Resenha: O Oceano no fim do Caminho de Neil Gaiman

14 julho 2014

Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573688
Ano: 2013
Páginas: 208
Tradutor: Renata Pettengill
Sinopse:  O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.




Minhas Opiniões Sobre o Livro

Então, vamos lá, porque temos aqui um livro que dá muito pano pra manga, ou melhor, texto pra resenha. Gaiman nos traz em "O Oceano no fim do caminho" uma fábula complexa e de múltiplas interpretações. Ele mescla no seu livro, magia a psicologia de uma maneira primorosa.
Ele mescla algumas de suas próprias recordações de infância, como o lugar onde viveu, a ficção e cria o cenário perfeito para desenrolar de uma história que só Neil Gaiman poderia desenvolver.

O autor não dá nome ao personagem protagonista da história, ficando a mercê do leitor imaginar quem ele é (eu pensei no próprio Gaiman, eu era a Lettie). No inicio do livro esse personagem já um homem de meia-idade volta ao lugar onde viveu a sua infância e lá é atraído ao Oceano no fim do caminho e sentado à beira dele, faz uma verdadeira viagem no tempo. E lembra-se de fatos obscuros que aconteceram no passado, onde era apenas um menino inocente que desencadeou suas fantasias logo após um cara ter se matado no carro de sua família, que teve uma amiga que o protegia como uma Deusa e que pode ter transformado seus inimigos reais em um monstro rosa e cinza. Ou tudo aquilo pode realmente ter acontecido.

O oceano no fim do caminho é um livro que bem podia ser um sonho, nas páginas dele encontrei a mais bela descrição do matriarcado (nunca vi nada igual em nenhum livro de magia) na figura das mulheres Hempstock, a representação perfeita da Donzela, Mãe e Anciã. Lettie é uma personagem apaixonante!

Vi algumas críticas, em resenhas por aí, que diziam que Gaiman pecou ao usar tanta fantasia num livro adulto. Não vou debater com a opinião dos outros, mas acho que quem tirou essas conclusões não conhece o estilo literário de Neil Gaiman (se conhece, que cabimento tem querer muda-lo?), ou leu o livro com os olhos errados.

A obra é doce, profunda, complexa e marcante. Recomendo!
Entrou no Hall dos meus livros favoritos e me fez querer sorver mais do autor.

5 corações com certeza, o livro é excelente!

Citações espontâneas sobre o livro.


  "Acredita que eu não teorizei sobre esse livro?
        Foi um dos poucos livros que eu li, apenas. Sem tentar entender. Li como quem lê uma notícia, como a mais pura verdade. Acho que por isso amei demais esse livro." - Amanda Larissa



  "As metáforas na briga entre sonho x realidade x imaginação, são perfeitas. E Neil sabe realmente como explorar o "sonho" nas suas obras." - Eduardo Neto


Quotes

 "Quando envelhecemos, ficamos iguais aos nossos pais; viva o suficiente e verá os rostos se repetirem com o tempo."

"Eu não era uma criança feliz, ainda que, de vez em quando, ficasse contente. Vivia nos livros mais que em qualquer outro lugar."

"Vou dizer uma coisa importante para você. Os adultos também não se parecem com adultos por dentro. Por fora, são grandes e desatenciosos e sempre sabem o que estão fazendo. Por dentro, eles se parecem com o que sempre foram. Com o que eram quando tinham a sua idade. A verdade é que não existem adultos. Nenhum, no mundo inteirinho."

7 comentários:

  1. Ai Kris, que linda a tua resenha!!! Deu vontade de ler de novo! Huahuahau <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei feliz que tu tenha gostado, esse livro foi muito especial pra mim.

      Excluir
  2. eis um dos livros que há tempos procuro pra ler... adoro a narrativa de Gaiman, ele é fantástico. <3
    bj, Kris
    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, tenho toda a certeza do mundo de que tu vai mar de paixão.

      Excluir
  3. Olá Kris,
    Ótima resenha! Li esse livro ano passado e me apaixonei pelo Neil. Ele fez uma obra prima e tudo nessa obra transborda magia, ele conseguiu me transportar para o universo que ele criou.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, desculpa tanta demora em responder.
      Concordo com você em gênero Número e grau.
      Ele é o máximo, um sonho mesmo.
      Beijos

      Excluir
  4. Gaiman é fascinante, né? Eu adoro seus euforismos e metáforas e com sua resenha dizendo que nunca antes encontrou a mais bela descrição de matriarcado (e olha que eu também percorro e percorro essas descrições em diversos livros de magia) fiquei pra lá de curiosa.
    Concordo com você quando aponta aos que criticam sem procurar saber da essência do autor. Isso aconteceu em "A Mulher Silenciosa".
    Se não é o tipo de leitura, troca o livro... mas falar sem conhecimento, é feio pra caramba! #9

    ResponderExcluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥