_Sei que você fez os seus castelosE sonhou ser salva do dragãoDesilusão meu bem Quando acordou estava sem ninguémSozinha no silêncio do seu quartoProcura a espada do seu salvadorQue no sonho se desesperaJamais vai poder livrar você da feraDa solidãoCom a força do meu cantoEsquento o seu quarto prá secar seu prantoAumenta o rádio me dê a mãoFilosofia é poesia que dizia a minha vóAntes mal acompanhada do que sóVocê precisa de um homem pra chamar de seuMesmo que esse homem seja euUm homem prá chamar de seu...
Essa música é interessante.
Muitas vezes criamos castelos e esses desmoronam como se fossem de areia...
e pensavam q eram tão fortes, mas era só ilusão!
A solidão é má, mas ao mesmo tempo nos apresenta a nós mesmos e nos prepara para vivermos os momentos bons da vida. Momentos que cedo ou tarde viram.
è bom termos fé nisso: "Cedo ou Tarde mas virão!"
Tenho vivido um q se não for o melhor de sempre , será o melhor até agora...
Estou Feliz!
Te amo, Você me faz Feliz!!!
Bjos pessoas...

Relacionamentos Teatrais



10 Minutos finais da peça:
O moçinho entra em cena e encontra A Vilã (Ou a Mocinha? A boba, A Babaca...) o esperando.
-Que bom te vêr, precisamos conversar. -Ele diz
"Medo Dele! Eu já ouvi isso antes." Pensa ela
-Sim, meu bem. O que você quer falar comigo? - Interroga ela
Ele silencia por alguns minutos. E continua...
-É que eu preciso falar com você antes que alguem o faça. (Luz pisca no fundo do palco e começa a tocar a música do filme Pscose) Ontem eu saí com alguns amigos e encontrei por acaso uma antiga "Amiga" .
(Obs. Lembre-se do significado da palavra amiga para os poetas do Romantismo. E o por acaso empregado na frase concerteza é licença poetica!)
-E qual o problema nisso?- Ela sonda- Você sabe que eu não me importo.
-Eu sei mais é q-q-que...- Ele Gagueja- (Atmosfera aterrorizante, música de suspense)
Eu a beijei!
1 Minuto de Silêncio
Ele continua o monólogo...
-Desculpe-me é que nós conversamos e eu fiquei confuso e acabei descobrindo q ainda a amava. Também entre nós. (Ele e a Outra) Já houve tanta coisa boa, foi tanto tempo. Nós haviamos brigado e agora que fizemos as pazes vamos poder viver tudo denovo.
(música triste ao fundo) A boba chora.
Ele dá a cartada final.
- Não fica triste, você é uma pessoa muito especial, mas é que eu já a amava. Você foi a pessoa certa no tempo errado. Vamos ser grandes amigos !?!
(Meu Deus! Quantas vezes eu já ouvi isso??? Filho da puta! Clichê barato!!! "Êpa eu sou uma narradora Observadora, vamos prosseguir então...)
E a boba aceita as desculpas do filho da puta do mocinho e vai embora sem fazer nem um escandalozinho, só para que ninguém diga que ela estava errada e que não soube levar um fora. Sendo que ele é o maior vilão da história...
Quais os papéis dessa história?
Qual garota nunca atuou nessa peça???
Autoria: Kris Wilmont :/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...