Resenha - Treze Almas de Marcelo Cezar

21 agosto 2014

Autor: Marcelo Cezar, inspirado pelo espírito Marco Aurélio
Número de páginas: 480
Formato: 16 x 23 cm
Preço: 42,90
ISBN: 978-85-7722-237-7

Sinopse:
Em 1974, o centro de São Paulo foi palco de uma tragédia marcante. Um incêndio no Edifício Joelma deixou aproximadamente duzentos mortos — entre eles, treze pessoas que ficaram presas em um dos elevadores e cujas identidades nunca foram descobertas. Mas uma dessas almas revela-se e narra sua história para Marcelo Cezar, por meio do espírito Marco Aurélio.

Em seu 15º romance, Treze almas, publicado pela Editora Vida & Consciência, o autor do best-seller O amor é para os fortes apresenta a surpreendente história de Lina, uma moça nascida no sertão nordestino, que, após vivenciar uma série de acontecimentos tristes e marcantes, muda-se para Teófilo Otoni, em Minas Gerais, e passa a viver com um casal que a acolhe como filha. Teimosa, inflexível, muito resistente às mudanças, mas de bom coração, Lina não se dá conta que cultivar valores extremistas só lhe causa dor e sofrimento.

Na casa de seus pais adotivos, a personagem conhece Melissa, afilhada do casal, e logo uma amizade profunda e verdadeira nasce entre elas. A conexão é imediata, e Lina percebe que a verdadeira ligação entre as pessoas se dá pela alma, pois é ela que abriga os sensos que movem o indivíduo em sua existência.

Após descobrir fatos reveladores que envolvem sua família, Lina decide construir uma nova vida e muda-se para São Paulo. É quando seu destino vai de encontro à tragédia do Edifício Joelma, local marcado por energias pesadas por ter sido cenário de muitas mortes, como o açoitamento de escravos durante os séculos 17 e 18 e um assassinato envolto por mistérios — também revelado no romance —, conhecido como “crime do poço”, que aconteceu na década de 1940.


Minhas opiniões sobre o livro.

Foi o primeiro livro que li do Marcelo Cezar. E eu achei que Treze almas é um sopro de ar fresco sobre a literatura espírita, um romance diferente dos que eu já li do gênero, que elucida novos pontos de vista sobre a espiritualidade e até interage com ela por outras religiões. É Livro bem instrutivo, que como é comum nesse gênero leva o leitor a entender melhor sobre a evolução espiritual e a reencarnação, no caso dele, ainda explica melhor sobre os desencarnes coletivos e por que eles costumam acontecer.

Quando eu li na sinopse que o livro falaria sobre um dos espíritos desencarnados no incêndio do edifício Joelma, eu esperei outra coisa, pensando que esse era o foco. E me surpreendi um pouco no começo da leitura, mas logo a história me cativou e eu não conseguia largar o livro.

A História começa com uma jovem recebendo a noticia de que seu pai, que estava seriamente doente no hospital, não conseguia desencarnar por remorso, ele precisava do perdão de Lina. E imediatamente viajamos junto com a história para o sertão nordestino, onde Durvalina uma menina raquítica de 14 anos vive com a família, agora só mãe, pai e um irmão menor, pois os outros dois a fome já tinha levado. Família essa que acaba estrelando uma triste fuga da seca, assim como tantas outras daquela época e é dizimada. O que faz Durvalina ser acolhida na casa de uma família no interior de Minas Gerais. Paralelamente acompanhamos a história de outra família que acabou de receber uma noticia de falência e também sofre com a lembrança de um crime. As intempéries do destino levam essa fámilia também para o interior de Minas Gerais e lá as vidas de todas essas pessoas voltam a se ligar e cada um acaba por traçar seu próprio caminho... O que faz anos depois Lina ir parar num elevador, no Joelma no exato momento em que o edifício pega fogo.

Um dos pontos fortes do livro é que mesmo Lina sendo a personagem principal da história, nem tudo é sobre ela, cada personagem na história é um estranho ímpar, assim como na vida, cada um tem sua própria história, cada um é um mundo e tem de aprender a conviver consigo e aceitar-se. A história traz um ensinamento à cada página. É meio complicado explicar, mas resumindo é uma lição de vida e de que a morte não é um fim, mas um recomeço, assim como que tudo tem uma explicação e que nada é por acaso.

Recomendo a leitura, gostei bastante e vou guardar pra toda a vida!



Galeria
Foto que divulguei no meu Instagran

Dedicatória do livro, que eu achei linda.

Orelha com a apresentação do autor, super moderna e original.

Minha princesa - Alice - Segurando meu exemplar



Esse livro foi uma cortesia da nossa parceria com a

4 comentários:

  1. tai, não me interesso por livro espírita mas esse eu faria uma exceção porque sou mto 'ligada' nesse lance do edifício Joelma, e principalmente por causa das 13 pessoas do elevador...
    quem sabe um dia eu leia, neh ^^

    ResponderExcluir
  2. ai meu Céus. A Alice é uma coisinha muito linda! Uma princesa, mesmo! Olhos super expressivos e bochecha opra se morder! NHAC
    Sobre sua resenha... eu comprei o livro e ainda não li. Ia pular fila mas, quando vi que não é sobre as 13 almas em si, me frustrei um tanto.
    Vou lê-lo depois da sua resenha porque percebo que, apesar do fato que me desmotivou, parece ter muita coisa boa!
    Montes de beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, o título fez parecer bem muito que o livro seria sobre as 13 almas, mas tecnicamente é sobre uma só. As outras doze não são muito faladas na história. Mas se você gosta de leitura espiritualista (e eu acho que gosta) vale muito a pena a leitura. É uma história bem bonita e cativante, com personagens fortes e uma boa lição.
      Beijos, beijos

      Excluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥