemplo, caso ele não se importe em não se casar aos 40, de duas uma, ou é galinha ou homossexual...''
''A verdade é que todos nós criamos expectativas de um jeito ou de outro, criamos e isso é a nossa realidade paralela.''
 Galeria



Essa música eu escolhi especialmente pra Lilian e tem haver com o livro tanto pelas flores quanto pela letra toda em si, espero que goste!

Quer ganhar um exemplar do livro? Fiquem atentos em breve vai rolar sorteio aqui no blog.

17 comentários:

  1. Ave Maria, acho que eu ia me rasgar inteira lendo esse livro. Só de ler as quotes já foi devastador. Deve ser incrível mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom viu Amanda, acho que vc iria curtir! Bjunda!

      Excluir
  2. Oi Kris!
    O livro parece ser incrível.
    Você sempre indica livros ótimos.

    Beijão
    LiteraMúsicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Diego, o livro é maravilhoso.
      fico feliz que esteja gostando!

      Excluir
  3. Esse livro parece ser incrível, pelos temas abordados. Mas pela forma da autora ter levantado os temas. Caramba! Eu sabia que tinha um relacionamento homoafetivo, e isso já havia me chamado a atenção. Porque nunca li nada assim. E fiquei surpresa que ela aborda agressões domésticas também, entre outros assuntos.
    Eu quero muito ler esse livro. E cá entre nós, adoro essa capa!
    Beijos

    As minhas leituras - Lendo e Apreciando

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da sua resenha flor , acho que esse livro seria perfeito pra mim nesse momento , fiquei super feliz em saber que vai rolar sorteio \o/ Ebaaaa

    Abraços
    http://dezenove--primaveras.blogspot.com.br/2014/09/as-melhores-adaptacoes-de-livros-que-eu.html

    ResponderExcluir
  5. Poxa, parece ser muito bom viu? Amei a capa <3

    ResponderExcluir
  6. Poxa deve ser muito bom o livro..quero ler..Bjokas
    http://docemell2014.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa esse livro parece ser bem interessante. Só pelo que você colocou já deu uma inspirada para ler rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Que capa linda! Achei muito bacana o livro e vou esperar pelo sortei rsrs! Otima resenha, beijos
    http://umaanalistaemcrise.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. deve ser uma história linda mesmo. Desde que bati o olho nele fiquei com vontade de ler.

    :D
    bj, Kris
    http://torporniilista.blogspot.com.br/2014/09/terror-psicologico-e-experimentos.html

    ResponderExcluir
  10. Oi kris, eu gostei muita da resenha, esse livro parece incrível, só pelos trechos já dá pra perceber!
    E a capa é linda *-* sempre reparo nas capas rsrs

    beijocas
    Jeeh

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito da resenha, Parabéns bjoo ,


    ResponderExcluir
  12. Gostei do livro, a trama pareceu ser bem desenvolvida, gosto desses livros em que abordam tema 'mais puxados para a realidade' onde pode-se saber que nada são flores. Acho que leia o livro sem problema algum.

    ResponderExcluir
  13. A musica é ótima.. e o livro parece ser incrível.. sabe faz tempo que não leio algo assim..
    um livro que me revire do avesso... e que mostre como você mesma diz o que nós não queremos ver no dia-a-dia..

    ResponderExcluir
  14. Kris, todas as resenhas que li do livro acabaram coomigo !
    No começo tinha achado ele bem forte, mas vi que tem uma história linda por trás, fora
    que me parece um livro totalmente voltado pra realidade.
    Eu gostei, mas confesso que estou com um pouco de receio da leitura ..
    Bem, quanto a capa, é maravilhosa :}
    Bjs !

    ResponderExcluir
  15. Ah, que menininha linda ♥. Olhos tão grandes e brilhantes! Aposto que quando crescer vai amar a leitura!
    Adoro histórias com temas homossexuais, dá pra ver o amor realmente entre as duas pessoas, o respeito e paixão, e como enfrentam isso juntos. Realmente não só machistas, acho que hoje em dia tem muita feminista querendo diretos iguais, mas fazer o que um homem faz para a família não quer, acho justo o direito de lutar pela igualdade, mas assim para ser igual, deve se fazer o igual do outro, e não querer o mesmo direito fazendo tão pouco, passado é passado, e não se deve culpar a época por suas "sofridas opressões".
    Todo humano tem o direito a vida, e escolher o que quer fazer dela, não acho que ninguém tem o mínimo de direto de interver nisso.
    Adorei o que o livro aborda, o amor de duas pessoas, simples!
    Até mais Kris, ThaynáQ.

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥