Resenha - A Volta do Parafuso

24 janeiro 2014



Título: A Volta do Parafuso
 Autor: Henry James
 ISBN: 978-85-7715-163-9
 Editora: Hedra
 Ano (edição): 2012
 Páginas: 177

Sinopse: Em uma mansão no interior da Inglaterra, uma governanta é encarregada de cuidar de duas crianças órfãs. Apesar de Miles e Flora se comportarem bem, serem inteligentes e afetuosos, há um desconforto crescente no ar, sobretudo depois que um misterioso e assustador estranho é visto nas redondezas, aparentemente procurando algo - ou alguém. A governanta terá então de lutar por seus pupilos, numa aterrorizante batalha contra o mal - uma batalha cujo desenlace será tanto mais terrível.

Minha opinião sobre o livro:

Demorei um pouco pra fazer essa resenha porque o livro também deu uma volta na minha cabeça. Gostei muito dele, apesar de ser para mim uma leitura um tanto monótona. Digo que é monótona, pois a narradora passa muito tempo descrevendo as coisas ao seu redor, em alguns momentos parece que a narrativa se arrasta. O livro é muito descritivo, não só da aparência do ambiente e os personagens como também na visão da narradora, que por sua vez descreve os personagens "psicologicamente" como ela os imagina.

Porém contrastando com monotonia, da leitura há momentos intensos, que faz com que nós viajemos para dentro da história e criemos nossas próprias teorias sobre o que realmente acontece na trama. Não acho que o livro chegue a ser um terror, pois ele não mostra (descreve) claramente nada aterrorizante, nessa parte ficamos à mercê da nossa imaginação. Nós escolhemos se vamos mergulhar nas paranoias da perceptora ou não, pois não dá para saber ao certo se realmente as crianças são assombradas, ou a se ela enlouqueceu.

Há uma corrente que defende a teoria de que os fantasmas não existam e sejam apenas fruto do delírio da preceptora por causa de uma repressão sexual. Eu particularmente não concordo de maneira alguma com essa colocação. Acho que sim, a preceptora via os fantasmas, mas ao contrário do que ela achava as crianças não os viam. Confesso que alguns momentos eu pensei que aquelas crianças eram perfeitas demais, e que provavelmente elas escondiam algo errado, entrando em boa parte do livro na mesma loucura da perceptora, mas no fim entendi que não, as crianças eram inocentes e que a perceptora acabou enlouquecendo por causa da sua própria teoria onde as crianças eram perversas e dissimuladas e compactuavam com os fantasmas.

Há de fato uma atmosfera romântica no livro. Eu comentei até com a Val que tenho a impressão de que Miles e Douglas são a mesma pessoa e que ele acabou-se por se apaixonar pela preceptora (mesmo que com apenas 10 anos) e ela por ele, mas esse acabou sendo um espécie de amor platônico quase uma devoção, mais ainda assim amor.
 
Uma coisa que não se pode deixar de observar é que o autor criou um enredo cheio de duplicidades, em vários momentos é fácil identificar diálogos com duplo sentido que tanto pode nos levar a crer que todo o ocorrido é fruto da mente doentia da mulher, ou que os demônios são de fato reais.
Ou seja, A volta no parafuso não é o tipo de livro, do qual eu possa vir aqui e lhe entregar a resolução do que realmente aconteceu, ele é uma espécie de "Dom Casmurro" inglês, onde eu apenas posso lhe dar a minha opinião, mas só a sua leitura e a sua imaginação lhe levaram a tomar a sua própria conclusão.
Citei "Dom Casmurro" pois até hoje quem pode garantir com cem por cento de covicção que Capitú traiu? E quem pode do mesmo modo dizer o contrário?

Curiosidades sobre a obra:

  •  No Rotten Tomatoes existem registradas 10 obras baseadas no livro, a primeira em 1974 e a mais atual de 2011. Entre essa obras tem filmes em preto e branco, peças teatrais e musicais.
  •  A música "The Infant Kiss" da cantora Kate Bush é inspirada no livro.
  • O filme "Os Outros" é inspirado no livro.
  • A Capa do primeiro disco da banda "Black Sabbath" representa a primeira aparição da Preceptora anterior na beira do lago.


Quotes

"O que me fez ficar parada ali - e com um choque muito maior do que qualquer visão justificaria - foi a sensação de que a minha fantasia, num piscar de olhos, tornara-se real."

"A senhora não a está vendo, como nós a vemos? Está dizendo que não a vê agora, agora mesmo? Se ela está ali como uma fogueira a arder! Apenas olhe minha boa mulher, olhe!" 

"O que importa agora, meu bem? Que importância poderá ter de agora em diante? Você é meu agora - e desferi à fera -, mas ele o perdeu para sempre!"


Esse livro faz parte do meu desafio literário de 2014 e também é o primeiro dos 62 que eu ganhei da editora Hedra e estou lendo.

Espero que tenham gostado da resenha e beijos ;)

13 comentários:

  1. Nossa... Conheço o livro e tenho ele, fui "obrigada" a ler na faculdade... Na época achei muito louco, mas voltaria a ler. Parabéns pela resenha, me deu uma nova visão do livro.
    Abraços

    Ju - Surtos Da Juleka

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha ouvido falar do livro e fiquei bem curiosa.Adoro livros que mechem com a minha imaginação.Sério que o filme "Os Outros " foi baseado nesse livro?!Gente do céu agora que quero mesmo ler!

    Até c:

    simsomosinfinitos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, se encontrar leia mesmo você vai gostar.
      Obrigada pela visita :)

      Excluir
  3. mlr, MEDO dessa capa de black sabbath. Agora descobri o motivo, acredita q eu nao tinha me ligado nisso xD
    boa observação.

    Bom, nao respondi pelo face pq aquela merda tá bugando cmg a semana toda ¬¬
    mas particularmente eu não acho q eles sejam a mesma pessoa', e o livro é tão assustador justamente por seus detalhes descritivos que gostei dele ainda mais por isso... O filme Os outros é bom, mas a versão Os inocentes, eu achei ainda melhor... O filme me deu um cagaço da porra em algumas cenas jkkkkkkkkk

    eu acredito mais na teoria de fantasmas, mas acho que ambas tem explicação plausível ^^

    bjs

    http://magiasbook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hauhauha O facebug é lasca mesmo, Val, como sempre valeu pela visita, amo a tua opinião sempre.
      E esse blog novo aí? Vou lá dar uma olhada :)

      Excluir
    2. oshi, agora que vi que colei um link de blog que eu fui visitar kkkkkkkkkkk
      que merda, velho kkkkkkkkkkkk
      acho que foi pelo skoob que me enviaram kkkkkkk

      Excluir
  4. Amore só estou usando este espaço agora!! Morrendo de saudades, não esqueço de tu nunquinha visse? Beijos. <3 ( Esse teu blogger tá lindo demais)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me ligue dona moça, saudade da senhora. Bjooos te ♥

      Excluir
  5. Eu vi o filme Os Outros e eu soube da inspiração que tiveram e tudo. Os Outros é um filme ótimo. Eu tenho um certo fascínio por fantasmas, talvez um dia eu pegue ele para ler. Porém eu tô com um pé atrás porque você disse que o livro foca muito em descrições...
    Abraços,
    http://cronicasdeumdelirante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei, os outros, adoro filmes desse Gênero.
      :)

      Excluir
  6. Cara, eu morria e não sabia dessa história da capa da Sabbath :) adoro referências literária na música e foi bacana saber disso.
    Tenho que dizer que esse livro me decepcionou um pouco...mas isso se deu porque eu tenho mesmo um problema enorme com livros descritivos demais e esse é muito. História é boa mas não me ganhou. Nesse caso eu gostei mesmo foi do filme "Os Inocentes". Os outros eu também adoro apesar de saber que só tem uma leve inspiração, porque na verdade a história é bem diferente.

    Abraço,
    Tamara Costa
    http://www.doseliteraria.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamara, também tenho, abandonei O primo Básilio por isso, uii chega dá agonia, rsrsrs
      Esse é meio monótono, mas deu pra ler, obrigado pela visita. :)

      Excluir

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥